Não importa de onde vem…

Há um texto chamado Desiderata, em português, ?o que se deseja?, que corre o mundo através da internet. Alguns dizem que foi encontrado em uma velha igreja de Baltimore, Inglaterra, no longínquo ano de 1692. Outros dizem que é de autoria de Max Ehrmann, que foi escrito em 1927, mas só publicado depois de sua morte, em 1948. Há um texto chamado Desiderata, em português, ?o que se deseja?, que corre o mundo através da internet. Alguns dizem que foi encontrado em uma velha igreja de Baltimore, Inglaterra, no longínquo ano de 1692. Outros dizem que é de autoria de Max Ehrmann, que foi escrito em 1927, mas só publicado depois de sua morte, em 1948.

Segundo essa segunda informação, um padre da igreja em questão teria incluído o poema em uma coleção de poemas de sua congregação e, ao transformar tudo em livro, alguém teria trocado a data das obras pela data de fundação da igreja, ocorrida mais de 200 anos antes. De qualquer forma, o texto é lindo e convida a uma reflexão.

Caminhe placidamente entre a inquietude e a pressa e lembre-se que há sempre paz no silêncio. Tanto quanto possível sem se ofender, mantenha boas relações com todas as pessoas.

Diga a sua verdade mansa e claramente e ouça os outros, mesmo a dos insensatos e ignorantes, pois também eles têm a sua própria história. Evite as pessoas ruidosas e agressivas, elas afligem o nosso espírito. Se você se comparar com outros poderá se tornar presunçoso e magoado, pois sempre haverá pessoas superiores e inferiores a você. Desfrute das suas realizações, assim como dos seus planos. Mantenha-se interessado na sua própria carreira por mais humilde que seja; pois ela é um ganho real nas constantes mutações do destino.

Seja prudente nos seus negócios, pois o mundo está cheio de trapaças. Mas não deixe isso tornar você cego à virtude; muitas pessoas lutam por altos ideais e em toda a parte a vida está cheia de heroísmo. Seja você mesmo. E sobretudo não finja afeição. Também não seja cínico a respeito do amor, pois acima de toda a aridez e desencanto ele é tão perene quanto a relva.

Recolha mansamente o conselho dos anos, renunciando graciosamente as coisas da juventude. Nutra sua força espiritual para que ela o proteja na desgraça repentina. Porém, não se aflija com coisas imaginárias; muitos temores nascem do cansaço e da solidão, e a despeito de uma disciplina rigorosa. Seja gentil para consigo mesmo.

Você é uma criatura do universo, não menos que as árvores e as estrelas. Você tem o direito de estar aqui e, seja evidente ou não para você, o universo sem dúvida se desenvolve como deve. Portanto, quaisquer que sejam seus trabalhos e aspirações, mantenha-se em paz com a sua alma. Por mais que existam fingimentos, trabalhos e sonhos desfeitos, este continua sendo um mundo bonito. Tome cuidado, e esforce-se para ser feliz!

Raúl Candeloro é palestrante e editor da revista Venda Mais, além de autor dos livros Venda Mais, Correndo Pro Abraço e Criatividade em Vendas, e responsável pelo site Venda Mais. Visite: www.raulcandeloro.com.br ?Cada dia é uma pequena vida? – Horácio

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima