Ecommerce: 6 em cada 10 brasileiros fazem compras pela internet

ecommerce - mãos apertam botão comprar em celular smartphone

Estudo recente da Hello mostra que o público entre 45 e 54 anos é o que mais realiza compras online

Cada vez mais o ambiente offline se confunde com odigital. Há quem pesquise e compre online, quem pesquise na loja online ecompre na loja física, e que pesquise a loja física e compre online. Essa são algumas das descobertas do novo estudo Papo Digital da Hello,que mostrou que 6 em cada 10 já fazem pesquisa e compra pela internet. Para entender melhor ocomportamento do brasileiro conectado à interneta pesquisa investigou o uso de devices on e offline, formas de entretenimento, aatenção às mídias e publicidade, gostos nas redes sociais, além de comportamento de consumo.

A pesquisa mostrou que os maduros – classificação dos entrevistados entre 45 e 54 anos – são os que mais compram no local da pesquisa, principalmente online (71%), enquanto os jovens, entre 16 e 24 anos representam 51% e os jovens adultos, entre 25 e 34 anos, 61%. Na pesquisa, os participantes tinham como opção de resposta a nota 5 para “Me descreve totalmente” e 0 para “Não me descreve nada”.

Quando perguntados sobre o que comprar online e o que comprar na loja física, a categoria eletroportáteis divide igualmente os participantes (49%). Já na hora do supermercado, 94% prefere a loja física.

Quem compra online, o que espera da experiência?

86% diz esperar que a loja ofereça rapidez e 85% espera uma boa experiência de compra online. Em terceiro lugar, 74% disse que gostaria de obter recompensas e benefícios e 62% considera importante que a empresa tenha uma história ou mensagem relevante a transmitir.

Sobre o contato pós-venda, o e-mail ainda é o canal preferível para contato com os consumidores (65%), seguido do Whatsapp (47%). O SMS, por sua vez, perde força, sendo a preferência de apenas 22% dos entrevistados. A distribuição das faixas etárias é bem equilibrada para cada canal.

Para o jornalista e diretor da Hello, Denis Bertoncello, a atenção ao discurso nos vários canais é algo fundamental. “Concluímos que o padrão de qualidade no atendimento deve ser mantido em todos os canais e é necessário ter um discurso alinhado para transmitir credibilidade. As ações online nunca podem ser isoladas do mundo offline, e devem causar um impacto real e perceptível na vida das pessoas”, pontua.

Interação nas redes sociais

Somente dois em cada dez internautas não interagem com marcas nas redes sociais. Entre os que interagem, 51% curte posts e 36% avalia serviço ou produto. Os jovens são os mais ativos, sendo 67% jovens e 60% jovens adultos (estes também estão entre os que mais compartilham posts, com 34%). Em contrapartida um dado mostra que talvez seja a hora das marcas pensarem na comunicação com os sêniores, já que 45% declarou não interagir de forma nenhuma com marcas nas redes sociais.

Ao falar sobre publicidade, o estudo mostra que a TV ainda é o meio que mais chama a atenção para anúncios, representando 53% do total. Ainda assim, para os mais jovens, os posts nas redes sociais já chamam mais atenção do que a própria publicidade na TV: 60% declarou prestar atenção em posts nas redes sociais.

Outro dado interessante envolve as marcas que buscam a atenção do público maduro: 45% declarou se atentar à publicidade em rádio. No total, entre todos os públicos, 32% disse prestar atenção à publicidade em rádio, enquanto as revistas ficam empatadas com folhetos de rua e anúncios pop up, representando 32% (e novamente, mais populares entre os maduros).

Para o diretor da Hello, os resultados do Papo Digital ajudam a compreender melhor como o brasileiro tem se comportado numa realidade cada vez mais digital, mas que ainda é carregada por hábitos do mundo analógico. “Os aplicativos, por exemplo, entraram em nossas vidas a partir de 2008, quando Apple e Google lançaram suas lojas de apps. Em dez anos, vimos várias transformações na forma como transitamos pela cidade, nos comunicamos, como acompanhamos nossas atividades físicas ou simplesmente como controlamos a fatura do cartão de crédito. Ao mesmo tempo, ainda esperamos o ônibus no ponto, assistimos novela e nos informamos pela TV aberta. Se alguém ou alguma marca quiser ser efetivo em se comunicar com os brasileiros, não poderá recorrer só às ferramentas online ou só offline. Precisa pensar numa lógica que combine os dois mundos, que chamamos all line”. 

Sobre a Pesquisa Papo Digital

A Hello bateu um papo com mais de 1.400 pessoas entre os dias 03 e 08 de maio, que resultou no novo estudo Papo Digital, uma investigação sobre os meios de conectividade, comunicação e consumo dos brasileiros tanto on como offline.

Foram realizadas entrevistas digitais com cidadãos maiores de 16 anos, moradores de capitais, cidades médias e pequenas, de todas as escolaridades e integrantes das classes A, B e C. A margem de erro da pesquisa é de 2,6 pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

A Hello é um instituto de pesquisa com presença em mais de 2 mil municípios brasileiros, que visita todos os meses entre projetos de auditorias de varejo, pesquisas de mercado e de opinião pública. Primeira startup de pesquisa do Brasil, desde sua fundação em 2011, a Hello desenvolve as próprias tecnologias de pesquisa digital para aplicação de pesquisas on e off. Colabora com grandes players de setores como bens de consumo, varejo, serviços financeiros, consultorias, automotivo e indústria no desenvolvimento de projetos de inteligência de mercado locais e nacionais.

Para saber mais: 

Acesse: www.helloresearch.com.br.

Leia também:

Os gestores de vendas e o medo de números, indicadores e planilhas

IPC Maps: consumo dos brasileiros está em alta e chegará a R$4,4 trilhões em 2018

Comércio móvel: em três anos dobra o número de brasileiros que compram pelo smartphone


Conteúdos Relacionados

Todo bom vendedor é um Masterchef

Todo bom vendedor é um Masterchef

Recentemente, num cruzeiro que fizemos pelo Caribe, tivemos a chance de participar de um “mini programa” do MasterChef no navio.

Algumas pessoas da plateia são escolhidas, recebem uma lista de ingredientes e precisam criar pratos com os ingredientes, apresentando-os depois para serem avaliados pelo júri (no caso, o capitão do navio e dois de seus assistentes).

Continuar lendo

Pin It on Pinterest

Rolar para cima