A força do popular – CV n. 87

Nesta edição:

Bar sem bebida

Máfia do bem

A força do popular

 

***

Nicho de mercado

A força do popular

Em apenas 25 anos, o coreano Do-Won Chang se tornou um dos homens mais ricos do varejo dos Estados Unidos. Conseguiu isso vendendo roupas coreanas e chinesas a preços para lá de baixos (a partir de US$3,99) em sua loja Forever 21. Hoje, uma das 360 lojas está localizada no endereço mais valorizado da Times Square, em Nova Iorque.

 

Esse é mais um exemplo da força da classe C e D.

 

Distribuição

Na melhor hora

Os fazendeiros da redondeza de Seattle, EUA, estão descobrindo uma maneira melhor que as até feiras para apresentar seus produtos ao público. Eles fizeram um acordo com a empresa que administra os ferry boats (balsas, dependendo do lugar do Brasil em que você está) da região e todo fim de tarde oferecem ingredientes fresquinhos e sem agrotóxicos para as pessoas prepararem suas refeições assim que chegarem em casa.

 

Tudo é pensado para facilitar a vida do passageiro: as hortaliças são oferecidas em pacotes mistos de US$5,00 para facilitar o troco e ainda vêm com uma receita que dá sugestões de como usar os itens comprados. Dessa forma, você não adquire uma alface, meio quilo de tomate ou cenoura, você compra um pacote com ingredientes para determinada salada.

 

Posicionamento

Acertando sem querer

Uma máquina que imprime tíquetes de estacionamento virou atração turística na Inglaterra. A intenção da prefeitura era instalar um equipamento que fosse acessível a indivíduos que usam cadeiras de rodas.

 

Mas, por um erro qualquer, não foi colocada nas proximidades uma versão normal do aparelho. Agora, as pessoas fazem filas para imprimir seus tíquetes em uma máquina de apenas um metro de altura e que exije que peguem os bilhetes a menos de 30 cm do chão. As pessoas se divertem e ninguém mais estaciona naquelas ruas sem bilhete.

 

Nicho de mercado

Bar sem bebida

O nome do local é Alcoholic Architectura, Arquitetura Alcoólica em português, e fica em Londres. Por fora, parece um bar normal. Ao pagar cinco libras, você entra e é assaltado por um cheiro forte de gim e água tônica, visão de limões e canudos gigantes e som de gelo sendo jogado em um copo, ou seja, a sensação parece a de estar dentro de um drinque.

 

Os responsáveis pelo empreendimento, que já virou moda na cidade, dizem que isso mostra que a experiência do consumidor é mais importante que o produto ou serviço que se oferece. Lá dentro, só se pode comprar e consumir água. Dois detalhes: ao ficar quarenta minutos dentro do bar, a pessoa já começa a se sentir meio alta e os clientes podem alugar uma capa de chuva, na entrada, para não chegar em casa cheirando a destilaria.

 

Caso do leitor

Máfia do bem

Ademir Cardoso, do departamento de vendas da Metalis Aluminum Curitiba Indústria e Comércio Ltda., tem uma receita infalível para fidelizar seus clientes: presentear a família dos compradores!

 

“Quando a máfia queria atingir ou se vingar de alguém, normalmente atacava as pessoas que seus oponentes mais amavam. E ainda vivemos em uma sociedade de sentimentos na qual a família tem prioridade maior no coração dos considerados filhos de Deus. Atualmente, nós, vendedores, além de sermos ágeis nas negociações, temos de adotar outras estratégias para adquirirmos a confiança e credibilidade de nossos clientes. Particularmente, procuro sensibilizar os compradores com pequenos gestos ao demonstrar carinho e respeito por seus familiares também.

 

Para aqueles que ainda têm filhos pequenos ou adolescente, eu os presenteio com canetas, camisetas do clube preferido, bonés de marca, ingresso para baladas, entre outros, com custos baixos. Os resultados de fidelidade são eminentes. Um bom exemplo é o caso de um dos meus maiores clientes, e que até o momento se mantém fiel, eu o presenteei com uma assinatura da revista Motivação. Ele me agradece até hoje!.”

 

Fidelização

De malas prontas

Para aumentar o número de associados do programa de fidelidade hoteleira do Brasil, a Accor Hotels criou a campanha De Malas Prontas! O foco era atingir aqueles que estavam há mais de seis meses sem se hospedar nos hotéis da rede, com saldo mínimo de 1,5 mil pontos.

 

Para realizar a campanha, a empresa enviou uma mala-direta para mais de 8 mil clientes com o nome deles no interior, por exemplo: “Promoção Fernando de férias”. Dentro, o consumidor encontrava a quantidade de seus pontos, informações de resgate e possíveis locais de destino em outras viagens. A ação fez com que 30% dos clientes fizessem o resgate pela primeira vez.

 

 E você, o que tem feito para fidelizar seus clientes?

 

Promoção

Uma campanha quente no frio

Com o inverno se aproximando, a Johnson & Johnson aproveitou para fazer a divulgação de seus medicamentos isentos de prescrição médica. A ação envolve negociações com revendedores, materiais de ponto de venda e um hotsite (www.debemcomoinverno.com.br). Nele, é possível encontrar dicas de comidas, bebidas e lugares típicos do inverno.

 

A campanha é baseada na informação de que 80% das vendas de remédios indicados para gripes, resfriados e irritações na garganta acontecem na estação mais fria do ano.

 

Uma experiência criativa

Uma doce lembrança

No ano de 2003, vivi uma experiência, em Curitiba, PR, que me ensinou muito. Estava finalizando o curso de operador de telemarketing com 17 alunas, sendo que uma delas estava prestes a fazer aniversário. Então, resolvemos comemorar.

 

Uma delas nos indicou determinada pizzaria, então ligamos para reservar uma mesa. Durante o atendimento percebemos o que estava por vir, pois o atendimento por telefone foi ótimo. A atendente nos informou que a aniversariante não pagaria a conta se mais de 10 pessoas a acompanhasse e fez a reserva.

 

No dia combinado, fomos ao local e uma mesa estava prontamente nos esperando com um enfeite que dizia: “Feliz aniversário, Paula!”. Fomos muito bem atendidos e, em dado momento, quando começaram a servir as pizzas doces, comentei que gostava muito daquela com chocolate branco e morangos e que seria ótimo se ela viesse repleta de morangos.

 

Aproximadamente seis minutos depois, o garçom me aborda com a frase: “A pizza que o senhor deseja está aqui”. Foi a melhor que já comi, estava repleta de morangos, como nunca havia experimentado antes. Resultado: até hoje sinto falta daquela pizzaria, o que me faz sentir ainda mais saudade da época em que morava em Curitiba.

 

Veja o que você e sua empresa podem aprender com essa pizzaria:

  • Marketing é um processo. De nada adianta propaganda sem pessoas bem preparadas para um atendimento pelo telefone.

  • Anotar tudo o que foi conversado é essencial.

  • A sincronia entre o atendimento e o operacional é crucial.

  • Escute o que seu cliente diz e o surpreenda com um ato personalizado.

  • Estude o comportamento de seus clientes e veja como pode ganhar com isso. No caso que citei, a aniversariante não pagou o rodízio, mas levou 17 pessoas para comer e beber com ela.

 

Wanderley Cintraé palestrante e consultor nas áreas de atendimento e telemarketing. É diretor da Evoluir Sempre, empresa de treinamento e desenvolvimento de pessoas.

 

Números

1.073.029foi o número de pedidos de portabilidade numérica no Brasil até 16 de abril deste ano, informa a ABR Telecom.

Fonte:IDG Now!

 

5,1%é a inadimplência no financiamento de veículos em março deste ano, segundo a nota de política monetária e operações de crédito do Banco Central.

Fonte:InfoMoney

 

27%é a porcentagem que as vendas da Toyota no mundo recuaram no primeiro trimestre de 2009.

Fonte:Datafolha

 

20%é o aumento nas vendas de eletrodomésticos da linha branca (geladeiras, fogões, máquinas de lavar roupa e tanquinho), em apenas dois dias, após a redução de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados).

Fonte:Agência Brasil

 

Frase

“A vida está cheia de desafios que, se aproveitados de forma criativa, transformam-se em oportunidades”

Maxwell Maltz

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima