O Poema do Chato

O chato é inconveniente
Sempre chega na hora errada
Fala muita baboseira
Bota a gente em enrascada O chato é inconveniente
Sempre chega na hora errada
Fala muita baboseira
Bota a gente em enrascada

Todos sempre comemoram
O sossego de sua ausência
Porque a profissão do chato
É torrar a paciência

Quando alguém fala “Bom dia”
Quando chega atrasado
O chato toma a palavra
E diz “Boa tarde, seu folgado!”

Na mesa do restaurante
Sempre alguém senta na ponta
E o chato logo grita:
“Ele vai pagar a conta!”

Se servem de sobremesa
Um delicioso pavê
O chato logo pergunta:
“É pavê ou pá cumê?”

Nem nos engarrafamentos
Conseguimos nos safar
Tem sempre um chato do lado
Que adora buzinar

Quando vamos ao cinema
Numa tarde de domingo
Um chato na nossa frente
Passa o filme todo tossindo

Uma pulga atrás da orelha
Uma pedra no sapato
E no meio de tanta chatice
Até esse poema ficou chato

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima