6 atitudes para se tornar um campeão de vendas

“Os prerrequisitos para o crescimento são: estar aberto a experimentar acontecimentos e disposto a ser transformado por eles”

Bruce Mau

“Se as pessoas dispõem de informações melhores, tomam decisões melhores – ponto final”

Suzanne Muchin

  1. Participe de seminários, convenções e palestras com a finalidade de adquirir novos conhecimentos e aumentar a sua rede de relacionamento.
  2. Prepare algumas mensagens de motivação para ler na parte da manhã e durante o dia, quando a motivação estiver baixa.
  3. Leia um livro ou uma revista quando estiver esperando o cliente, isso vai abastecer o seu conhecimento e aumentar a disposição na hora de negociar.
  4. Não desperdice tempo com cafezinho, rádio ou conversas desnecessárias, isso tira você do foco e leva o seu bem mais precioso: o tempo.
  5. Preocupe-se em construir relacionamento e estreitar vínculos com os clientes, pois eles gostam de comprar de pessoas amigáveis e que passam confiança.
  6. Tenha foco na prospecção, esteja sempre buscando novos clientes, mas com qualidade, é claro, e não se esqueça dos atuais clientes, já que eles podem oferecer excelentes indicações.

André Silva é palestrante de motivação e vendas.
E-mail: [email protected]
Site: www.palestranteandresilva.com.br

Menos interrupções

Interrupções frequentes impedem a concentração em objetivos importantes. Analise a forma de empregar seu tempo e avalie se há excessos ou desperdícios. Em seguida, organize-se para eliminar os fatores de distração. Se preferir, mantenha a porta do escritório fechada quando tiver de se dedicar a um assunto absorvente.

Caso trabalhe em um ambiente aberto, informe os colegas de que precisa se concentrar. Convém que as reuniões com superiores e colegas sejam breves e obedeçam a uma duração predefinida. Valorize o tempo de seu chefe e evite interrompê-lo sem necessidade.

Extraído e adaptado do livro Como lidar com seu chefe (Publifolha).

 

A pechincha

Para garantir a venda, muitos profissionais oferecem logo a margem máxima assim que o cliente pede desconto. Além de realizar uma venda menor, isso habituará o consumidor a só comprar mediante desconto, e mais: ele exigirá percentuais cada vez maiores.

O melhor é que a primeira resposta seja que não há desconto. Se o cliente continuar insistindo, comprometa-se a tentar negociar com o gerente. Entretanto, antes de ir, comprometa-o: “Se eu te der esse desconto, você leva a mercadoria?”.

Mesmo que não precise falar com o gerente, essa “cena” fará com que o cliente sinta-se valorizado, pois você estará lutando para beneficiá-lo.

Extraído e adaptado do livro Venda passo a passo, de Maurício Mansur (Autêntica Editora).

Me ligue daqui a seis meses…

O que você faz quando escuta essa frase de seu cliente potencial? Para superar essa objeção, você deve descobrir qual é o verdadeiro obstáculo. O cliente precisa do seguro? Seu preço está muito alto? Ele tem condições de comprar?

Para isso, tente as seguintes perguntas:

  • O que será diferente daqui a seis meses?
  • Há alguma razão específica para o senhor preferir que eu ligue daqui a seis meses?

Mostre as vantagens em comprar imediatamente e como o adiamento pode ser perigoso.

Extraído e adaptado do livro Dicas de venda de seguros: para aplicar no seu dia a dia, de André Santos (Edições Inteligentes).

 

Olhos nos olhos

O maior poder de comunicação não está na fala, nem nas mãos, está nos olhos. Olhe para o cliente de frente, firmemente, mas sem agressividade no olhar. De óculos escuros, portanto, nem pense em atender um cliente.

Extraído e adaptado do livro No balcão da construção: dicas de vendas, de José Sérgio Ferreira Antonio (Art Editora).

 

5 perguntas que o vendedor deve responder-se todas as manhãs

  1. Considero-me um simples vendedor ou um verdadeiro profissional de vendas? – Um vendedor somente apresenta produtos e tira pedidos; o profissional de vendas cria relacionamentos, soluciona problemas e fideliza o cliente.
  2. Eu seria meu próprio cliente hoje? – Posso conhecer muito bem meu produto, técnicas de prospecção e de fechamento, mas não conhecer pessoas e assim não ser o profissional que elas merecem que eu seja. Vender é uma troca de sentimentos e emoções.
  3. Quando foi a última vez que dediquei tempo para treinar minhas técnicas de vendas e de negociação? – A maioria de nós tem um defeito em comum: acha que sabe o suficiente. E, assim, não dedica tempo para o aprendizado e deixa de conhecer técnicas fantásticas (abordagem, prospecção, negociação, fechamento…) que podem fazer a diferença na carreira.
  4. Estou pronto para vender meu produto/serviço? – O entusiasmo encobre os defeitos, mas às vezes pode me fazer ir mais rápido para o lado errado. “O profissional de vendas pode errar em qualquer parte do processo da venda menos na preparação”, dica aprendida com o colunista César Frazão.
  5. Eu compraria meu produto/serviço? Por quê? – Dificilmente, se não uso ou usaria meu produto/serviço, terei facilidade de vendê-lo.

 Jeremias Oberherr é consultor e palestrante, autor dos livros Os 5 princípios do sucesso e Como ser o profissional que o mercado precisa. Visite o site: www.jeremiasoberherr.com.br.

 

Seção Troféu Abacaxi

Cada um por si

Para esta edição, selecionamos o caso de Anderson, um leitor do Mato Grosso do Sul que contou uma situação vivida por sua mãe. Acompanhe:

“Minha mãe foi até uma loja tentar fechar um pacote de internet para nossa casa. Foi atendida por uma moça que explicou como funcionava o serviço deles. Minha mãe sabia que outro fornecedor estava oferecendo preço e outras vantagens bastante interessantes, então falou isso para a atendente e perguntou se a empresa poderia negociar algo diferente. Após a negativa, minha mãe disse que iria comprar no concorrente mesmo. Por isso, teve de ouvir a inacreditável frase: ‘Azar o seu!’. É algo que certamente não se aprende em nenhum treinamento de vendas”.

Participe você também, envie seu case negativo para: [email protected] e ajude a melhorar o padrão do atendimento ao cliente em nosso país.

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima