Não leve a vida tão a sério

A vida não precisa ser tão complicada quanto insistimos em torná-la. A simples decisão de não se agarrar aos problemas pode melhorar ? e muito ? nossas vidas. É isso o que Hugh Pratner nos mostra, com humor e clareza, no livro Não Leve a Vida Tão a Sério. Ele escreve sobre as dificuldades do dia-a-dia e nos dá ferramentas para contorná-las, mudando o que há de mais importante na vida: nossa atitude mental e a forma de reagir aos inevitáveis contratempos. A vida não precisa ser tão complicada quanto insistimos em torná-la. A simples decisão de não se agarrar aos problemas pode melhorar ? e muito ? nossas vidas. É isso o que Hugh Pratner nos mostra, com humor e clareza, no livro Não Leve a Vida Tão a Sério. Ele escreve sobre as dificuldades do dia-a-dia e nos dá ferramentas para contorná-las, mudando o que há de mais importante na vida: nossa atitude mental e a forma de reagir aos inevitáveis contratempos.

Seus ensinamentos são baseados em histórias reais que nos deixam com a sensação de já ter passado por aquela situação ou testemunhado algo parecido. Ele ensina soluções práticas para dar um basta às preocupações e ao medo, e se libertar de tudo aquilo que impede sua felicidade.

Prather nos faz perceber que sempre há uma outra maneira de encarar os problemas, mesmo os mais graves. Ele sugere vinte e três exercícios de libertação que podem ser feitos em trinta dias. Essas libertações são um caminho para acabar com pensamentos e atitudes que envenenam nossos corações e mentes. É uma ótima oportunidade de rever velhas crenças, refletir e buscar ser mais leve e feliz.

Leia algumas dicas do autor para não levar a vida tão a sério:

· Identifique tantos pensamentos perturbadores quanto puder. Anote-os e guarde a lista em seu bolso. Quando um deles vier à cabeça, pegue a lista e mentalize com fervor e repita silenciosamente: ?O pensamento em si não é o problema. O problema é concentrar minha mente em torno desse pensamento.? Em seguida, relaxe a mente.

· Mesma cena + pensamento diferente = emoção diferente. É aqui que muita gente sai dos trilhos: elas acreditam que podem apagar seu primeiro pensamento dizendo palavras que representam outro pensamento. Palavras simplesmente não substituem convicções. Para que os pensamentos mudem, nossas convicções devem mudar primeiro.

Para saber mais: Não Leve a Vida Tão a Sério, de Hugh Prather (Editora Sextante). Visite o site: www.sextante.com.br.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima