O telefone é inteligente. E você?

Você já percebeu como mudou a forma como o ser humano passa o tempo (útil ou não)?

Você já percebeu como mudou a forma como o ser humano passa o tempo (útil ou não)? Estou sentado no lobby de um hotel, em Chicago. À minha volta, cerca de 50 pessoas. Algumas estão sentadas e outras em pé. Todas estão, de alguma forma, interagindo entre si.

O que me chama a atenção é que muitas dessas pessoas estão com suas cabeças abaixadas, olhando fixamente seus celulares. Estou certo que você já viu essa cena. É muito provável, aliás, que alguns de meus leitores estejam lendo este artigo em algum de seus dispositivos móveis.

Manuais de boas maneiras ao telefone mudaram significativamente depois dos avanços tecnológicos disponibilizados nesses “gadgets”. Há cinco anos, antes do lançamento do iPhone, tudo o que se podia fazer em um celular era enviar e receber mensagens e ligações, digitar (sofregamente) um texto e só.

Telefones celulares estão muito mais “espertos” hoje em dia. Na grande maioria das vezes, são mais inteligentes que seus usuários. Esses aparelhos, atualmente, além do tradicional falar e enviar textos, têm uma disponibilidade quase infinita de aplicativos à disposição, acessam a internet, enviam e recebem e-mails, têm calendários e agendas, acessam o Facebook e outras mídias sociais, o Google e outras máquinas de busca, mantém o usuários atualizados sobre notícias, eventos, reuniões, conectam ao Instagram, são câmeras fotográficas e filmadoras, oferecem jogos (neste momento, jogo RIO HD), autorizam seus usuários a efetuarem uma compra (a Amazon agradece), etc, etc, etc…

E olha que tudo o que mencionei é só o início de uma nova era relacionada a dispositivos móveis. Reconhecimento de voz será a próxima grande e revolucionária novidade.

Em função disso tudo, a maioria das pessoas ainda não aprendeu a dominar e a usar esse aparelho de maneira educada. São controladas por ele. Escutam suas músicas sem se importar com quem está ao lado, falam em voz alta, interrompem conversações, e ironicamente, se desconectam do mundo. A seguir, algumas dicas rápidas sobre como bem utilizá-los:

  1. Quando você estiver sozinho e não há ninguém por perto – O “mundo” é seu. Use-o como melhor entender. Atente apenas para o tempo de uso (minutos se transformam em horas).
  2. Quando você está sozinho, mas outros estão próximos – Atente para o volume de som. Mantenha-o em um nível médio e procure tornar a conversa objetiva, simples e rápida.
  3. Grupos informais – Primeiramente, solicite a permissão do grupo para utilizar seu aparelho. Atente para o tempo que você dispensa tanto para seu dispositivo móvel quanto para o grupo em que você se encontra.
  4. Reunião de negócios – Esqueça! Nada disso. Desligue-o.
  5. Reunião de vendas – Esqueça duas vezes! Três vezes! Total falta de sensibilidade e educação.

Telefones inteligentes vieram para ficar, são cada vez mais baratos, suas aplicações se ampliam a cada dia e são muito úteis para profissionais de vendas, mas temos de ser inteligentes – e educados – para utilizá-los.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima