De olho na saúde

Quais são as últimas pesquisas, novidades e tendências do mercado?

Que vendedor é uma profissão difícil, ninguém discute. Mas existem ocupações bem piores. Segundo um levantamento feito pelos Institutos Nacionais de Saúde, versão norte-americana do Ministério da Saúde, a média de pessoas estressadas em todas as profissões é de 7%. No campo de vendas, 8% dos profissionais sofrem com estresse, menos do que enfermeiros, garçons, escritores e até comediantes. Confira as 10 profissões mais estressantes:

10. Vendedores – Muitos trabalham apenas com comissão, o que causa certa incerteza. Longas horas de trabalho também afastam o vendedor do convívio dos amigos e da família. A liberdade que a profissão traz não compensa para os 8% dos vendedores que se sentem deprimidos.

9.  Contadores e assessores financeiros – Imagine que, graças a você, uma pessoa perdeu metade de tudo o que economizou na vida. Agora imagine ouvir o desespero desse cliente. Multiplique por algumas centenas de pessoas que podem compor a sua carteira.

8.  Encanadores – A profissão em que a fossa metafórica encontra a fossa física. Além disso, as chamadas podem vir a qualquer momento (nunca se sabe quando um encanamento vai entupir) e a remuneração é muito baixa.

7.  Assistentes administrativos – Não tomam as decisões, mas fazem tudo para que a vida daqueles que tomam seja facilitada. Muitas vezes, são as únicas pessoas que sabem como uma empresa funciona e, por isso mesmo, recebem pedidos de todo mundo.

6.  Professores – Alunos esperam uma coisa, os pais outra, a direção outra e a secretaria de ensino ou equivalente tem ainda outra recomendação. Além de toda essa pressão, a profissão não é a mais bem remunerada do mundo.

5.  Escritores, comediantes e artistas plásticos – Eles não podem contar com pagamentos regulares todos os meses. E, para completar, essas profissões tendem a levar a pessoa ao isolamento. Dos artistas, 9% sofrem de depressão.

4.  Profissionais da medicina – Médicos, enfermeiros, terapeutas e outros trabalham em horários irregulares, lidam com mortes, traumas e desesperos de familiares o dia inteiro.

3.  Assistentes sociais – De um lado, dramas familiares de todo o tipo. De outro, a esmagadora burocracia.

2.  Garçons – Papo de bêbado, pessoas com pressa e de mal com a vida fazem com que pessoas que servem mesas tenham uma taxa de 10% de deprimidos.

1.  Enfermeiras a domicílio e babás Taxa de depressão de 11%. Um dos principais motivos que levam esses profissionais ao topo da lista é que seus clientes, muitas vezes, estão doentes demais para expressar gratidão ou reconhecimento. Ou então são novos demais ou ranzinzas demais para fazê-lo.

0.  Desempregado – 13% das pessoas sem uma ocupação fixa sofrem de depressão de acordo com o levantamento.

Já que é obrigatório

Todas as vendas que você faz devem ser acompanhadas por uma nota fiscal. E só agora há empresas que descobriram o óbvio: uma nota fiscal é mais uma oportunidade de interagir com o cliente. Através de um programa simples, uma padaria inglesa incluiu em sua nota fiscal informações sobre o valor calórico do que as pessoas estão levando, curiosidades sobre produtos ou datas (por exemplo, se a pessoa gasta 18,50 libras, a máquina informa o que aconteceu em 1850) e ainda imprime um cupom, afirmando que a pessoa pode receber uma receita na próxima compra.

Quando a oportunidade surge

Em vários lugares do mundo, as pessoas estão começando a olhar para as lajes dos prédios como uma das últimas fronteiras para a agricultura. Os benefícios, afirmam os ecologistas, são muitos: plantas no topo dos edifícios funcionariam como um ar-condicionado natural para os últimos andares do prédio e, se plantarem legumes e frutas, todos os moradores economizariam em suas contas de supermercado.

A canadense Citysoil foi além e já pensou em uma forma de lucrar com a tendência. Criou o produto do mesmo nome, um composto de material reciclado que promete ser ultraleve e resistente ao vento, evitando os maiores problemas de se ter uma horta no telhado: peso e sujeira. O comportamento do consumidor muda e suas necessidades também. O que você está fazendo para aproveitar tudo de novo que aparece?

Serviço inesperado

Você já comprou uma TV ou um computador e descobriu, depois de duas semanas, que o preço do produto despencou ou que apareceu um modelo melhor e mais barato no mercado? A Microsoft está desenvolvendo uma ferramenta para a internet que pode ajudá-lo a evitar essas situações. Chamado de Prodcast, o site funcionará assim: você coloca o nome e o modelo do aparelho que quiser e ele calcula, com base no histórico da empresa fabricante e de suas concorrentes, quando aquele modelo irá baixar de preço ou quando é mais provável que surja um modelo melhor e/ou mais barato.

O serviço ajudará muitas pessoas, mas a Microsoft tem diversas segundas intenções com ele. Ao contrário da Apple, ela não produz as máquinas que levam seus softwares (exceto o XBox), então não pode fazer grandes lançamentos que ocupam a mídia por dias, como faz Steve Jobs. Mas a Microsoft pode informar aos clientes as opções que existem, ajudando-os a escolher o melhor produto com Windows que podem comprar.

Pesquisas de vendas

Muitas pessoas acreditam que formalizar um negócio faz as vendas caírem. Mas trata-se de mito ou verdade?

Mito! E quem comprova é a Pesquisa de Perfil do Empreendedor Individual, realizada pelo Sebrae, com 10.585 empreendedores individuais de todos os estados. Confira:

  • 28% sentiram aumento nas vendas após a formalização.
  • 67% disseram que as vendas continuam estáveis.
  • Apenas 5% alegaram retração.
  • 95% dos entrevistados recomendam a formalização para outros profissionais.

Conheça mais detalhes sobre esses profissionais:

  • 55% são homens.
  • 61% têm menos de 39 anos.
  • 39% dos empreendedores individuais atuam no comércio (no caso das microempresas, esse número sobe para 52%).
  • 87% planejam virar microempresas.
  • 87% não têm empregados.
  • 78% têm na atividade sua única fonte de renda.

Fonte: Agência Sebrae de Notícias – jun/2011.

Esta seção tem o apoio do consultor Marlus Jungton, especialista em pesquisas de vendas. Conheça mais no site: www.PrimeiroPalestrante.com.br e acompanhe outras informações pelo blog: www.VENDAS.blog.br.

Grandes números

  • 0,6% foi o aumento das vendas de varejo em maio de 2011 em relação a abril do mesmo ano. O IBGE, responsável pelo cálculo, apontou o crescimento da renda e do emprego como os motivos do bom resultado. O grande destaque veio do setor de material para escritório, informática e comunicação, que teve um crescimento de 11,6%. Em outras palavras, o brasileiro provavelmente está comprando mais computadores, laptops e celulares.
  • 2,2% foi o crescimento do emprego na indústria entre janeiro e maio deste ano. Os dados também são do IBGE.
  • 9 meses e contando é quanto tempo o Ministério da Microempresa, promessa de campanha da presidente Dilma, está parado no congresso.

“Os riscos de apagão energético no Brasil nos próximos dez anos são pequenos. Mesmo assim, vamos simplificar o processo de concessão de licença ambiental para novas linhas, tornando-o mais ágil, mas mantendo todo o rigor necessário”

Maurício Tolmasquim, presidente da Empresa de Pesquisa Energética, ligada ao Ministério das Minas e Energia. Hoje, são necessários até seis meses para conseguir essa licença ambiental na construção de linhas de energia.

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima