Marketing pessoal sustentável

Se você acredita que as redes e os relacionamentos humanos farão parte do futuro, é bom começar a valorizar mais qualidade do que quantidade. Após uma década de internet comercial, percebemos uma rápida aproximação de ambos os lados dessa moeda. Se por um lado, as facilidades da tecnologia nos permitem multiplicar os contatos e as formas de impressionar, por outro, elas nos colocam cara a cara com o passado, expondo os caminhos que já trilhamos.

Aquele “Marketing Pessoal” exageradamente perfumado e maquiado não se sustenta por muito tempo. Basta vasculhar um pouco mais para perceber quem vende gato por lebre.

Os amigos dos amigos estão se falando mais, e falando da gente em círculos expandidos de influência. Se você pisou na bola com um deles, poderá ter problemas em breve.

Você pode fugir disso por alguns anos e acreditar que é uma onda passageira, ou aprender com o novo tempo e se preparar melhor. São duas escolhas possíveis, com suas infinitas variações e conseqüências. Porém, se você acredita que as redes e os relacionamentos humanos farão parte do futuro, é bom começar logo a valorizar mais qualidade do que quantidade. Invista no autoconhecimento e trate das feridas que ficaram para trás antes que o passado venha te cobrar indenização, com juros e correção monetária.

Fique atento às redes sociais que estão surgindo na internet e procure exercitar seus relacionamentos por lá. É uma ótima maneira de resgatar amigos do passado e investir em novas conquistas, aprimorando o seu “networking” sustentável.

A dica do momento atende pelo estranho nome de “Orkut” (www.orkut.com). A comunidade criada por Orkut Buyukkokten, um turco ligado à Stanford University e que trabalha para a Google, tornou-se um fenômeno na internet mundial e especialmente no Brasil. Já são mais de 500 mil brasileiros conectados se relacionando por lá.

Para entrar, você precisa ser convidado e seus relacionamentos ficam expostos para os outros verem. Você avalia os outros e é avaliado, segundo a qualidade dos seus contatos. Isso obviamente inibe quem tem culpa no cartório e garante um mínimo de convivência saudável entre os participantes.

Em duas semanas, encontrei pelo menos cinqüenta pessoas, entre amigos de infância, colégio, faculdade, clube e trabalho. Navegando entre os contatos dos contatos, você rapidamente descobre relações inusitadas entre eles. Pessoas que você conheceu em ambientes completamente distintos, que se cruzaram por outros caminhos.

Você pode participar de grupos de interesse sobre assuntos diversos, como música, religião, esportes e negócios. Também pode criar seus próprios grupos, para reunir colegas de trabalho, faculdade e condomínio. Enfim, é uma prova de que os nossos círculos sociais estão se sobrepondo com uma velocidade cada vez maior, tornando transparente a nossa personalidade.

Se você não tem nada a temer, vale a pena experimentar!

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima