Confira a entrevista com Saulo Coelho

VENDER é domínio, qualquer pessoa pode ganhar muito dinheiro com a Venda Direta. É uma oportunidade grandiosa, se encarada com seriedade e profissionalismo.

Sobre o que trata exatamente seu livro Manual de Sobrevivência na Venda Direta?  Qual a grande mensagem?

Nos últimos anos a Venda Direta cresceu vertiginosamente no Brasil, o que nos coloca nas primeiras posições mundiais neste segmento de mercado. Eu acompanho o mercado desde 1992. Vi e vivi muitas situações de sucesso e fracasso. Aprendi alguns segredos vitais de como manter-se ativo e produtivo no Sistema de Venda Direta. Após observar que a maioria das pessoas iniciava e logo depois desistia, resolvi escrever dicas para sobreviver neste mercado.

A grande mensagem do livro é que VENDER é domínio, e que qualquer pessoa pode ganhar muito dinheiro com a Venda Direta. Que esta é uma oportunidade grandiosa, se encarada com seriedade e profissionalismo. Porém, como muitos encaram a Venda Direta como uma renda extra, enfatizo no livro que todos podem fazer dela um estilo de vida.

Qual a primeira coisa que você gostaria que alguém fizesse ao terminar de ler seu livro? Por onde começar?

Sem dúvida nenhuma, a primeira coisa é terminar de absorver as informações do livro através do site www.saulocoelho.com.vc, onde cada leitor tem direito a um escritório virtual com mais dicas e artigos sobre vendas, motivação e desenvolvimento pessoal e profissional.

Essa iniciativa é pioneira, resolvi fazer assim para “testar” o comprometimento e a persistência do leitor. Quando ele compra o livro, chega até o fim e acessa o seu escritório virtual, então demonstra características de quem pode ter sucesso.

Após isso, é claro que ele precisa dar o primeiro passo, e para isso deverá estabelecer três regras fundamentais para vencer na Venda Direta:

  1. Estabelecer prioridades em sua agenda diária;
  2. Visitar todos os dias;
  3. Estar nos treinamentos de produtos e vendas que sua empresa disponibiliza.

Como você começou nessa área?

Comecei em 1992. Meu primeiro contato com a Venda Direta foi através de uma empresa americana que havia chegado a pouco tempo no Brasil.

Logo me encantei e percebi que seria um grande negócio. Eu tinha apenas 18 anos na época, me cadastrei na empresa e comecei a fazer “o sistema”.

Foi uma experiência enriquecedora, cheguei a ter uma equipe com milhares de revendedores. Paralelo a isto, iniciei minha trajetória com pessoas e comecei a estudar o comportamento humano. Formei-me em Psicanálise, Psicoterapia e Emotologia.

Tive outras experiências na Venda Direta, além desta primeira empresa americana, sempre obtendo sucesso nas vendas.

Fundei um Instituto de excelência humana chamado Instituto Cyclos. Hoje, além do Instituto, sou treinador de uma das maiores empresas de cosméticos do mundo, a Racco Cosméticos.

Qual seu diferencial em relação a outras pessoas que falam sobre esse assunto? Qual sua ‘marca registrada’?

Na minha opinião o grande diferencial pode ser dividido em duas partes: a primeira que vivo a Venda Direta no meu dia a dia, treinando e ajudando promotores e diretores a liderarem suas equipes. O segundo é que como conhecedor do comportamento humano, não ensino baseado apenas no formato “venda isso, faça aquilo…”, forneço informações com base psicológica e emocional, e você sabe que 95% do resultado em vendas depende de estar emocionalmente preparado.

Minha marca registrada é quando as pessoas me perguntam: como você está? Respondo: CADA VEZ MELHOR!

Digo isto, porque normalmente as pessoas falam:

“Estou bem!” (e às vezes não estão!) ou dizem: “Mais ou menos”.(mais ou menos só existe em matemática!) ou “Vou levando…”

Quando você responde: ”CADA VEZ MELHOR!” Leva para seu cérebro uma mensagem positiva. Como todo pensamento, gera um sentimento que gera um comportamento e um resultado, expressar verbalmente algo transformador começa a gerar uma mudança em sua vida.

Além do mais, ao dizer isto, você cria o que chamo de “estado de mudança mental”, pois se estiver mal demonstra que pode melhorar e se estiver bem demonstra que pode ser ainda melhor!

Referências

Além do seu próprio site (http://saulocoelho.com.vc/) que outros sites na área você recomendaria?

O www.vendamais.com.br que sempre tem dicas interessantíssimas sobre vendas. E que a pessoa busque o site de sua empresa e dos líderes dela para ter dicas personalizadas para seu negócio.

Quais são seus livros de negócios ou autores preferidos?

Meu autor preferido é Anthony Robbins. Ele influenciou meu estilo de trabalho, foi através de seus treinamentos que mudei minha vida.

Outra influência profissional em Venda Direta são os empresários Luiz Felipe e Gisela Rauen, que transformaram um sonho numa das gigantes do setor de cosméticos.

Os livros que recomendo:

  • Vida a Vida – Luiz Felipe Rauen
  • Como ficar rico com network marketing – John Bremner
  • Poder sem limites – Anthony Robbins
  • Desperte seu gigante interior – Anthony Robbins
  • A mágica de pensar grande – David J. Schwartz

Sobre as Vendas Diretas

Qual é o maior erro que você nota no pessoal que trabalha com Vendas Diretas?

Pós-venda. Olha, este é um problema crônico. Muitos dos revendedores apenas tiram pedido, falta aquela preocupação em atender, acompanhar o cliente. Se cada revendedor se preocupasse em realmente fidelizar seu cliente, teria todo mês uma base formada para obter ganhos cada vez maiores.

Por que você acha que tantas reuniões e treinamentos sobre Vendas Diretas são chatos ou improdutivos? O que poderia ser feito para melhorar isso?

Tornaram-se chatos por falta de adaptação e criatividade. Adaptação porque a cultura é diferente de um lugar para o outro. Cada Líder em Vendas precisa conhecer bem seu público (sua equipe) e para quem estes vendem (consumidor final). Muitos querem sofisticar demais seus treinamentos para impressionar a equipe e esquecem que boa parte dos consumidores finais precisam apenas saber o básico do produto. Inclusive utilizo no livro Manual de Sobrevivência na Venda Direta uma técnica chamada CVBA, muito interessante por ser simples e direta no momento de falar sobre o produto.

Outro aspecto para melhorar a produtividade é entender que o mundo mudou e algo que muitas empresas de Vendas Diretas ainda não “aceitaram plenamente” são os treinamentos virtuais. Percebo que as pessoas ficam desinteressadas em irem toda semana a um lugar específico para participarem de treinamentos. Eu, particularmente, sou fã de treinamentos presenciais, porém, me rendi a treinamentos virtuais pela facilidade das pessoas participarem sem ter que enfrentar trânsito, correria, estresse, etc. Imagina, por exemplo, uma pessoa que mora em São Paulo, Rio de Janeiro ou em outras grandes capitais, sair do trabalho e enfrentar uma, duas horas ou mais de trânsito para ir ao treinamento que dura menos do que o tempo que passou no trânsito e ainda por cima depois de tudo isso voltar para sua casa? Fazer isso uma vez por mês é totalmente aceitável, mas toda semana?

Com isso, muitos não participam dos treinamentos presenciais e acabam desanimando e desistindo, ao passo que se tivessem a oportunidade de treinamentos virtuais poderiam manter-se em alta motivação.

Quanto aos treinamentos presenciais, minha dica é que estes sejam ministrados uma vez por mês, aglomerando o maior número possível de pessoas e fazer deste um verdadeiro “show”, com brindes, premiações para quem levar mais pessoas de sua equipe ou convidados e um misto de conhecimento da empresa/produto e dicas de autoestima/motivação.

Se a pessoa lidera uma equipe em mais de um bairro ou região, o que ela pode fazer além deste treinamento mensal é aproximar-se das pessoas realizando treinamentos menores nas casas das pessoas de sua equipe.

Assim sendo, o ideal neste momento é unificar o mundo real ao virtual mantendo o conhecimento e a motivação da equipe sempre constante.

Qual seu treinamento ou palestra mais memorável, a que mais lhe marcou? 

São muitas boas recordações e lembranças, mas dois deles estão em minha memória, um há alguns anos atrás quando fiz uma palestra para mais de 20.000 pessoas reunidas num estádio de futebol, na época era uma Convenção e isso me marcou bastante porque jamais havia conseguido manter a atenção de tanta gente durante uma hora, aquilo foi marcante pela grandeza. A outra experiência foi em 2011 na Convenção da Racco Cosméticos na Praia do Forte em Salvador/BA, quando subi ao palco com um extintor na mão e no fim da palestra colocamos um vídeo e mais de mil pessoas ficaram em pé, batendo palmas, cantando e altamente motivadas. Você sabe que até hoje tem gente que me pergunta o porquê do extintor?  Mas isso é um segredo em forma de brincadeira que não posso revelar aqui na entrevista, aliás, só revelo para quem assiste à palestra e tem a curiosidade de me perguntar.

Mas no geral, em todos os eventos e treinamentos costumo fazer o máximo para atingir a expectativa de quem assiste.

Qual a situação mais desastrosa ou engraçada que já ocorreu numa das suas palestras/eventos ou treinamentos?

Sem dúvida nenhuma foi à primeira vez que falei em público na minha vida! Foi numa apresentação pequena, tinha umas 20 pessoas e eu estava apresentando o plano de marketing da empresa que eu trabalhava. Foi na casa de uma pessoa da minha equipe. Estava eu lá nervoso e tremendo da cabeça aos pés, parecia que eram milhares de pessoas. Algo que eu aprendi é que as guloseimas, café e etc, só devem ser servidas num momento em que a apresentação não esteja acontecendo. Mas não foi isso o que aconteceu… Os anfitriões serviram tudo em todos os momentos. E eu estava em pé apresentando o plano e atrás de mim a mesa com as guloseimas. De repente, uma senhora levanta a mão e eu digo:

– Obrigado pelo interesse, mas as perguntas poderão ser feitas no fim. Passam alguns minutos e ela insiste com a mão levantada e eu respondo da mesma forma. Depois de um tempinho, ela levanta de novo e quando eu respondo a mesma coisa, ela me diz:

– Não meu filho, eu não quero perguntar nada, só queria que você pegasse um salgadinho de presunto e queijo para mim, está uma delícia!

Imagine a cara que fiquei?

Mas não parou aí…  Na casa também havia bichos de estimação. Depois deste constrangimento continuei nervoso, perdido, mas continuei. Até que de repente, vejo todo mundo rindo, e pensei que fosse algo comigo, e eles continuavam rindo, até que eu olhei para trás e tinha um gato na mesa tomando a minha água!

Puxa como foi louca essa experiência, ainda mais sendo a primeira, imagina como me senti?

Conselho: que grande conselho ou dica você daria para alguém que quer melhorar seus resultados no trabalho e/ou na vida?

PERSISTA! As pessoas vão querer derrubar você. No livro tem um capítulo intitulado: por que duvidam de você? No início deste capítulo há uma frase que diz: “Para as pessoas que acreditam em você, dê amor, carinho e atenção, pois estas te carregam no coração… Para aquelas que duvidam de você e te invejam, dê para elas um boné com a sua foto, pois não te tiram da cabeça!”

Esta é uma verdade universal: você não precisa agradar a todos, mas sem dúvida, agrade a você mesmo!

Algum último recado que queira dar aos nossos leitores?

Obrigado por lerem a entrevista. A gratidão é um bem maior. Quando a temos e reconhecemos estamos dando um enorme passo na vida.

Por isso agradeço a todos pelas oportunidades que me deram, são muitas pessoas, mas no campo profissional não posso deixar de mencionar a grande família Racco que acolhe nosso trabalho e oportuniza as pessoas para serem melhores e maiores. No campo pessoal, minha eterna namorada, Mônica Coelho e minha equipe no Instituto Cyclos.

E claro, agradeço a você, Raúl Candeloro, pela oportunidade de ser entrevistado nesta coluna da Revista VendaMais.

Informações para  contato:


Saulo Coelho trabalha, desde 1992, desenvolvendo pessoas e empresas. Psicanalista, Psicoterapeuta, formado em Emotologia, inscrito no CRT 45498. É Executive Coach associado ao ICC – International Community Coaching. Sua formação em PNL é Master Pratitioner pela Sociedade Brasileira de Programação Neurolinguística (SBPNL). Participou do UPW Mastery com Antony Robbins, que se tornou sua principal fonte de desenvolvimento. Anualmente participa das mais diversas conferências mundiais sobre PNL e PND (Psiconeurodinâmica). Atualmente é treinador de uma das maiores empresas de cosméticos da América Latina. Treina mais de 20.000 pessoas por ano, através de palestras, treinamentos e workshops, em diversos países como Portugal, Bolívia, Paraguai, Angola e Brasil.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima