Planejando-se para o melhor

O que fazer antes de abrir uma nova loja?

Inaugurar uma loja, hoje em dia, está longe de ser uma aventura empreendedora. É um passo bastante sério e que merece muito planejamento, estudo e dedicação.

 

O mercado moderno não admite “jogadores despreparados”. São inúmeros os exemplos de profissionais que se empolgaram e deram um passo maior que as pernas. A concorrência está sempre atenta. O cliente atual é exigente, consciente, mais racional, tem opções, compara mais e exige qualidade e personalização.

 

Embora o caminho seja longo, podemos estabelecer passos lógicos que devem ser seguidos por todos que pretendem alcançar o sucesso pleno em seus novos negócios.

 

Se começarmos pelos famosos “Ps” do mundo empresarial (produto, preço, praça, promoção, pessoas, processos e percepção), já teremos muitas perguntas para responder:

  • Qual será o segmento?
  • Como conseguir informações sobre este setor do mercado?
  • Quais são as associações, entidades de classe, consultorias, etc. disponíveis?
  • Existem oportunidades em termos de variação do produto em questão?
  • Qual é o “fôlego” em termos de investimento e/ou quanto tempo você pode esperar o retorno?
  • Onde será o ponto de venda?
  • Como será providenciada a parte legal, documentos, licenças, etc.?
  • Quais são os concorrentes que já operam neste segmento?
  • O que os clientes buscam neste segmento?
  • Como será minha equipe?
  • Como será a estrutura de apoio?
  • Qual será o diferencial perante a concorrência?
  • Como será divulgado este novo negócio?

 

Ufa! Chega de perguntas? O.k., mas, antes de encerrar, que tal estabelecer um modelo de operação de loja de varejo a ser seguido? Achou bom, não é? Então, vamos lá! A loja ideal do varejo possui uma equipe plenamente treinada, um ambiente em que o cliente goste de estar, é livre e desimpedida para vender e avaliada por padrões objetivos de atendimento e desempenho em vendas.

 

Vamos explorar a afirmação acima. Primeiramente, “equipe plenamente treinada”. Treinamento só é real quando é completo. Tem que contemplar conhecimento do produto, da operação e de técnicas de atendimento e vendas.

 

Outra parte diz “livre e desimpedida para vender”, ou seja, se o mais difícil é atrair clientes, perder oportunidades por despreparo, falta de organização ou falhas estruturais não tem cabimento. Quando falamos “avaliada por padrões objetivos”, queremos dizer que estabelecer padrões (normas e procedimentos) a serem seguidos pela equipe é condição essencial para não fracassar.

 

Outro ponto, ainda nesse tópico, é que a “gestão” fará muita diferença no processo. Nossa experiência nos mostra diversos exemplos de lojas com produtos iguais ou semelhantes em um mesmo mercado; enfim, com circunstâncias bem parecidas – umas bem-sucedidas e outras fracassando dia a dia. Isso graças ao nível de gestão que elas têm.

 

A lista acima é grande, embora ainda não esteja completa. Mas a nossa intenção é dar um norte para a decisão de empreender um novo negócio.

 

O ideal é sonhar grande, começar pequeno e constantemente buscar a excelência. O sucesso não é garantido. Também não é questão de sorte ou acaso.

 

Profissionalismo (sem enganação), planejamento (plano e ação), organização (sem amarras e detalhismo exagerado) e determinação (não teimosia) são os ingredientes fundamentais.

 

Bons negócios, boas vendas e muita paz!

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima