A defesa e os técnicos

Para armar um time vencedor precisamos de motivação, e o problema muitas vezes está exatamente nisso, porque motivar o ataque é muito fácil, para cada gol um prêmio, mas motivar a defesa é mais difícil. Por isso muitas e muitas vezes os programas de incentivo servem apenas para os goleadores esquecendo dos defensores. Semana passada vi o jogo de vôlei do Brasil na final da Liga Mundial. Reparei depois o comentarista salientando que, antes, todos os técnicos de vôlei se preocupavam com os atacantes, depois com o bloqueio.

O Bernardinho, um dos maiores técnicos da atualidade, insiste que, além do bloqueio, a defesa é fundamental. Afinal, a maioria das bolas passam pelo bloqueio, aí precisamos defender. Se formos falar de futebol citamos Zagalo, Parreira e, é claro Felipão. Eles quase nos fizeram infartar com suas táticas defensivas, mas ganharam.

Quem gosta de basquete e assiste a NBA, ouve a torcida gritar defense, defense, defense…

Também nas empresas, muitas vezes, gostamos de ter artilheiros no nosso time, pessoas oportunistas, que fazem gols, que incomodam o time adversário, que conquistam o cliente com carisma e negociações espetaculares, mas muitas vezes nossa defesa falha. Fazemos gols nas empresas a cada cliente conquistado, sofremos gols cada vez que o cliente liga para nossa empresa e é mal atendido, ou, no mínimo atendido com descaso, quando o produto não chega no prazo.

No final do campeonato, muitas vezes no balanço anual, descobrimos que sofremos mais gols do que fizemos, e perdemos mais um jogo ainda que tenhamos os artilheiros do campeonato.

Como anda a defesa da sua empresa? Dê uma olhada na logística de distribuição, no prazo de entrega, no contact center e no vendedor que faz gol contra, que denigre a imagem da sua empresa. Você sabe quantos clientes perde por mês, e por ano? Mas muita calma para fazer essa conta, você pode se assustar. E verá o quanto corremos atrás de nós mesmos.

Para armar um um time vencedor precisamos de motivação, e o problema muitas vezes está exatamente aí, porque motivar o ataque é muito fácil, para cada gol um prêmio, mas motivar a defesa é mais difícil. Por isso diversas vezes os programas de incentivo servem apenas para os goleadores esquecendo os defensores que seguram os clientes quando eles estão para deixar a empresa, que dão explicações e justificam algumas vezes até o injustíficável. Mas esses zegueiros heróis ficam de fora dos planos de incentivo, e com o passar do tempo, passam a tirar o pé na dividida até que o time sofra uma goleada.

Aí já é tarde para lembrarmos da defesa, afinal os melhores zagueiros já viraram atacantes, buscando melhores salários e motivação, a zaga está cheia de reservas e o jogo já está no final.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima