Figura de transição

m todos os períodos históricos sempre existiram pessoas inconformadas quando confrontadas com sistemas, crenças, tradições e hábitos injustos e preconceituosos. Em todos os períodos históricos sempre existiram pessoas inconformadas quando confrontadas com sistemas, crenças, tradições e hábitos injustos e preconceituosos. Impelidas pela força dos princípios que as norteiam, elas não se detêm diante de pensamentos do tipo: ?As coisas sempre foram assim?. Essas pessoas se dispõem a enfrentar qualquer desafio ou oposição para fazer a parte que lhes cabe.

Espírito Empreendedor – Não é possível ser uma figura de transição sem buscar em si iniciativas criativas para solucionar problemas, atingir objetivos e transformar aspirações em projetos, estes em realidade e a realidade em algo melhor. É dessa forma que essas pessoas se transformam em forças empreendedoras em suas vidas e também nas vidas de outros.

Determinismo – Somos nós que fazemos nosso caminho ou nossa estrada já foi preparada antes de nascermos? De acordo com o determinismo, nossas ações acontecem fatores alheios a nossa vontade. Do ponto de vista genético, por exemplo, diz que temos uma predisposição para sermos como somos, para fazermos o que fazemos. Por isso algumas pessoas dizem: ?Isso é de família. Eu sou assim, meus avós eram assim?. Da mesma forma, pode-se recorrer a explicações econômicas, históricas, geográficas, etc.

Princípio da Incerteza – É claro que todos os fatores externos nos influenciam muito. Porém, ao contrário do que prega o determinismo, eles não precisam ser determinantes em nossas vidas. Enquanto o determinismo é visto como uma linha de pensamento limitada e ultrapassada, ganha força entre os cientistas o Princípio da Incerteza, e uma das interpretações dele é a que aponta o papel da consciência humana na determinação da realidade.

Entre o estímulo que recebemos e a resposta que damos, existe um espaço no qual podemos nos valer da consciência para escolhermos esta resposta. Acreditar que ela seja automática e imutável é duvidar da própria capacidade humana de crescer e progredir. Não somos ratos de laboratório, que sempre reagem da mesma forma ao levarem um choque elétrico. Podemos decidir não passar por aquele ponto onde levaremos o choque. Cabe a nós adotarmos comportamentos e condutas que minimizem ou eliminem essa influência.

Em vez de agir como se a vida estivesse determinada, temos a opção de assumirmos o controle e de sermos, nós mesmos, os programadores dela. Essa é a grande lição que as figuras de transição nos ensinam: nós também podemos ser figuras de transição e mudarmos para melhor o mundo a nossa volta.

Agradecimentos: KLA Eventos Empresariais e Franklin Covey Brasil

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima