O tripé dos resultados excepcionais

Como melhorar a produtividade das malas diretas

O que faz o sucesso de uma ação de marketing direto? O que justifica uma segunda ou uma terceira ação de mala direta, e-mail marketing, telemarketing ou SMS? Por que uma empresa apostaria no marketing direto como estratégia de crescimento para os negócios?

A resposta a essas e a uma infinidade de outras questões relacionadas ao marketing direto é uma só: resultados. Esse é o DNA da especialidade, o que a diferencia de todas as outras disciplinas do marketing. E os fatores que mais influenciam os resultados em marketing direto são: listas, oferta e criação. Nessa ordem.

  1. Listas – Quem poderia comprar?

    Aqui está o seu público. A meta é atingir o alvo, o grupo de pessoas que tem a maior propensão a dizer “sim” à sua oferta. Como fazer isso?

    • Saiba quem são seus clientes. Estude seu banco de dados e extraia o máximo de informações relevantes sobre essas pessoas ou empresas.
    • Procure os clones dos seus clientes em listas disponíveis no mercado. Confira se a lista é qualificada, atualizada e se tem origem lícita. Conte com uma assessoria para ganhar tempo e reduzir riscos.
    • Teste diferentes listas. Teste diferentes segmentos. Repita os testes.
  2. Oferta – Por que compraria?

    Não basta ter um bom produto ou serviço, pois isso o seu concorrente também tem. Faça uma oferta irresistível e aguce o instinto do cliente para aproveitar uma vantagem ou o receio de perdê-la. Sempre informe o prazo máximo de validade para a oferta. Algumas ideias a serem testadas:

    • Garantia estendida ou serviços agregados.
    • Período de experimentação gratuita (degustação).
    • Frete gratuito.
    • Indicação de um amigo para ganhar um brinde.
    • Concursos ou brindes.
    • Desconto ou “compre um e leve outro grátis”.
    • Estoque limitado.
  3. Criação – Como captar a atenção para a sua oferta e garantir o pedido?

    Texto e imagem devem atuar como seu melhor vendedor, levando o cliente ao clima ideal em que será impossível fazer qualquer coisa diferente de fechar o pedido. A linguagem deve ser adequada ao público; a imagem deve valorizar o produto ou serviço e projetar o cliente na experiência de tê-lo. Algumas técnicas já testadas funcionam bem:

    • Seja pessoal. Transmita o clima de uma conversa. Escreva como você fala. Use “você”.
    • Destaque sua oferta mais poderosa e concentre-se nela. Use outras ofertas complementares para prender a atenção do leitor.
    • Fale sobre os benefícios do seu produto/serviço e como a vida do cliente será melhor quando usá-lo. Lembre-se: ninguém compra características, todos compram o que o produto pode fazer para melhorar suas vidas.
    • Diga e repita o que o cliente precisa fazer para fechar o pedido.
    • Dê um tom de urgência e faça o cliente fechar o pedido no momento: “Ligue hoje mesmo”, “Garanta a sua vaga”, “Aproveite esta oferta limitada”, “Últimas unidades!”.

Aos leitores que acompanham minha coluna há anos, peço desculpas por ela, às vezes, ser repetitiva, mas é inevitável alertar: faça dos testes uma rotina. Teste listas, ofertas, formatos e mídias. Exaustivamente. Continuamente. E quando encontrar a fórmula que gera resultados excepcionais para o seu negócio, continue testando-a.

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima