A memória da água

A água possui memória daquilo que ocorre em volta dela e dentro dela. Como uma fita magnética, ela pode ser influenciada tanto por substâncias químicas quanto pela voz humana A água possui memória daquilo que ocorre em volta dela e dentro dela. Como uma fita magnética, ela pode ser influenciada tanto por substâncias químicas quanto pela voz humana. Aliás, ela vai além, pois a água pode ser influenciada até mesmo pelos pensamentos humanos.

Um dos primeiros pesquisadores a nos alertar para a importância da informação contida na água foi Theodor Schwenk, autor do livro Sensitive Chaos na década de 60. Em 2002, Jacques Benveniste publicou um artigo na revista Science Revue, no qual demonstra que a água tem memória. Benveniste fez diluições sucessivas de uma molécula ativa na água. Mesmo depois que a molécula ativa deixava de existir, a água continuava agindo com se tivesse as propriedades daquela molécula. Isso demonstrou que a água possuía uma memória. E mais, ele conseguiu observar na água um sinal eletromagnético que conseguia reproduzir.

Benveniste constatou que havia alguma coisa na água, que não era a molécula da água em si, mas como um sinal que pode ser comparado à voz humana em uma fita magnética, que lá permanece mesmo quando a pessoa não está mais presente. Com tudo isso, o autor do estudo explicou que a água pode ser considerada como uma fita magnética onde são codificados diversos tipos de informação.

Masaru Emoto, autor da obra A Mensagem da Água, mostra que a estrutura molecular da água é sensível até mesmo ao pensamento humano. Através de experiência em laboratório, Emoto provou que a água é sensível às energias vibracionais humanas como pensamentos, palavras, mensagens, orações e música. Fez experiências com a qualidade da água submetida a diversos ambientes congelando as amostras e observando, através de microscópio, a formação molecular dos cristais.

Pensamentos de amor, palavras saudáveis, orações e música clássica produzem formações harmônicas na estrutura molecular da água. Pensamentos negativos, palavras hediondas e música heavy metal produzem formações grotescas. Baseado em suas pesquisas, Emoto afirma que ?palavras belas criam a natureza bela e palavras feias criam a natureza feia. Essa é a raiz do universo?.

Veja que os estudos de Schwenk, Benveniste e Emoto apresentam incontestável evidência da sensibilidade da água, que é 75% de nossa constituição física. E dentre as influências mais importantes estão os nossos próprios pensamentos, as nossas palavras e a música que escutamos. Assim, deixo aqui alguns princípios de inteligência emocional que certa vez li num quadro ao visitar um amigo, e que servem muito bem para que você alcance essa comunicação com o bem:

· Fale com as pessoas. Não há nada tão agradável quanto uma palavra de saudação.

· Sorria para as pessoas.

· Chame a todos pelo nome.

· Seja amigo e prestativo. Se quiser ter amigos, seja amigo.

· Seja cordial. Fale e aja com toda a sinceridade.

· Seja generoso em elogiar e cauteloso ao criticar.

· Saiba considerar as emoções dos outros.

Lembre-se: todas as descobertas científicas citadas colocam a maior parte da responsabilidade pela nossa qualidade de vida em nossas próprias mãos. Mais do que nunca, somos o que pensamos, falamos, escutamos e fazemos.

?Palavras belas criam a natureza bela e palavras feias criam a natureza feia. Essa é a raiz do universo? Masaru Emoto

Frase: ?A paz é para o mundo o que a levedura é para a massa? ? Talmude

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima