Mesmo com as restrições ao crédito, varejistas esperam um bom Dia das Mães

Neste ano, o otimismo está próximo ao registrado em 2010, quando a economia cresceu fortemente

Varejistas de todo o País esperam um bom Dia das Mães, de acordo com a Pesquisa Serasa Experian de Expectativa Empresarial – Dia das Mães 2011. São 59% que acreditam no aumento de seu faturamento na data, em relação ao Dia das Mães de 2010; 31% acham que permanecerá igual a 2010 e 10% apostam em queda. Na mesma data do ano passado, 60% dos varejistas estimavam alta de seu faturamento, 33% estabilidade e 7% queda.

 

O Dia das Mães de 2011 será o segundo melhor desde o início da pesquisa, em 2006. Na média nacional, para essa data, espera-se um crescimento do faturamento de 9,6%. A Pesquisa Serasa Experian de Expectativa Empresarial para o Dia das Mães 2011 entrevistou 961 principais executivos do varejo, em todo o território nacional, de 23 a 31 de março.

 

Em relação às expectativas de faturamento por tamanho de empresa, as grandes do varejo são as mais otimistas, com 87% de seus empresários esperando um faturamento neste Dia das Mães superior ao verificado na mesma data de 2010. Nos médios negócios, são 74% os que apostam em crescimento e, nas pequenas empresas, são 56%.

 

Na análise por região, 74% dos varejistas do norte acreditam que vão ampliar seu faturamento neste Dia das Mães. Nessa direção, estão o nordeste com 64% dos entrevistados, o sul com 62%, o sudeste com 57% e o centro-oeste com 56%.

 

Presentes – Para o Dia das Mães de 2011, de acordo com os varejistas, 30% dos presentes serão roupas, sapatos e acessórios; 16% flores; 14% celulares e smartphones; 13% eletrodomésticos; 11% perfumaria e cosméticos; 5% eletrônicos; 3% joias e relógios; 2% chocolates e doces; 2% utilidades domésticas; 1% comemoração em restaurante e 3% outros.

 

No Dia das Mães de 2010, os presentes mais oferecidos foram: 31% roupas, sapatos e acessórios; 18% flores; 15% celulares; 14% eletrodomésticos; 8% perfumaria e cosméticos; 6% eletrônicos; 2% joias e relógios; 1% chocolates e doces; 1% utilidades domésticas; 1% livros, CDs e DVDs e 3% outros.

 

Valor médio dos presentes – Foi perguntado pela primeira vez nesta pesquisa o gasto médio (tíquete-médio) com os presentes: 32% dos entrevistados acham que será de até R$50; 37% preveem entre R$51 e R$100; 19% entre R$101 e R$200; 7% entre R$201 e R$300; 3% entre R$301 e R$500 e 2% mais de R$500.

 

Fonte:Serasa Experian

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima