Em uma casa abandonada e em uma cozinha improvisada

Dizem que o sucesso é mais difícil de explicar do que o fracasso. No caso de João Henrique Brunheroto, não: visão, qualidade do produto oferecido, muito trabalho e boa prestação de serviço

Foi nessas instalações que João Henrique Brunheroto deu início à Vita Suco, empresa de sucos naturais, na cidade de Mogi Guaçu

Dizem que o sucesso é mais difícil de explicar do que o fracasso. No caso de João Henrique Brunheroto, fundador do Grupo Vita Suco, não: visão, qualidade do produto oferecido, muito trabalho e boa prestação de serviço.

O ano é 1993. João trabalha em um banco na cidade de Mogi Guaçu (SP), no setor de exportação, e estuda Administração de Empresas na Pontifícia Universidade Católica, em Campinas (SP). Percebendo uma ótima oportunidade na área de sucos naturais, associa-se a um amigo, raspa o tacho de suas finanças e compra uma extratora de sucos. Claro, demite-se do banco.

Enfrentou dificuldades, concorrência desleal, perdeu clientes, comprou a metade do sócio, suou muito a camisa, mas nunca desistiu. “Mantive o pensamento positivo e sempre quis fazer a diferença. Isso tornou os obstáculos mais fáceis de superar.” A seguir, um pouco da caminhada vitoriosa de João Henrique.

Primeiros passos

“As garrafinhas de suco de laranja eram envasadas manualmente em uma casa abandonada que meu pai nos emprestara. Improvisei na cozinha a linha de produção da Vita Suco. Eu mesmo saia vendendo, com a ajuda de uma velha Kombi, em feiras, quitandas e qualquer estabelecimento que achasse. Percebi que havia achado um diferencial quando coloquei as garrafas em caixas de isopor e as vendia para funcionários dos bancos e dos comércios no centro da cidade. Deixava o produto na geladeira de cada um desses locais com o nome de cada cliente etiquetado na embalagem. Depois, ‘repunha’ o estoque de cada um.”

Crescimento

“Com essa estratégia, novos clientes foram conquistados, e em 1995, seguindo um novo padrão de segurança exigido pelo mercado, a Vita Suco adquiriu uma máquina de pasteurização, o que trouxe um grande crescimento e gerou a necessidade de um espaço maior, vindo a empresa a se instalar em prédio próprio no distrito industrial de Mogi Guaçu, em 1999. Hoje, vendemos uma gama ampla de produtos, como sucos naturais, refrescos, isotônicos, bebidas lácteas, gelatinas, etc. Atuamos em todo o território nacional. Somos 80 colaboradores e crescemos 20% em 2012.”

Motivação

“O que me motiva a seguir em frente? Ser o melhor e se manter nessa posição. Isso me motiva a trabalhar cada dia na busca desses objetivos. Com 20 anos de mercado, nossos produtos são sinônimos de qualidade, confiança e satisfação. Prezar por essas características e ser reconhecido mundialmente faz de mim um empresário diariamente motivado. Minha esposa e meus filhos, também, são grandes motivadores e incentivadores. Torço para que algum deles leve esta semente adiante.”

Primeira venda

“Lembro-me perfeitamente dela. Aconteceu em 1993, na empresa MMG, do Grupo Mahle Metal Leve, uma parceria de sucesso que se estende até a data de hoje.”

Desistir

“Nunca pensei nisso. Acredito nos meus objetivos, na qualidade dos produtos, no gabarito dos profissionais que vestem a camisa da empresa e, principalmente, nas parcerias que conquistei ao longo desses anos.”

Influência e orgulho

“Meu grande pai, Sr. João Brunheroto, meu alicerce, quem me ensinou muitos princípios, principalmente a acreditar e lutar pelos meus objetivos. Ele era um típico exemplo de pessoa de sucesso. De ajudante de pedreiro tornou-se um construtor de respeito, baseado em honestidade, perseverança e valores. Infelizmente, não pode estudar, mas deixou a maior e melhor herança que qualquer ser humano pode cobiçar: a cumplicidade, o respeito mútuo e a fé em acreditar que dias melhores virão.”

João Henrique não me autoriza a encerrar esta entrevista sem me contar uma última – e importante – história: “Lembra aquela velha Kombi que me ajudou nos primeiros momentos da Vita Suco? Pois é, depois de muito procurar, encontrei. Perguntei ao dono quanto queria por ela, paguei na hora e hoje estou reformando-a”.

Não duvide se Brunheroto faz isso sorvendo um de seus sucos naturais. Ele e sua velha Kombi companheira de guerra merecem!

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima