Quer ficar rico? Desenvolva sua inteligência financeira! – GV n. 250

A maioria das pessoas estuda para obter boas notas e conseguir um emprego seguro – não aprendem nada sobre dinheiro, a não ser com aqueles que se aproveitam da ingenuidade delas. O processo se repete com a geração seguinte de trabalhadores. Essa é a Corrida dos Ratos. Rat race (“literalmente” corrida dos ratos) é uma expressão muito usada na língua inglesa para se referir, de modo pejorativo, à incessante busca do sucesso no mundo dos negócios.

A única maneira de sair dessa corrida é provar sua capacidade tanto na contabilidade quanto no investimento, que são dois dos assuntos mais difíceis de se dominar. Mas, se você desenvolver sua inteligência financeira, isso será possível.

Desenvolver e utilizar a inteligência financeira é o ponto crucial que separa as pessoas de mentalidade pobre daquelas que se tornam ricas. Quantos indivíduos, mesmo muito instruídos, continuam com uma mentalidade pobre, lutando com problemas financeiros durante toda a vida? Toda essa reflexão e as repostas para muitas perguntas sobre finanças pessoais estão na obra de Robert T. Kiyosaki: Pai rico, pai pobre.

Robert dá muitas respostas através de lições. A primeira delas, e provavelmente a mais importante, é que “as pessoas de mentalidade pobre, e que pertencem à classe pobre e à classe média, trabalham pelo dinheiro. Os ricos fazem o dinheiro trabalhar para eles”.

Existem algumas poucas pessoas que não aceitam trabalhar por um salário pequeno ou por aquilo que não acham justo, e é o fato de elas não aceitarem que determina que podem aprender a ser ricas. Mas a maioria das pessoas prefere não arriscar e se sentir seguras, ou seja, não são conduzidas pela paixão de ganharem mais, e sim pelo medo.

Algumas dizem que os empresários exploram os empregados porque não pagam tanto quanto merecem. Na verdade, as pessoas exploram a elas mesmas. O medo é delas, não do dono da empresa. Além do mais, ainda que recebam um salário maior, isso não vai resolver o problema. Quantas pessoas até ganham bastante dinheiro, mas, mesmo assim, não dão conta das despesas? Às vezes, é até pior que a pessoa receba mais dinheiro, pois aí ela passa a se endividar ainda mais.

Para não ter problemas financeiros e conseguir fazer o dinheiro trabalhar para você, é preciso aprender, por exemplo: como um trabalhador se sente quando recebe seus contracheques? Especialmente com todos os descontos de impostos e outros itens? Por que é que as pessoas deixam que o governo faça isso com elas? Os pobres e a classe média deixam. Já os ricos estudam a legislação e contratam contadores e advogados para encontrar maneiras legais de pagarem menos impostos. Eles conhecem a regra do jogo. As pessoas de mentalidade pobre reclamam das coisas, mas, na verdade, não tomam atitude alguma quanto a isso.

Pronto para aprender? Prepare-se, pois este é um estudo que durará uma vida inteira, simplesmente porque quanto mais souber, mais descobrirá que ainda tem de aprender. Em geral, as pessoas nunca estudam o assunto – trabalham, recebem o salário, conferem os canhotos do talão de cheques, e isso é tudo – e ainda se espantam por terem problemas de dinheiro. Então, pensam que mais dinheiro vai resolver a situação. Poucos percebem que o que lhes falta é inteligência financeira.

           

A inteligência financeira é constituída por estas quatro habilidades técnicas:

  1. Alfabetização financeira –A capacidade de entender números. Estude conceitos básicos de contabilidade e investimentos e, cada vez mais, procure se inteirar do assunto.

  2. Estratégias de investimento –A ciência do dinheiro fazendo dinheiro. Desenvolva sua criatividade financeira. Pense diariamente em maneiras de ganhar dinheiro de forma legal. Robert, em seu livro, dá alguns exemplos do levantamento de grandes quantias em dinheiro a partir de nenhum dólar.

  3. Oportunidade do mercado –Robert vendeu uma casa de US$75 mil por US$60 mil, sendo que lhe custou US$20 mil, esse é um bom exemplo da obtenção de resultado a partir de uma oportunidade criada pelo mercado.

  4. Conhecer a lei –O conhecimento de leis e regulamentos estaduais e nacionais sobre contabilidade e empresas. Robert recomenda que você se jogue dentro das regras.

 

A regra número um

Se tudo isso tivesse de ser resumido em uma única regra, ela seria: “Você tem de conhecer a diferença entre um ativo e um passivo e comprar ativos”. Caso deseje ser rico, isso é tudo o que precisa conhecer. É absurdamente simples, mas é muito profundo.

A maioria das pessoas sente dificuldades financeiras porque não conhece a diferença entre um ativo e um passivo. As pessoas ricas adquirem ativos (fazem investimentos que rendem juros, compram coisas que façam gerar mais dinheiro), já os pobres e a classe média adquirem obrigações pensando que são ativos (por exemplo: compram carros financiados achando que são ativos. Na verdade, todo carro é um passivo, afinal, ele faz a pessoa gastar ainda mais: seguro, gasolina, IPVA, sem contar que só desvaloriza com o tempo). Simplificadamente, um ativo é algo que põe dinheiro no seu bolso e um passivo, algo que tira dinheiro do seu bolso.

Se quiser ser rico, simplesmente passe sua vida comprando ativos. Se quiser ser pobre ou pertencer à classe média, passe a vida comprando passivos.

 

Qual é seu negócio?

Um dos problemas com a faculdade é que frequentemente você se transforma naquilo que estuda. Se estudar, digamos, culinária, você se tornará um chef. Caso estude direito, será um advogado e, se estudar mecânica de automóveis, irá se tornar um mecânico. O erro de se tornar aquilo para o qual você estuda é que muitas pessoas esquecem de cuidar de seu negócio. Elas passam a vida cuidando dos empreendimentos de outras pessoas e enriquecendo elas.

Para ter segurança financeira, é preciso cuidar do seu negócio, que gira em torno de sua coluna de ativos em oposição a sua coluna de renda. Como dito anteriormente, a regra n° 1 é conhecer a diferença entre um ativo e um passivo e comprar ativos. Os ricos se concentram em sua coluna de ativos, enquanto os demais se preocupam com sua renda.

É e por isso que ouvimos com tanta frequência: “Preciso de um aumento. Se pelo menos conseguisse uma promoção. Vou voltar a estudar para poder procurar um emprego melhor. Vou fazer hora extra. Quem sabe consigo mais um emprego. Vou me demitir em duas semanas, encontrei um emprego com salário maior”. Em alguns círculos, essas são ideias sensatas. Contudo, se prestar atenção, verá que ainda não está cuidando do seu negócio. Essas ideias todas ainda focam a coluna da renda e só ajudarão a pessoa a ter mais segurança financeira se o dinheiro adicional for utilizado na aquisição de ativos geradores de mais renda.

Comece a cuidar de seus negócios. Fique no seu emprego, mas passe a comprar ativos reais, não passivos ou objetos pessoais que não têm valor real, uma vez que você os leva para dentro de casa. Um carro novo perde cerca de 25% do preço no momento em que sai da concessionária.

A lição é manter reduzidas as despesas, reduzir os passivos e formar diligentemente uma sólida base de ativos. Mas que tipo de ativos você pode adquirir? Ativos reais se agrupam em várias categorias diferentes, confira!

 

  • Negócios que não exigem sua presença. Você é o dono deles, mas eles são administrados por outras pessoas. Se você tiver de trabalhar neles, não é um negócio, torna-se uma profissão.

  • Ações.

  • Títulos.

  • Fundos mútuos.

  • Imóveis que geram renda e/ou se valorizam.

  • Promissórias.

  • Royaltiesde propriedade intelectual, como: música, escritos, patentes.

  • Tudo o que tenha valor, gere renda ou se valorize e tenha um mercado líquido.

 

Quanto melhor entender a contabilidade e a gestão do dinheiro, melhor poderá analisar os investimentos. Veja que você não precisa ter uma empresa para cuidar do seu negócio. O que precisa é gerenciar suas entradas e saídas, independentemente de onde trabalhe.

Faça a manutenção constante dos seus ativos. Se um real entrar, nunca o deixe sair. Pense deste modo: uma vez que um real entra na coluna dos ativos, ele se transforma em seu empregado. O melhor do dinheiro é que ele trabalha 24 horas por dia e pode fazê-lo durante gerações.

À medida que seu fluxo de caixa cresce, você pode comprar alguns artigos de luxo e se presentear com alguns passivos. Uma distinção importante é que os ricos compram os artigos por último, enquanto pobres e classe média tendem a fazê-lo antes de construírem seus ativos. Frequentemente, muitos pobres e pessoas de classe média compram itens de luxo – como casas grandes, diamantes, peles, joias ou barcos – porque desejam parecer ricos e acabam se afundando em dívidas. As pessoas que já têm dinheiro, os ricos a longo prazo, constroem primeiro sua coluna de ativos. Então, com a renda gerada por sua coluna de ativos, compram alguns passivos. Um artigo de luxo verdadeiro é uma recompensa por ter investido e desenvolvido uma coluna de ativos.

Depois que você dedicou seu tempo e investiu em seus negócios, está pronto para continuar sua trajetória de rico. Poderá dizer “sou rico”, mesmo que estiver com pouco dinheiro e, após um revés financeiro, poderá continuar a se considerar uma pessoa rica. Robert aprendeu que há uma diferença entre ser pobre e estar com pouco dinheiro: estar com pouco dinheiro é algo temporário, ser pobre é algo eterno.

 

Livro:Pai rico, pai pobre

Autores:Robert T. Kiyosaki e Sharon L. Lechter

Editora:Campus/Elsevier

Colaboração:Marco Aurélio Marcondes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima