Meta de vendas: uma questão de desejo ou estudo?

Estabelecer metas requer vontade ou pesquisa?

A maioria das empresas estabelece suas metas com base no rendimento esperado de vendas. Todos da equipe comercial sabem que em algum momento serão informados da meta, e a pressão psicológica aumenta. Alguns pensam no desafio, outros temem não serem capazes de dar conta do recado e pensam nas dificuldades que enfrentarão.

Uma situação totalmente compreensível. Somos humanos e cada um carrega em suas experiências momentos de sucesso e outros não tão bons. O importante é que sem metas a diretoria e o próprio pessoal de vendas acabam aceitando qualquer tipo de resultado, mesmo que ele esteja bem abaixo do esperado.

É muito comum, para muitas empresas, definir as metas de vendas sem fazer um estudo dos detalhes de cada setor, território ou região. A meta quase sempre é definida sem nenhuma análise, gerando a impressão de que ela foi estabelecida com base no desejo natural de querer aumentar as vendas. Apenas isso.

A gerência de vendas tem responsabilidade tanto social quanto ética em relação ao pessoal de vendas. Portanto, ao estabelecer a meta deve-se garantir que estas sejam realistas, desafiadoras e, principalmente, possam ser cumpridas. O pessoal da área de vendas é inteligente e saberá avaliar se houve coerência na definição dela.

Se o objetivo é racional, lógico, então a equipe fará o seu melhor, cada um se engajará e partirá, mês após mês, em busca do resultado. Por outro lado, se não conseguirem ver coerência, simplesmente irão parar de vender, ficando sem o compromisso necessário. Pensam: “Se chegar lá, ótimo. Se não chegar, fazer o quê? Colocaram a meta de qualquer jeito, eu não sou mágico para alcançá-la”.

Como esse tema é extenso, irei dividi-lo em duas etapas; nesta primeira, irei discorrer sobre formas interessantes para estabelecer metas de vendas e apresentarei dois critérios para calcular e definir uma meta de vendas. Na próxima coluna voltarei a abordar a questão.

  1. Crescimento na média de compras da carteira de clientes
    A gerência deve fazer a média de compras da carteira de clientes da empresa. Para isso, deve separar a carteira da seguinte forma: grandes, médios, pequenos e micro clientes. Ao somar o total de compras de cada grupo e dividir pelo número de clientes, a média será obtida. Com esse cálculo, você terá a média de compras por cliente e por grupo de clientes durante o ano. Poderá, então, iniciar a definição da meta.
    1. Ensaio da meta
      Todos os clientes devem ser trabalhados para atingir a média do grupo a que pertencem. Os clientes que estiverem com a média de compra acima de 95% da média do grupo terão de ser trabalhados para crescer no mínimo 10%, ou seja, a meta deles será 105% da média do grupo.
    2. Ensaio da meta
      Todos os clientes que estão acima da média devem ser trabalhados para aumentar no mínimo 10% (hipotético), porcentagem que o mercado prevê como crescimento no setor.
  2. Crescimento de vendas em relação ao primeiro semestre do ano anterior
    Este critério é o mais comum e não deixa de ser um excelente indicador para se ter como base a meta do primeiro semestre do ano. A gerência deverá fazer o levantamento do total de vendas da empresa no primeiro semestre do ano anterior, fazer a correção desses valores de acordo com o(s) índice(s) de crescimento do segmento e adicionar um percentual de crescimento por produtividade/ganho de mercado pretendido.

Bom trabalho, ótimas vendas e até o nosso próximo encontro.

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima