O Troféu Abacaxi deste mês vai para…

Conheça a história da vendedora chorona de Anápolis (GO)

A vendedora chorona de Anápolis, Goiás, que apelou para argumentos piegas com o objetivo de alcançar a sua meta. Uma das principais dificuldades dos profissionais de vendas é combater as objeções dos clientes, que estão cada vez mais criativos ao bolar desculpas para não comprarem. Porém, a vendedora que abordou a nossa leitora Iwana Taveira apelou para a sensibilidade da cliente em ajudá-la a bater a meta. E deu azar por estar falando com outra vendedora, bem preparada e com uma resposta na ponta da língua. Confira a história:

“Estava pagando uma compra em uma loja de artigos esportivos, quando a moça do caixa me perguntou:

– Gostaria de comprar um título de capitalização? Basta pagar R$16,95.

– Não,obrigada – respondi.

– Ah, participe! Você pode ganhar isso, aquilo e aquele outro.

– Não, obrigada, quem sabe em outra oportunidade…

– Mas é um bom programa!

– Não, querida, eu já disse duas vezes que não quero.

– Então compre para me ajudar a bater a meta do mês! – disse ela, já nervosa.

Desnecessário dizer o quanto eu fiquei estupefata e respondi:

Na verdade, eu sou apenas uma cliente e essa não é minha função. Converse com seu gerente ou com alguém que tenha condições de ajudá-la com melhores ferramentas de argumentação. Esta, por exemplo, você jamais deve usar:  transferir ao cliente a responsabilidade por seu próprio desempenho.”

Obviamente, a vendedora não entendeu nada, mas a dica foi dada!

Você também conhece algum vendedor que merece um Troféu Abacaxi por suas trapalhadas? Conte para a gente pelo e-mail: [email protected]. Se a sua história for escolhida, você ganhará um livro da Editora Quantum.

Ah, se fossem vendedores…

“As pessoas querem que o Brasil vença e ganhe”
Dunga, técnico da Seleção Brasileira de Futebol na Copa do Mundo de 2010.
Não seja derrotado pelas redundâncias ao argumentar com seus clientes.

“Assista, depois do jogo, ao capitulo inédito de Vale a pena ver de novo” 
Galvão Bueno, locutor esportivo, durante um jogo de futebol transmitido durante a tarde.
Cuidado para não forçar a barra quando ressaltar os benefícios de seu produto, ok?

“Imaginem se 11/11/11 cai  em uma sexta-feira 13. Já pensou?”
Daniela Albuquerque, apresentadora de TV, no Twitter.
Pense bem antes de falar alguma coisa para o seu cliente. Ou melhor, pense.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima