Innovatrix

A inovação e a criatividade podem ser aprendidas?

Um novo ano sempre traz aquele desejo de mudar tudo à nossa volta, seja na vida pessoal, no trabalho ou na própria empresa. Que tal, então, começar 2011 deixando tudo diferente?

Quando se fala em mudanças, alguns termos começam a aparecer, como “inovar”, “pensar fora da caixa”, “ser criativo”, “reinventar-se”, etc. Essas palavras têm se tornado muito presentes no mundo empresarial de hoje. Mas o que será que as faz serem tão repetidas e serem a dor de cabeça de muitos profissionais e empresas? A resposta é que inovação no mundo empresarial tem sempre a ver com dinheiro. É ela que faz descobrir novos produtos, processos e concepções de negócios – novas fontes de geração de valor, o que, sem mais delongas, significa dinheiro, o objetivo de toda empresa. Então, inovar é “quebrar moldes” até então estabelecidos, e eles trazem dinheiro novo a uma empresa.

Quer começar o ano com mudanças? Então, mãos à obra! Repense as coisas que faz, como e por que as realiza, sendo altamente criativo. Assim, o sucesso será apenas uma questão de tempo. E, se você pensou: “Sim, falar que para se ter sucesso é preciso inovar e ser criativo é fácil, como se bastasse sentar, pensar um pouquinho, que novos produtos, processos e métodos criativos surgiriam”, fique tranquilo. Agora chegamos ao ponto crucial deste artigo: como chegar lá.

De que forma inovar sem ser um Albert Einstein, Isaac Newton ou, no mundo dos negócios, um Steve Jobs, Bill Gates e afins? A resposta é: por meio da inovação sistemática, de acordo com Clemente Nobrega e Adriano de Lima, ambos físicos e especialistas em inovação sistemática, com vasta experiência na área empresarial, autores do livro Innovatrix: inovação para não gênios.

Esqueça aquela figura de um inventor supercriativo, com cabelos “em pé, dentro de uma garagem ou laboratório, envolto em tubos de ensaio e materiais estranhos, criando coisas geniais ou fazendo grandes descobertas”. Para os autores de Innovatrix, você, exatamente do jeito que é e com a estrutura material que possui, pode ser hipercriativo também. Basta que siga um método e processos que irão levá-lo à inovação sistemática. Innovatrix é um método criado por eles, a partir de várias pesquisas científicas, para fazer emergir de forma deliberada as conexões criativas necessárias para produzir a inovação empresarial.

 

Como tudo começou

Clemente e Adriano chegaram a essa conclusão com base na Triz, um método para inovar desenvolvido por um engenheiro e cientista russo chamado Genrich Altshuller. Ele queria descobrir por que, por volta da década de 40, uma coleção notável de tecnologias começou a migrar da antiga União Soviética para os Estados Unidos e Europa.

Assim, Altshuller examinou profundamente dados contidos em milhares de patentes a fim de identificar o princípio inventivo por trás de cada uma. E eis o que ele descobriu: a criação inventiva pode ser decodificada em pouquíssimos princípios, mais propriamente 40, que orientam a solução de qualquer problema referente à inovação – a Triz. Tal método foi aperfeiçoado com o passar dos anos e da criação da Associação Russa para a Triz, sendo hoje amplamente utilizado pelas maiores companhias do mundo, como Boeing, GE e Siemens.

O eixo central da Triz é a eliminação da contradição técnica, por exemplo: “Quero um carro altamente veloz, mas que gaste pouco combustível”. Foi isto o que Altshuller descobriu: que a solução de um problema sempre se dá quando uma contradição é eliminada, e a sua exclusão é feita com o auxílio dos 40 princípios inventivos que criou.

Quer uma amostra? O que faz o Cirque du Soleil ser o sucesso que é? Eles resolveram a contradição de fazer arte de alto nível sem dar destaque aos artistas individualmente. E as Casas Bahia, então, que trabalham com “gente sem dinheiro pagando em dia”?

Com ensinamentos de vários pesquisadores e a experiência que possuem, Clemente e Adriano fizeram contribuições à metodologia da Triz, colocando o foco exclusivamente no mundo empresarial. Assim, tem-se um método mais adequado para essa área, o Innovatrix: a caixa de ferramentas da inovação. Os autores construíram ferramentas que permitem a qualquer um identificar e aplicar os princípios inventivos que nortearão a solução do problema que tem pela frente. Innovatrix é isto, um método com quatro passos:

1. Defina bem o problema dissecando lacunas                                                                           

2. Identifique a contradição central do problema

3. Identifique qual(is) princípio(s) inventivo(s) norteia(m) a busca de soluções

4. Identifique os princípios inventivos e use-os para propor protótipos de soluções

Avalie a solução. Se necessário, volte à etapa 1. Se não, faça um plano de ação para implementar osprotótipos

 


                                                                                  

Segundo Clemente e Adriano, a máxima de que “nada se cria, tudo se transforma” é mais ou menos o que acontece com a inovação sistemática: há pouquíssima invenção original, mas observação de soluções que deram certo em outros casos.

O método Innovatrix funciona baseado em conhecimento prévio. Assim, você deve dissecar o seu problema a ser resolvido, encontrar questões análogas com soluções semelhantes e especializar o seu resultado, resolvendo assim o problema. Ou seja, inovar é fazer conexões, é conectar o que precisa ser resolvido com o que já foi solucionado por outras pessoas um dia para que se chegue a uma conclusão semelhante.

Depois de saber que você pode ser um “Einstein” na vida real, sendo preciso apenas usar um método para ser criativo e inovador, o que garantirá sucesso e dinheiro aos seus negócios, deu vontade de pôr em prática o Innovatrix? Quer conhecer, então, quais são os 40 princípios da inovação? Para isso, tenha em mãos o livro Innovatrix: inovação para não gênios e comece a lê-lo agora mesmo. Tenho certeza de que, no meio da leitura, você descobrirá excelentes soluções para começar 2011 com grandes inovações!

 

Para saber mais:

Fonte:Innovatrix: inovação para não gênios

Autores:Clemente Nobrega e Adriano de Lima

Editora:Nova Fronteira/Agir

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima