Comércio móvel: em três anos dobra o número de brasileiros que compram pelo smartphone

compra por smartphone: loja 24 horas aberta m-commerce

Pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box apura que 80% dos internautas nacionais já experimentaram encomendar produtos físicos por meio de apps. Em 2015 eram 41%

A mais recente pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box sobre Comércio Móvel descobriu que, em três anos, entre setembro de 2015 e setembro de 2018, praticamente dobrou a proporção de internautas brasileiros que já experimentaram comprar produtos físicos através de aplicativos ou sites em seus smartphones: de 41% para 80%.

Cerca de 71% dos consumidores ouvidos pela pesquisa são considerados usuários ativos mensais (MAUs) de m-commerce. Ou seja, realizaram pelo menos uma compra pelo smartphone nos últimos 30 dias. Além disso, 78% afirmam que realizam hoje mais compras pelo smartphone do que seis meses atrás.

O avanço nesses três anos está diretamente relacionado à popularização dos smartphones no País, junto com a evolução dos apps de m-commerce, tanto aqueles de grandes varejistas quanto aqueles de novos serviços online to offline.

5 ações tomadas por varejistas para melhorar a experiência do brasileiro com comércio móvel

  • Simplificação do cadastramento de cartões de crédito com a câmera do celular.
  • Personalização da experiência com base no histórico de compras do usuário.
  • Otimização do checkout em apenas um clique.
  • Adição de novos meios de pagamento, como carteiras digitais.
  • Oferta de condições especiais para o m-commerce, como promoções, navegação gratuita e frete grátis.

Por conta disso tudo, 69% dos consumidores móveis afirmam que preferem comprar pelo smartphone do que pelo computador. Na edição anterior, em abril deste ano, eram 63%. Ao mesmo tempo, cresce a satisfação dos brasileiros em relação à experiência com m-commerce. Em seis meses, subiu de 83% para 88% a proporção que se declara satisfeita ou muito satisfeita com esses serviços.

“Ao se analisar os dados demográficos, percebe-se que o comércio móvel foi mais experimentado pelos brasileiros das classes A e B (86%), do que entre aqueles das classes C, D e E (78%). A proporção de MAUs é maior também entre os primeiros (75%) que entre os últimos (70%). Porém, na pergunta sobre a preferência entre comprar pelo celular ou pelo computador, nota-se que o dispositivo móvel tem uma importância maior nas classes menos favorecidas. O que decorre, provavelmente, do menor acesso a computadores nessa camada da população”, comenta Fernando Paiva, editor do Mobile Time e coordenador da pesquisa.

“Enquanto 57% dos consumidores móveis das classes A e B declaram preferir comprar pelo celular, a proporção sobe para 73% nas classes C, D e E. Neste aspecto, percebe-se também uma diferença significativa de gênero: mulheres (73%) gostam mais de comprar pelo celular em vez do computador do que homens (65%)”, destaca Paiva.

Principais produtos e serviços adquiridos por smartphones

A pesquisa também elaborou um ranking com os apps mais frequentemente usados no m-commerce nacional e monitorou o uso do smartphone para a compra/contratação dos seguintes produtos/serviços: corrida de táxi/carro particular; delivery de comida; reserva de hospedagem; compra de ingresso de eventos; serviços de beleza. Confira alguns dos resultados no infográfico abaixo:

m-commerce: infográfico mostra crescimento da compra por smartphones no Brasil
Fonte: Panorama Mobile Time

Foram entrevistados em agosto 2.069 internautas brasileiros que possuem smartphone. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais e o grau de confiança é de 95%. O relatório completo da pesquisa pode ser obtido em Panorama mobile time: comércio móvel no Brasil – setembro de 2018.

Leia também

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima