De fugitivo a vencedor

Samuel Klein já deve ter ouvido muitas vezes alguém lhe dizer que sua vida daria um filme. Mas essa é a expressão que vem à mente de quem se depara com a incrível história desse imigrante judeu que escapou da morte certa em um campo de extermínio nazista para tornar-se rei do varejo no Brasil Samuel Klein já deve ter ouvido muitas vezes alguém lhe dizer que sua vida daria um filme. Mas essa é a expressão que vem à mente de quem se depara com a incrível história desse imigrante judeu que escapou da morte certa em um campo de extermínio nazista para tornar-se rei do varejo no Brasil.

Klein nasceu em Zaklikov, na Polônia. Com o pai, aprendeu a profissão de marceneiro. Quando o exército alemão invadiu seu país, durante a Segunda Guerra Mundial, ele foi levado com o pai para Maidanek, o terceiro maior campo de extermínio instalado pelos nazistas. Sua mãe e seus irmãos foram levados para Treblinka, de onde nunca mais saíram. Em 1944, quando o exército russo chegou à Polônia para libertá-la dos alemães, Klein e outros prisioneiros foram levados rumo a Auschwitz, o mais temido de todos os campos de extermínio. Como não havia mais trens, teriam de caminhar a pé por cinqüenta quilômetros.

Ao pararem em um vasto campo de trigo, Klein percebeu a oportunidade para escapar. Apesar de arriscada, aquela talvez fosse sua única chance de sobrevivência. Pediu licença a um dos soldados para fazer suas necessidades fisiológicas e embrenhou-se na plantação. Com muito cuidado, foi se afastando em meio ao trigal. No dia seguinte, ouviu, apavorado, cachorros latindo. Mas seu alívio foi grande quando encontrou-se com poloneses cristãos, que também se escondiam dos alemães. Foram os poloneses que lhe deram alimento e o ajudaram a fugir.

Klein conseguiu voltar para a sua antiga casa na Polônia, que estava completamente destruída. Em troca de comida, foi trabalhar em uma pequena fazenda nas proximidades. Ao final da guerra, reencontrou alguns de seus irmãos e foi para a Alemanha, onde, para sua grande surpresa, descobriu que o pai ainda estava vivo. Samuel queria emigrar para os Estados Unidos, mas não conseguiu porque a cota de imigração já estava preenchida. Obteve um visto para a Bolívia, para onde rumou mas, na época, o país estava à beira de uma revolução. E foi assim que Samuel, já casado e com um filho pequeno, teve de emigrar novamente, desta vez para o Brasil.

Estabeleceu-se em São Caetano do Sul, na Grande São Paulo, onde iniciou sua fascinante carreira de comerciante. Comprou uma charrete e virou mascate, vendendo de porta em porta roupas de cama, mesa e banho. Após cinco anos de trabalho duro, já havia reunido dinheiro suficiente para abrir sua primeira loja que, com o tempo, se multiplicaria de uma forma espantosa. Hoje as Casas Bahia têm mais de trezentas filiais espalhadas por todo o país, o que faz dela uma cadeia de lojas maior que a soma de suas cinco principais concorrentes. Ao falar de seu sucesso, Samuel Klein diz: ?Um mais um é igual a dois. Mas uma idéia mais uma idéia é igual a milhares de idéias.?

Números das Casas Bahia – Os números das Casas Bahia são realmente de impressionar: mais de 10 milhões de clientes cadastrados, 6 milhões deles com carnês de crediário ativos.

– As Casas Bahia compram 18% de tudo o que a indústria eletroeletrônica brasileira produz.

– A previsão de faturamento para 2005 é de um aumento de mais 25%, levando as vendas para a marca dos R$ 10 bilhões.

– Fecharam 2004 com 400 lojas, ano em que abriram 60 novos pontos-de-venda. Para 2005, planeja-se abrir mais 50 novas filiais.

– A empresa tem por norma dedicar 3% do faturamento bruto da rede para publicidade e propaganda. É a maior anunciante do mercado publicitário brasileiro. E o investimento compensa.

Frase ?Quanto maior o problema, maior a oportunidade? Samuel Klein Para Saber Mais: Sopa de Pedra, de Ricardo Bellino (Editora Campus) ?Um homem de sucesso é aquele que consegue erguer uma base firme com os tijolos que os outros atiram nele? David Brinkley

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima