Confira a entrevista com Marcia Luz

Marcia Luz

Acompanhar a trajetória de Lucio Queiroz é uma lição para a vida pessoal e profissional. A queda e a luta por uma segunda chance são também pano de fundo para os conceitos de “Liderança Transformadora”. Pelo modo envolvente como a história é contada, o leitor é levado a refletir sobre a sua própria vida.

Sobre o que trata exatamente seu livro Agora é Pra Valer? Qual a grande mensagem?
Agora é pra valer! – A verdadeira história de quem passou de chefe dos outros a líder de si mesmo” (DVS Editora), é uma obra que tem como protagonista Lucio Queiroz, um personagem da ficção que é construído de modo autêntico, pois carrega em si inúmeros perfis de chefes, gerentes e coordenadores que não se sentem à vontade com os novos paradigmas da liderança e continuam agindo de modo conservador. Você acompanhará a saga de Lucio Queiroz, um homem que com toda certeza lembrará vários chefes que você mesmo já teve. E garanto que qualquer semelhança com a realidade não terá sido mera coincidência. Não inventei nada, nenhuma das atitudes extremas do personagem, por incrível que possa parecer, foram fruto de minha imaginação. Apenas misturei episódios protagonizados por alguns gerentes que conheci em meus 20 anos de trajetória como formadora de gestores. Acompanhar a trajetória de Lucio Queiroz é uma lição para a vida pessoal e profissional. A queda e a luta por uma segunda chance são também pano de fundo para os conceitos de “Liderança Transformadora” apresentados no livro.

Pelo modo envolvente como a história é contada, o leitor é levado a refletir sobre a sua própria vida. A narrativa o leva a detectar se existe a necessidade de realizar mudanças em sua conduta, sem que tenha que passar pela crise que viveu o protagonista do livro.

Como você começou como palestrante?
Olha, Raul, comecei há tanto tempo que fica até difícil recuperar o fio da meada. A primeira palestra que dei em minha vida foi aos 15 anos de idade, numa igreja. Profissionalmente, comecei aos 22 anos de idade, como palestrante da Caixa Econômica Federal, onde eu trabalhava.

Que tipo de empresa geralmente contrata seus serviços? O que buscam?
Como já faz mais de 20 anos que trabalho neste ramo, atendo todo tipo de empresa, públicas e privadas, grandes e pequenas. Sou conhecida por ministrar palestras que trazem muito conteúdo, mas sempre embalado numa forte dose de emoção, seja ele o humor, o afeto ou a provocação para a mudança. Meus clientes são fiéis, e não só me recontratam como indicam para outras empresas.

Por outro lado, que tipo de evento ou treinamento não é adequado para você? Ou seja, que tipo de problemas, situações ou treinamentos você geralmente prefere não aceitar ou indicar algum colega?
Atuo em diversas frentes de trabalho, mas não peça para fazer nada ligado à matemática financeira ou coisas do gênero. Realmente não é minha praia.

Qual seu diferencial em relação a outros palestrantes? Qual sua ‘marca registrada’?
Com certeza é mexer com a emoção, com a alma das pessoas.

Além do seu próprio site (www.marcialuz.com.br), que outros sites na nossa área você recomendaria?
Vou indicar um grupo que criei no facebook e que está muito interessante. O nome é “Adoro Cinema” e lá trocamos dicas de filmes para uso em treinamentos ou apenas para lazer. Temos já 5000 participantes e todos colaboram muito para o crescimento e aprendizagem dos demais. O endereço é: www.facebook.com/groups/233918930035381

Quais são seus livros de negócios ou autores preferidos?
Sugiro sempre a leitura de Matthew Kelly com os livros “Os 7 níveis de intimidade” e “O ritmo da vida”, ambos da editora Sextante. São maravilhosos.

Qual sua palestra mais memorável, a que mais lhe marcou?
Não vou falar da mais memorável e sim da mais recente. Ontem, na Malwee, em Jaraguá do Sul. Participaram 350 gerentes pela manhã e 350 à tarde. Na turma da tarde a reação do grupo foi surpreendente. Convidei-os para cantar comigo a música de encerramento e todos vieram para o palco transformando o final da palestra numa grande festa. Foi muito emocionante!

Qual a situação mais desastrosa ou engraçada que já ocorreu numa das suas palestras/eventos?
Eu sou especialista em levar tombos, e isso já aconteceu em vários treinamentos. Em um deles, um game temático chamado Piratas do Caribe, eu estava no momento de abertura, quando entro com minha equipe todos vestidos de piratas, fazendo a performance inicial, eu escorreguei na escada e “caí de quatro”! No fim do treinamento os participantes vieram perguntar se o tombo fazia parte do show… Achei muita graça e contei a verdade, é claro!

Qual é o maior erro que você nota nas convenções ou treinamentos das empresas?
Algumas palestras são contratadas apenas como eventos pontuais, sem estarem alinhadas com a política de RH da empresa. Assim, o efeito da palestra dura apenas poucas semanas e depois tudo volta quase à zero, porque não há um trabalho de continuidade. É por isso que nas minhas palestras sempre deixo uma “lição de casa”, um plano de ação, de tal forma que o participante já saia do evento precisando aplicar o que aprendeu.

Porque você acha que tantas reuniões e treinamentos são chatos ou improdutivos? O que poderia ser feito para melhorar isso?
Muitos gestores não sabem exatamente onde querem chegar com cada ação, assim elas ficam desatreladas do contexto da empresa e não geram resultados. Reuniões precisam ter pauta prévia divulgada para os participantes e precisam gerar plano de ação, de tal forma que necessariamente impliquem em implementação das ações combinadas.

Que grande conselho ou dica você daria para alguém que quer melhorar seus resultados no trabalho e/ou na vida?
Adquira o hábito da leitura. Um livro por mês é o mínimo aceitável para quem quer se autodesenvolver. Comece lendo apenas 10 minutos por dia, todos os dias, sem falhar, e você vai superar fácil, fácil a meta de um livro por mês.

Algum último recado que queira dar aos nossos leitores?
Espero poder colaborar com o seu crescimento com o meu livro “Agora é pra Valer”, o primeiro livro de autodesenvolvimento romanceado escrito por autora brasileira. Ele se encaixa na mesma categoria de “O Monge e o Executivo” ou “Liderança Radical”, só que desta vez foi feito aqui, em nosso país, e não simplesmente traduzido. Assista o book trailer em meu site.

Informação de contato:


Marcia Luz é psicóloga, pós-graduada em Administração de Recursos Humanos, especializada em Gestalt-terapia e mestre em Engenharia de Produção. Professora de pós-graduação e palestrante. Autora dos livros Lições que a Vida Ensina e a Arte Encena, Outras Lições que a Vida Ensina e a Arte Encena e Construindo um Futuro de Sucesso. Coach executiva e pessoal formada pelo ICI (Integrated Coaching Institute), com curso certificado pelo ICF (International Coaching Federation). Sócia-presidente da Plenitude Soluções Empresariais Ltda.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima