Chefe novo?

Aprenda a lidar com ele

Aprenda a lidar com seu novo chefe

 

Tudo que é novo desperta curiosidade. Veja isto na sua empresa: quando alguma pessoa entra na equipe, é comum os funcionários ficarem conversando entre si, querendo saber mais a respeito dela. Esse tipo de comportamento é normal, afinal, o ser humano, inconscientemente e até conscientemente, tem o desejo de querer saber mais sobre o “diferente”. Agora, o que fazer quando esse novo funcionário é seu chefe? Algumas pessoas respondem que é simples conviver com o novo líder, mas outras não veem dessa forma.

 

            Caroline Mendes é um exemplo disso. Há dois anos, ela assumiu a liderança da equipe de vendas, mas, para os colaboradores da empresa a aceitarem como chefe, demorou, em média, seis meses. Essa profissional conta que teve casos de perseguição, pois tudo o que ela fazia era questionado pelas vendedoras, que passavam o caso para a gerência – e isso dificultava bastante o processo de integração com a equipe. E quando a relação profissional com o chefe antigo foi muito boa, a recepção do novo líder pode ser ainda mais difícil. No entanto, a consultora de recursos humanos da Catho Online, Gláucia Santos, explica que essa reação resistente dos funcionários é comum, mas pode ser prejudicial: “A entrada de um novo líder é uma mudança muito significativa, pois exige compreensão e adaptação de ambas as partes. Se a equipe se mostra muito resistente ao novo líder, as chances de que haja desligamento podem ser grandes, pois o chefe passará a ver essa pessoa como uma ameaça ao seu trabalho”.

 

Os dois lados da integração – Para um bom envolvimento profissional, também é necessário que o líder faça sua parte. De acordo com Gláucia, o primeiro passo que o líder deve dar é o de se apresentar, explicar suas expectativas, marcar uma entrevista com cada um dos colaboradores a fim de conhecê-los individualmente e se integrar com todas as atividades. “Isso facilita bastante o processo de integração e torna a comunicação mais direta”, afirma a consultora.

Se você acabou de assumir a liderança de uma equipe, tenha calma. Um erro muito cometido pelos novos líderes é o de tentar mudar a rotina da equipe, isso gera uma grande insatisfação nos colaboradores. Por mais que tenha bons motivos, o processo de mudança deve exigir um pouco mais de paciência, assim, aos poucos, as coisas vão acontecendo.

 

Agora, se você está do outro lado e acabou de ganhar um novo chefe, seja receptivo. Embora difícil, é necessário agir assim, afinal, ele será o seu líder e é para ele que você deve respeito, comprometimento e qualidade no trabalho, o.k.? A consultora também explica que se aliar ao novo chefe é um ponto positivo para a aproximação entre vocês, e isso ajuda no seu próprio destaque dentro da equipe. “Isso favorece não só para que o profissional não seja indicado numa possível demissão, mas também para que continue crescendo dentro da empresa”, lembra.

 

Mas vale um aviso: quando se trata de aproximação, é comum alguns colaboradores confundirem esse processo com puxa-saquismo. Se você acabou de ganhar um novo chefe, aprenda a fazer uma boa recepção e não ser um puxa-saco de primeira, ou seja, não vá contra ele, mas também não seja um acolhedor de todos os seus pensamentos. Mantenha seu ponto de vista com respeito e comprometimento com a equipe.

 

Veja o que a consultora Gláucia aconselha para você se sair bem nessa missão e aproveitar o que o novo líder tem a oferecer, acompanhe!

 

  • Construa uma nova imagem profissional – A entrada de um novo líder pode ser a chance de você mostrar ainda mais o seu trabalho. Se não teve essa oportunidade com o outro chefe, chegou a hora.
  • Demonstre para o novo líder seu potencial – Mostre seu trabalho, o quanto conhece a área e todas as coisas em que você pode ajudar, mas lembre-se de que não se pode confundir profissionalismo com oportunismo.
  • Aprenda com o líder – Profissionais de fora sempre têm a contribuir com sua experiência, e isso não pode ser descartado.

 

Caroline Mendes é um nome fictício para preservar a identidade da fonte.

 

Colaboração: Cristiane Dias

 

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima