Coaching – Metodologia para conquistar grandes resultados

Roberta Vieira Ribeiro fala com exclusividade sobre como utilizar o coaching de maneira inteligente e produtiva

As empresas teriam muito a ganhar em eficácia abrindo espaço de qualidade para a prática dessa ferramenta de gestão

“A maioria dos gestores não pratica o coaching de maneira eficaz, e isso se verifica também na área de vendas. De maneira geral, os gestores continuam mais focados em cobrar resultados do que desenvolver os talentos de suas equipes”. A afirmação é de Roberto Vieira Ribeiro, diretor do Instituto Motivação e Resultados de Psicologia, Programação Neurolinguística e Coaching. Para ele, essa é uma das razões de ainda encontrar-se certa resistência na prática dessa ferramenta por parte de muitas empresas.

Com dupla formação em coaching pelo Integrated Coaching Institute (ICI) e mais de 2.500 horas de prática junto a executivos, líderes e gestores de empresas como Colorfix, Fuji Autotec, Cocamar – Cooperativa Agropecuária, entre outras, Roberto é também palestrante, consultor, desenvolve programas de treinamento customizados e autor do livro Assim é que se faz, editado pela Qualitymark. É autor e instrutor de um workshop de muito sucesso entre líderes e gestores, conhecido como Aprenda Coaching.

O especialista afirma que a essência do coaching é a confiança e o método é o mais eficaz que ele conhece na promoção de mudanças de comportamentos. Roberto Vieira Ribeiro nos recebeu em seu escritório e fala com exclusividade sobre como utilizar o coaching de maneira inteligente e produtiva.

A maioria das empresas utiliza o coaching eficazmente?

Ainda há bastante confusão a respeito do que é coaching, os resultados que ele pode proporcionar e como praticá-lo de maneira correta. De maneira geral, os gerentes continuam mais focados em cobrar resultados do que em desenvolver os talentos da equipe. O que é compreensível, na medida em que são pressionados a produzir resultados em ciclos curtos de tempo. Mas é um equívoco, porque o coaching é o método mais eficaz que eu conheço para promover mudanças de comportamentos e, por consequência, criar as melhores condições para produzir os melhores resultados mais rapidamente e com consistência.

Deve-se definir prioridades para o coaching ou ele é uma ferramenta genérica que serve para todo mundo?

A abordagem coaching pode ser empregada genericamente, desde que a pessoa aprenda a maneira correta de fazê-lo, porque é um instrumento poderoso para a comunicação eficaz. Por outro lado, o processo de coaching exige alguns cuidados antes de ser empregado, iniciando por esclarecer a pessoa do que se trata, se ela está apta a recebê-lo e, igualmente importante, se ela quer isso. (Confira o teste de aptidão no final desta entrevista) Ou seja, obrigar alguém a receber coaching seria um grande equívoco, maior até do que desconsiderar o emprego dele. Conversar diretamente com o candidato a coaching, seu líder imediato e a pessoa do RH é necessário para esclarecer todos os aspectos envolvidos.

Quando os gestores devem adotar o coaching junto a suas equipes de vendas?

Há duas situações distintas. A primeira é o que eu chamo de empregar a “Abordagem Coaching” para garantir uma comunicação efetiva na promoção de ações que resultarão na obtenção das metas. É estimular o pensar para empregar melhor o próprio potencial, saindo da chamada “zona de conforto”, promovendo o aumento da consciência e da responsabilidade. A segunda situação é empregar o “Processo de Coaching” para desenvolver uma determinada competência, consistentemente, conforme a necessidade de cada pessoa da equipe. Deve ser empregado pontualmente. É comum contratar coaches externos (profissional que conduz o processo de coaching) para conduzir esses processos porque costumam exigir maior experiência e fundamentos do coach, além do fato de que o coachee (cliente do processo) tende a ficar mais a vontade, uma vez que todas as questões tratadas nas reuniões de coaching estão protegidas por sigilo.

Como as empresas devem se preparar para utilizar essa ferramenta? Há pré-requisitos que devem ser considerados?

O que, absolutamente, não deve ser feito é iniciar a implantação do coaching com os profissionais ou áreas da empresa considerados problemas, pois isso pode determinar o fracasso antecipado do programa. Afinal, ninguém quer ser visto como tal. Antes de tudo a empresa deve definir o que ela quer obter através do coaching. Se é desenvolver pessoas o uso da sua capacidade de pensar, liderar, criar e empregar da melhor maneira possível o máximo do potencial que têm, então, o ideal é iniciar o mais alto possível na hierarquia. Não que o presidente da empresa, por exemplo, necessariamente precise de maior desenvolvimento, muito pelo contrário. É justamente para sinalizar que o coaching deve ser direcionado para os maiores talentos, porque se trata de investimento, não de despesa, e como tal é aplicado onde é maior o potencial de retorno. E, na medida em que essas pessoas tenham incorporado a abordagem em suas rotinas, outros líderes devem ter a oportunidade de contar com este apoio, até chegar aos demais executivos, tais como os vendedores com melhores resultados e potenciais de crescimento.

É comum empresas, seus gestores e equipes apresentarem barreiras à prática do coaching?

Eu ainda encontro resistência à prática do coaching com certa frequência. E atribuo isso as seguintes causas:
informações incorretas, posturas equivocadas, processos mal conduzidos, quebra de confiança, expectativas fora da realidade do processo e a exigência de resultados impossíveis.

O coaching ajuda os vendedores a se planejarem melhor?

O coaching é um processo estruturado, e, portanto, facilita o planejamento. Toda a conversa coaching gira em torno de alguma meta e, por consequência, leva em conta a situação presente em relação a ela, o caminho a ser percorrido, os possíveis obstáculos, os recursos necessários, os que estão disponíveis, rotas alternativas, etc. Ou seja, o plano a ser seguido. Quando o vendedor aprende a abordagem coaching ele inclui o planejamento das suas ações diárias quase sem perceber, porque isso faz parte da estrutura e da linguagem do coaching. E, naturalmente, com planejamento, o tempo é melhor aproveitado e as ações são mais certeiras em relação às metas pretendidas. Esse é um motivo porque compensa para as empresas treinarem os vendedores na abordagem coaching, além dos líderes e gestores. Além disso, costuma proporcionar grande retorno financeiro investir em processos de coaching para os vendedores mais promissores, a fim de que eles ajustem comportamentos e aprimorem determinadas competências que contribuirão para a realização de negócios.

Como fornecer, através dessa ferramenta, um feedback eficaz? Há abordagens estratégicas para isso?

Promover feedbacks eficazes é, talvez, uma das maiores qualidades do coaching. Por isso o indico para gestores, principalmente de vendas. Há 5 passos estratégicos (e 4 habilidades) que apoiam um bom feedback: 1) determinar o foco; 2) criar alternativas; 3) planejar a ação; 4) antecipar obstáculos; e 5) confirmar a comunicação. Reforço sempre esses passos em workshops, treinamentos e práticas que ministro.

Você está pronto para o coaching?

Responda com “sim” ou “não”

  • Eu estou pronto para investir tempo em mim
  • Os meus exercícios de coaching farão parte da minha agenda
  • Estou pronto para fazer o trabalho necessário ao meu desenvolvimento pessoal e profissional
  • Tenho objetivos a atingir que serão meu foco em coaching
  • Estou pronto a descartar comportamentos que impedem ou limitam o meu sucesso
  • Entendo que o foco do coaching é contribuir para que eu atinja minhas metas, diferentemente de terapia, a qual tem foco em traumas emocionais
  •  Vou me empenhar em ter ações consistentes para atingir meus objetivos, mesmo quando não alcançar resultados imediatos
  • Estou pronto para testar novos conceitos, mesmo não tendo certeza se eles irão funcionar
  • Reconheço que existe um “gap” entre onde estou e onde quero chegar
  • Estou pronto para trabalhar em colaboração com o meu coach para idealizar metas e planos de ação que me possibilitarão expandir minhas habilidades
  • Estou pronto para criar o apoio que preciso para gerar mudanças em minha vida
  • Reconheço que sou totalmente responsável por minha vida e pelas decisões que tomo

Fonte: ICI – Integrated Coaching Institute

Para saber mais:

Acesse a íntegra desta entrevista no endereço: www.vendamais.com.br/plus

Roberto Viera Ribeiro – www.motivacaoeresultados.com.br / www.robertovieiraribeiro.com.br

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima