O Troféu Abacaxi em vendas vai para…

Você conhece algum vendedor que merece um Troféu Abacaxi?

Graças ao grande sucesso, o que era um box da seção Manual do Vendedor tornou-se uma página inteira em 2012! Para inaugurá-la, vou contar uma situação que vivi com uma vendedora que merece um troféu pela sua trapalhada.

Na próxima edição, aguardo a sua história no e-mail: [email protected]

Caso ela seja escolhida para a seção, você ganhará um livro da Editora Quantum. Participe!

“Entrei em uma loja que ainda não conhecia, com várias peças de roupa em promoção, e aproveitei para experimentar algumas. Fui atendida ao mesmo tempo por duas vendedoras muito simpáticas e atenciosas. Decidi levar duas blusas. Até aí, tudo perfeito!

A surpresa veio no caixa. Uma peça custava R$39,90 e a outra, R$49,90. Ao passar o preço para a nota, as roupas misteriosamente ganharam um adicional de 10 centavos e custariam R$40 e R$50. Foi quando eu questionei:

– Moça, não é esse o valor que está na etiqueta, olha!

Ela, um tanto sem graça, respondeu:

– Você vai pagar em dinheiro? Posso lhe dar os centavos.

– Não, vou pagar no débito! Mas você está arredondando minha conta para cima, não pode!

– Não, não se preocupe, eu faço para você por R$89,80 as duas peças.

– Como assim, faz por R$89,90? Esse é o preço que está na etiqueta!

Parecia que ela estava me fazendo um favor por não cobrar a mais. Lamentável! Vai dizer que essa não merece um troféu?”

Se você já passou por alguma situação irritante, triste e/ou constrangedora, em que você teve de rir para não chorar, premie aquele vendedor com um Troféu Abacaxi!

Ah, se fossem vendedores…

Mereceriam um enorme troféu, também! Neste espaço, haverá frases de personalidades que pisaram na bola e que, se trabalhassem com vendas, estariam passando fome! Veja:

“Não houve um erro. O Inep só não tomou a precaução de informar o número exato do prédio em que as provas serão realizadas. Esse prédio fica a pouco mais de 100 metros de onde fica a reitoria”.

Declaração da presidente do Inep, Malvina Tuttman, após constatação de erros em endereços dos cartões de prova do Enem. Leia a frase acima imaginando que ela trabalha com vendas e anotou o endereço errado do cliente.

“Sou fã dos produtos dele. Até brincavam que eu era dona da empresa também. Você sabe, né? Eu sou a Mulher Maçã. Meu sucesso veio com o da Apple”.

Mulher Maçã, sobre a morte de Steve Jobs. Fica a dica de não forçar tanto a sua identificação com o cliente.

“Não sou o Aurélio e faço o programa como se estivesse em casa. Por isso falo tanta besteira!”

Apresentadora Ana Maria Braga justificando seus deslizes na língua portuguesa. Tenho certeza de que você consegue ser mais sutil e pedir apenas desculpas ao perceber que cometeu um erro com seu cliente!

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima