Aprenda a conviver com seus colegas

Melhore as relações no trabalho. Aprenda a conviver com seus colegas para obter relacionamentos e resultados mais construtivos.

Como anda o relacionamento entre você e os colegas da equipe na qual trabalha? A "mais perfeita harmonia" ou "o clima pega fogo todos os dias"? Talvez, não seja nenhum dos dois extremos, mas certamente você deve ter exemplos de desavenças, fofocas e conflitos na interação entre vocês.
Apesar de essas situações fazerem parte do dia-a-dia de muitas empresas, ninguém gosta de conviver num clima pesado, assustador e inseguro. "Trabalhar na "corda bamba", imaginando que qualquer coisa que faça ou diga pode virar chacota ou fofoca, tira qualquer pessoa de sua estabilidade e conseqüentemente de seu melhor desempenho. Quem está num ambiente mais tranqüilo e gosta das pessoas com quem convive certamente trabalha mais leve, feliz e sem preocupação de se manter na defensiva. Assim, o resultado e o alto desempenho aparecem de forma natural", explica Ana Artigas, que é coach, professora de MBA e diretora de projetos da Tekoare.
No entanto, será que é possível ter interações melhores no ambiente de trabalho e criar um clima mais agradável para a convivência? Para os especialistas ouvidos nesta matéria, a resposta é sim. "Todos nós temos condições de aprender a conviver melhor e nos relacionarmos de maneira saudável com as outras pessoas, o que implica perceber o outro em suas particularidades e entender e respeitar as diferenças individuais. Em um ambiente saudável, a tendência é que haja menos erros, mais criatividade e produtividade", opina Aparecida Bucater, especialista em Recursos Humanos e responsável pelo curso As Relações Humanas no Trabalho – Lidando com conflitos, no IDORT/SP.
Aparecida faz questão de ressaltar que ambiente saudável não é aquele em que todos concordam e nunca discutem, pelo contrário, os conflitos são naturais em todas as relações e principalmente no trabalho. "As pessoas têm caminhos diferentes para atingir o mesmo objetivo, interesses, expectativas, além de percepções diversas. O que torna o ambiente saudável e produtivo é a presença do respeito, compreensão, solidariedade e bom humor como ferramentas para tirar o conflito do íntimo e passional e administrá-lo com equilíbrio", explica.

Conheça melhor você e seus colegas
Segundo Gustavo G. Boog, fundador-diretor do Sistema Boog de Consultoria, os profissionais precisam entender que necessitam uns dos outros para realizarem seus objetivos individuais e coletivos. E para que tenham um bom desempenho e não sejam vistos como pessoas que possuem dificuldade em se relacionar com os outros, precisam ter relações mais saudáveis no ambiente de trabalho.
O Sistema Boog de Consultoria realizou uma pesquisa com mais de 2 mil profissionais de 300 empresas brasileiras – de 2000 a 2008 –, que mostra que equipes com um clima mais positivo colhem melhores resultados de suas atividades. De acordo com Gustavo, o problema nos relacionamentos é que as pessoas acham que seu jeito de ver e fazer as coisas é o único certo. Quando se dão conta que diferente é só diferente e não errado, os relacionamentos acontecem de forma harmoniosa. "À medida que tivermos consciência de quem somos, quais são nossos modos de agir e reagir e como é o outro com o qual nos relacionamos, a dificuldade diminuirá muito e até pode desaparecer", afirma.
E para ajudar os profissionais nessa tarefa diária, os dados detalhados da pesquisa estão no livro Con-viver em Equipe – Construindo relacionamentos sustentáveis, que também especifica quais são os quatro perfis mais comuns de profissionais e como se relacionar com cada um deles. Os autores partem dos estudos dos norte-americanos Robert Moore e Douglas Gillette, que identificaram diferentes tipos de comportamento masculino e atribuíram os nomes de Rei, Guerreiro, Mago e Amante a esses perfis. Gustavo e Magdalena Boog trabalham com essa linha de pensamento há bastante tempo e tratam dessas diferenças de personalidade tanto em homens quanto em mulheres no livro Con-viver em Equipe. Todos temos os quatro tipos em nosso comportamento, porém temos um mais predominante, dois segundos que são considerados de apoio e um quarto perfil menos desenvolvido.
Como as equipes costumam apresentar todos, é interessante conhecer cada um deles para saber como se relacionar com seus colegas. O primeiro passo, no entanto, é identificar seu perfil predominante. "Santo Agostinho já dizia: "conheça-te a ti mesmo". Esse é o nosso grande desafio. É importante ouvir e refletir sobre a percepção que os outros têm de nós, observar o impacto de nosso comportamento sobre o outro e aprender mais sobre nós mesmos", avisa Aparecida. No site do Sistema Boog de Consultoria, é possível fazer um teste para identificar seu perfil. Acesse-o (www.boog.com.br) e descubra se predomina em você o tipo Rei, Guerreiro, Mago ou Amante.

Rei, Guerreiro, Mago e Amante Conheça melhor cada perfil para saber quais são as maneiras mais adequadas para se relacionar com seus colegas.

Rei
É o tipo inovador, iniciador de projetos. Sua pergunta que costuma conduzir suas ações é "para que isso precisa ser feito?". Suas características principais são:
» Interagir com os outros.
» Trabalhar alegremente.
» Livrar-se dos detalhes.
» Persuadir o ambiente.

Apelidos: sonhador, incendiário, inventor, poeta, artista, tagarela.
Local de trabalho: meio-termo entre bagunçado e organizado, sala espaçosa e com novidades tecnológicas.
Lamentações: "Ninguém me entende", "Não venham com detalhes", "Faltam novidades".
Motivação: motiva-se quando podem criar e moldar o mundo à sua volta, além de vibrarem com novas maneiras de fazer as coisas. O que diminui sua energia são rotinas, críticas, análises econômico-financeiras, além da possibilidade de perder o afeto das pessoas.

Guerreiro
É o tipo realizador. Sua pergunta central é "o que precisa ser feito?". Apresenta as seguintes características:
» Obter resultados.
» Realizar abordagens rápidas.
» Estar no comando.
» Ser movido a tarefas.
» Assumir riscos e mudanças.

Apelidos: trator, ansioso, estressado, impaciente, mandão.
Local de trabalho: cheio de pilhas de papéis desorganizados sobre a mesa, bagunça, fotos com personalidades da empresa, diplomas e troféus. Lamentações: "Estou sobrecarregado. O dia não tem horas suficientes", "Muita burocracia", "As coisas aqui não andam".
Motivação: gosta de sentir que a situação está sob controle e é atraído por desafios. Corre riscos e inicia mudanças que tragam resultados rápidos. Parecer fraco, perder o controle e ser passado para trás desmotivam o Guerreiro.

Mago
É o tipo organizador, estruturador. A pergunta principal é "como vamos fazer isso de forma mais eficiente?". Suas principais características são:
» Exatidão/análise.
» Padrões precisos.
» Abordagens lógicas e impessoais.
» Ordem.

Apelidos: perfeccionista, chato, burocrata, cricri, teimoso, meticuloso, detalhista.
Local de trabalho: sala muito arrumada, organizadíssimo, gráficos e organogramas na parede.
Lamentações: "Eles não seguem rotinas estipuladas", "Não estão fazendo do jeito certo", "Não leram as normas".
Motivação: motiva-se quando pode usar seus talentos e habilidades lógicas na busca da perfeição e exatidão. Detesta estar errado ou no meio de improvisos, incertezas e instabilidades.

Amante
É o tipo integrador. Tem como pergunta central "quem vai fazer?". Suas características principais são: » Cooperação com pessoas.
» Ambiente sereno.
» Previsibilidade.
» Harmonização do ambiente.
» Pouca assertividade.

Apelidos: mãezona (ou paizão), político, fingido, em cima do muro, bonzinho.
Local de trabalho: sala bastante organizada e aconchegante, fotos com sua equipe e família, plantas. Lamentações: "Aqui, falta mais espírito de equipe", "Não temos harmonia entre as pessoas", "Nem todos remam na mesma direção".
Motivação: é essencialmente voltado às pessoas, gosta de interação e costuma estar sempre disponível a ajudar os outros. O que o desmotiva são as confusões, instabilidades e situações que exijam confrontos.

Menos estresse, melhores resultados

Veja, a seguir, quais são as principais dicas para se comportar no seu dia-a-dia com cada perfil. De acordo com os autores do livro Con-viver em Equipe, seguir esses conselhos é uma forma de construir relações mais saudáveis com as pessoas.

Com o tipo Rei

» Nunca vá direto ao assunto.
» Procure ter a voz e postura pessoal alegres e descontraídas.
» Seja genérico, não entre em detalhes. Se você tiver de apresentar uma idéia nova, seja breve.
» Enfatize novidades, as abordagens nunca tentadas antes, o pioneirismo e a criatividade da solução.
» Tente estimular as idéias do Rei. Mostre tudo que pode ser feito para apoiá-lo em suas idéias.

Com o tipo Guerreiro
» Permita-lhe sentir que a situação está sob controle.
» Deixe-o a par das coisas.
» Mostre que ele é muito importante.
» Fale do que precisa ser alcançado e defina prazos.
» Apresente os fatos com alguma novidade, pois ele não gosta de mesmice ou rotina.
» Tente responder rapidamente, porque ele gosta de tudo na hora.

Com o tipo Mago
» Tudo o que você mostrar deve ser baseado em dados exatos, analisados e verificáveis.
» Apresente padrões precisos, se possível numéricos.
» Mostre gráficos, desenhos e esquemas com detalhes.
» Tenha uma abordagem mais a respeito de coisas, de lógica. Não cite tanto pessoas, emoções e sentimentos.
» Seja absolutamente ordeiro e pontual.

Com o tipo Amante
» Não seja apressado, rápido e direto.
» Conte algo pessoal e saiba que terá um bom ouvinte.
» Enfatize como o que apresentará será bom para reforçar a união entre as pessoas.
» Mostre que tudo será previsível, estável e sem imprevistos, na medida do possível.
» Não tenha pressa, pois para os Amantes é muito importante agradar. E, por isso, talvez ele leve um tempo maior para tomar decisões.

As relações entre os perfis
De forma geral, a convivência com pessoas que têm perfis semelhantes costuma ser mais fácil. Afinal, é menos conflitante interagir com quem pensa como a gente. Já as relações com indivíduos diferentes costumam ser mais difíceis, pois nem sempre sabemos agir com as características dos outros. No livro Con-viver em Equipe, os autores apresentam simulações de como se dá a convivência entre os perfis. Confira e relacione-se melhor!

Reis e Guerreiros: sinal amarelo!
Ambos são voltados aos resultados, porém, os Reis buscam o longo prazo e os Guerreiros visam o curto. Nessa relação, é comum o Rei querer que o Guerreiro interrompa suas tarefas para discutir novas idéias. Já o Guerreiro costuma pedir ao Rei que tenha mais "pé no chão" e concretize o que se propõe a fazer.

Reis e Amantes: sinal amarelo!
Eles têm em comum o fato de visarem o longo prazo, mas os Reis buscam resultados inovadores. Já os Amantes visam as pessoas e a equipe. É comum ter conflito quando o Rei quer que o Amante lhe dê atenção exclusiva para discutir novas idéias, enquanto esse deseja que o Rei se integre ao espírito de equipe.

Guerreiros e Magos: sinal amarelo!
Os dois perfis são voltados para o curto prazo. Conflitos podem surgir porque os Guerreiros desejam resultados concretos e os Magos visam a estruturação e a organização. Pode acontecer de o Guerreiro querer que o Mago tenha foco na finalização da tarefa, enquanto esse exigir que o Guerreiro seja mais cuidadoso com as normas estabelecidas.

Magos e Amantes: sinal amarelo!
Os dois perfis vivem julgando – o Mago com a razão e o Amante com o coração. O conflito típico é o Mago querer que o Amante siga as regras e o Amante pedir flexibilidade para tais normas.

Guerreiros e Amantes: sinal vermelho!
Os papéis não têm nada em comum: Guerreiros querem curto prazo e Amantes, longo prazo. Cuidado!

Reis e Magos: sinal vermelho!
Os perfis são completamente diferentes: os Reis desejam longo prazo e os Magos, curto prazo. Cuidado!

Lições para cada perfil
Depois de identificar qual é o seu tipo predominante, confira o que precisa aprender para ser mais assertivo e desenvolver relações melhores com os outros.

Rei
Aprenda a finalizar o que começa. Os Reis são ótimos na iniciativa, porém precisam ser mais objetivos na finalização de suas tarefas e projetos.

Guerreiro
Sua grande lição é desenvolver a paciência e a tolerância. Visualize mais as necessidades dos outros e seja mais participativo em sua equipe.

Mago
Policie-se para não ser tão perfeccionista e exigente consigo e com os outros. Ajuste seus padrões e expectativas a diferentes situações, compreendendo que as pessoas não são perfeitas.

Amante
Use menos "panos quentes". Aprenda a se posicionar e decidir, dizendo "não" algumas vezes, evitando adiar decisões.

5 dicas para ter relações mais construtivas no ambiente de trabalho

1. Respeite as pessoas.
2. Aprenda a ouvir os outros com atenção.
3. Utilize a empatia, colocando-se no lugar do outro para entender o ponto de vista dele (lembre-se de que compreender e reconhecer não significam necessariamente concordar).
4. Saiba expressar suas idéias com clareza, objetividade e precisão, mas sem ferir, menosprezar, humilhar e agredir o outro.
5. Seja capaz de compreender e administrar as próprias emoções.

Para saber mais
Livro: Con-viver em Equipe – Construindo relacionamentos sustentáveis
Autores: Gustavo e Magdalena Boog
Editora: M. Books

Visite os sites:
Ana Artigas – www.tekoare.com.br
Aparecida Bucater – www.idort.com
Gustavo G. Boog – www.boog.com.br

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima