O que dói mais?

Você já foi alvo do “olho gordo” de alguém? JB Vilhena da algumas dicas práticas para driblar esse problema

Diz o ditado popular que “dói mais no invejoso o sucesso alheio do que o seu próprio fracasso”. Nada mais verdadeiro.

Tenho certeza que já sentiu na nuca aquele olhar de “seca pimenteira” de algum colega de trabalho que, ao invés de reconhecer que você trabalhou mais do que ele para atingir sua meta, sai por aí dizendo que não entende como você tem tanta sorte.

E tem também o invejoso que fica o tempo todo te acusando de ser “puxa saco”, queridinho do chefe ou coisas ainda piores. Esses são os que não conseguem sequer dissimular o despeito e preferem caluniar ao invés de aceitar que “quem acorda mais cedo bebe água limpa na fonte”.

Caso já tenha sido alvo do “olho gordo” de alguém, vão aqui algumas dicas práticas:

1. Finja demência, ignorando os comentários maliciosos

Oscar Wilde, famoso escritor irlandês, já dizia que “Qualquer um pode simpatizar com os sofrimentos de um amigo, mas é preciso que de fato se tenha muito boa índole para se simpatizar com o sucesso de um amigo.”

Se alguém que trabalha com você não consegue conviver com seu sucesso, das duas uma: ou não é seu amigo ou não tem boa índole. Em qualquer um dos casos, uma pessoa assim não merece que você se importe com ela.

2. Continue se esforçando para progredir cada vez mais

Aqui vale a pena se lembrar de um precioso conselho da escritora Zibia Gasparetto: “Pense no bem, seja otimista, aceite a presença de Deus em todos os minutos dentro de você. Jogue fora o orgulho, que só tem atrapalhado; a inveja, porque você é capaz de fazer igual ou melhor; o ciúme porque você é tão bom que se alguém não acreditar nisso é porque não merece sua amizade ou atenção; e cultive a alegria.”

O mundo está claramente dividido em duas categorias de pessoas. As que vão “chegar lá” e as que não vão. Cada um faz sua escolha e estabelece seus objetivos. Não deixe que os pessimistas invejosos atrapalhem sua trajetória de sucesso. Orgulhe-se do que faz, procure fazer cada vez melhor e, acima de tudo, seja feliz.

3. Não se descuide

É verdade que “maior é Deus, pequeno sou eu”. Mas não custa nada estar sempre alerta. Tome cuidado com o que diz, com o jeito que se comporta. Nunca menospreze quem conseguiu menos do que você, quem não bateu a meta. Vendedor é como artilheiro de futebol, não adianta ter marcado cinco gols na partida anterior. Tem que marcar mais cinco na próxima.

Por último, lembre-se de uma frase de Dom Quixote: “eu não acredito em bruxas, mas que elas existem, existem”. Assim sendo, não custa nada de vez em quando pendurar um ramo de arruda na orelha, usar uma figurinha de guiné (eu não tiro a minha do pescoço) e rezar para seu anjo da guarda.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima