Criatividade coletiva

Exerça a criatividade fuçando as idéias dos outros! Procurar sarna para se coçar olhando o que os outros estão fazendo pode parecer estranho, mas é a melhor forma de ser criativo. Ao contrário do que muita gente pensa, competição exacerbada acaba com a criatividade. E tudo começa cedo: quando a gente é um entre milhões de espermatozóides tentando alvejar o óvulo. Como a gente venceu competindo, então usamos esse modo de agir por toda a vida, achando que seremos bem-sucedidos sozinhos.

Na escola é proibido colar. Não que isso seja certo, mas está comprovado que nossa inteligência não é a mesma que a do nosso vizinho de carteira. Então, por que ele não poderia nos ajudar em algumas coisas e nós o ajudaríamos em outras? Coisa de quem acha que pode vencer na vida sozinho. Machado de Assis acabou me ensinando a frase que mais valorizo quando o assunto é troca de idéias: ?Quem troca pães fica com um pão, quem troca idéias fica com duas?. Quer mais? Confira.

» Johnson & Johnson ? 1980 ? Eu, que era engenheiro da empresa, acabei de ser promovido a gerente de produção da fábrica de escovas e fio dental, e uma das injetoras de estojos de fio dental estava com uma perda de 25%, o que é absurdo.

Depois de falar com todos os especialistas no assunto, a solução proposta foi comprar um molde novo por um milhão de dólares. Fuçando e conversando com o operador da máquina, descobri que uma caixa de papelão que recolhia os estojos danificados soltava fibras que ?sujavam? o plástico e causavam o defeito.

O custo da resolução do problema foi um balde de plástico para substituir a caixa de papelão ? mais ou menos três reais hoje. No dia seguinte, a perda tinha baixado para os níveis normais de injeção das outras máquinas.

Perguntei ao operador por que ele não tinha falado antes e ele me disse que tentou umas 20 vezes, mas o gerente anterior era muito ocupado e nunca parava para ouvi-lo. Se a Johnson & Johnson ouvisse mais seu pessoal talvez tivesse continuado tão forte como era.

» Pizza Hut ? Há sete anos, entrei na primeira loja da Pizza Hut no Rio de Janeiro. Tinha acabado de ser demitido da J. Macêdo e assumi, ao mesmo tempo o Moinho da Luz e a Pizza Hut.

Fui à segunda loja ver o quadro de registro do uso de material que controlava as perdas. No canto superior esquerdo, havia um bonequinho desenhado parecido com uma pizza. Gostei e perguntei quem tinha feito. Todo mundo fugiu de medo. Aí, disse que tinha gostado e novamente perguntei quem tinha feito. Então, a autora que era gerente da loja apareceu.

O personagem virou o Panpito (nome que surgiu em concurso com os funcionários), que deu origem a um programa de relacionamento que se iniciou com um natal para crianças carentes e que depois mandou cartões para crianças que passaram a freqüentar a Pizza Hut para conviver com o Panpito. Tudo isso foi idéia de pessoas que trabalhavam na Pizza Hut.

Resultado: 50 mil sócios do Panpiclube, sendo que 70% deles nunca havia pisado na Pizza Hut. Se ela e outros franqueadores por aí ouvissem mais os seus franqueados, talvez tivessem mais sucesso.

Desça a escada, apareça na loja e fuce. As idéias vão aparecer. Implemente uma de cada vez. Se der certo, continue. Se não, tente outra. Só não dá para não fazer nada.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima