Anúncios classificados, Vale a pena investir?

Anúncios classificados. Vale a pena investir?

Foram eles, os anúncios classificados, que deram origem à propaganda moderna. Essa forma de divulgação de produtos e serviços já existia no Brasil desde o século retrasado e ajudam historiadores a pesquisar sobre a vida das pessoas em alguns momentos da história. Por exemplo: classificados do tipo “Dr. Fulano de Tal trata tais e tais doenças” ou “venda de escravos e anúncios de negros fugidos” eram comuns nos jornais cariocas daquele tempo. Mas hoje, diante de tantas opções de anúncios, propagandas e formas diferenciadas de divulgação de produtos e serviços, será que ainda vale a pena investir neles?

Para o publicitário Eduardo Jaime Martins, o classificado é uma importante ferramenta de vendas para as empresas e uma indispensável fonte de pesquisa para o consumidor. Ou seja, ele não pode ficar de fora de um planejamento de vendas eficiente. Apesar de sua importância, ele não substitui a publicidade convencional. “O classificado é mais um dos mecanismos que as empresas dispõem para compor suas estratégias de comunicação integrada de marketing e pode ser muito útil para as vendas”, explica Eduardo.

Prepare-se para o investimento

Para anunciar em classificados não é obrigatório que a empresa ou pessoa física contrate uma agência de publicidade ou consultoria. Mas, segundo Eduardo Jaime, com uma empresa especializada certamente o cliente contará com toda uma expertise na área, o que o ajudará a atingir seu público com eficiência. “Para escolher uma empresa, sugiro que a pessoa compare os portfólios das agências. A internet pode ser de grande ajuda nesse sentido”, esclarece.

Para o publicitário Eloi Zanetti, a assessoria de uma agência é importante em casos de ofertas de classificados maiores. Nesse caso, ela pode ser útil para fazer algo criativo. “Existem agências especializadas em classificados de contratação de pessoal, de imobiliárias, automóveis, entre outras. De acordo com o seu objetivo você pode contratar a mais apropriada”, indica Eloi.

O preço de um anúncio em classificados varia de veículo para veículo. Zanetti explica que, apesar dessa variação, o valor normalmente é medido por número de palavras, tamanho do texto ou até na relação centímetro x coluna.

Como anunciar

De acordo com Eloi Zanetti, os jornais e revistas mantêm um departamento de classificados que orienta quem precisa anunciar e sobre a melhor forma de se fazer. “O item classificado é responsável por uma boa parte do faturamento do veículo. Em alguns jornais, ele chega a representar 60% do faturamento, como é o caso do Correio Brasiliense”, conta.

O gerente de marketing da Folha de São Paulo, Paulo Siqueira, explica que existem diversos caminhos para se anunciar. A primeira coisa que deve ser feita é o cadastro com todos os dados pessoais necessários. A partir desse cadastro, a pessoa terá a possibilidade de fazer o seu anúncio por telefone, nos balcões de anúncios, através da visita de um executivo de vendas ou pela internet. Tudo depende dos objetivos do cliente e do tipo de anúncio que ele deseja fazer.

Destaque seu anúncio

O universo dos classificados é cheio de poluição. Ao cogitar a possibilidade de veicular um anúncio dentre tantos outros, muitas pessoas relutam e questionam se realmente o investimento vale a pena. Segundo Eduardo Jaime, atualmente os veículos e as agências buscam cada vez mais a diferenciação. “Formatos, mensagens, novas idéias e soluções estão sempre aparecendo para chamar a atenção do consumidor”, aponta.

Paulo Siqueira informa que os anúncios de maior valor ocupam conseqüentemente maior espaço e têm melhor visualização. “Nos casos de anúncios comuns, no esquema de centímetro x coluna, a pessoa pode fazer o que quiser. Se a sua vitrine chamar a atenção do cliente e tiver as informações sobre produtos, preços e contato, você já estará em destaque”, conta. Para ele, a comunicação é fundamental. Jargões e textos muito espalhafatosos não têm mais impacto.

Para quem se vê sem a possibilidade de contratar uma empresa especializada para ajudar na elaboração do anúncio, Eloi Zanetti dá a dica: “Se você quiser se destacar no meio da poluição, seja criativo!”.

Faça um anúncio eficaz

Como recomenda Eduardo Jaime, uma agência é sempre o caminho mais adequado para quem pretende anunciar de maneira eficaz. “Com a segmentação do mercado, só mesmo profissionais da área estão devidamente preparados para adequar uma mensagem a um público específico”, defende.

Preste atenção no texto de seu anúncio. Para Paulo Siqueira, a comunicação inadequada é um dos principais erros que ocorrem nos classificados. Para não cometer esse erro, primeiro determine o público que pretende atingir, depois analise e faça a comunicação mais apropriada para esse público. “Não utilize valores que estejam fora do mercado. Seja claro e objetivo”, alerta.

Depois, meça os resultados

Após fazer o anúncio é hora de medir resultados. Existem várias maneiras de o anunciante medir o retorno de seu investimento. Segundo Eduardo Jaime, o número de contatos recebidos via telefone, por exemplo, pode ser uma boa forma de medir o retorno.

Paulo Siqueira explica que a Folha sempre sugere que o anunciante meça o quanto e de onde vem o retorno. “Hoje a publicidade se popularizou de tal modo que medir de onde veio o retorno ficou muito mais difícil”, conta. Na Folha de São Paulo, cerca de 75% dos anunciantes que experimentam voltam a anunciar.

Quer medir de maneira fácil e barata? Faça uma oferta única, com um telefone único para resposta. Dessa forma, basta identificar a quantidade de ligações que recebeu e terá o retorno de seu anúncio!

5 dicas para você lembrar na hora de anunciar:

» Escolha o tipo de anúncio de acordo com seus objetivos.
» Seja claro e objetivo nas informações.
» Use a criatividade na produção do anúncio.
» Utilize a comunicação adequada ao seu público.
» Faça uma oferta única e com um telefone único para resposta.

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima