Registrando a história de um campeão de vendas

Um exemplo inspirador

Eu conheci muitos vendedores andando pelo Brasil e pelo mundo. Sou um vendedor convicto e um estudioso apaixonado pela área, mas de vez em quando, eu conheço pessoas que chamam muito minha atenção.

Sem demagogia, o exemplo que irei contar aqui é simples, convencional e ao mesmo tempo, inspirador e genial.

Ricardo Nogueira é um vendedor da Oesp Estadão, uma das melhores escolas de vendas do Brasil. Quem me apresentou esta figura foi o mestre José Luiz Tejon Megido, que foi chefe dele e de centenas de campeões de vendas enquanto atuava como diretor do Grupo Estado.

O Nogueira, como é chamado, foi convidado por nós para ser o primeiro a escrever um livro de vendas no mais novo projeto que estamos trabalhando: o projeto meu livro de vendas – lançamento.

A escolha foi intuitiva e muito assertiva, porque o Tejon sabia que um homem de vendas com mais de 20 anos, figurando entre os melhores, um destes que não deixa de bater cota um mês sequer, seria um exemplo louvável para estrear esta grande vitrine de bons livros de vendas. Queríamos alguém com uma história para contar e o Nogueira me revelou algumas, que me fizeram ter a certeza de que era a pessoa certa.

Sabe aquele tipo de vendedor que é difícil de encontrar hoje, que faz coisas que muitos não fazem mais, como: fazer visitas frias e ter bom argumento para o cliente atendê-lo; ou que quando não é atendido pelo cliente, inventa um personagem com uma voz diferente e que consegue acessar o cliente, fingindo ser um gerente da empresa e capaz de destacar as novidades que ele (próprio), o Nogueira, levará em sua próxima reunião com este cliente.

No dia que conheci o Nogueira, conheci um pai de família, com causas para ser entusiasmado após 27 anos em vendas, pelo seu trabalho.

Ele acabava de chegar do Ceasa em São Paulo, pois tinha ido vender para um de seus clientes que mantém um box de venda de hortaliças lá. Esse cliente estava fugindo dele, literalmente. Quando o viu, disse o Nogueira, escapou perambulando entre os corredores com prateleiras que existem nas instalações dos comércios de lá. Nogueira passou então a persegui-lo, olhando entre as frestas das prateleiras, seguindo os passos quando via os sapatos do cliente. Olha que coisa sensacional. Ele brincou comigo: “parecia pega-pega ou esconde-esconde”, brincadeira de criança. Mas eu não desisti, até que a situação ficou cômica, quando ele encontrou o cliente e disse; “te peguei, o senhor me cansou hoje”. Pudera, afinal, o cliente é quem deveria dizer isso, mas  com o carisma do Nogueira, com seu bom-humor, o cliente lhe sorriu e disse: “você não desiste”. O cliente sabendo que o Nogueira era um grande vendedor tentou escapar, porque seria impossível transpor a sua criatividade e altivez.

Agora o mais incrível de tudo isso, é que o Nogueira usou uma ferramenta nova de vendas neste dia. Ele tinha mandado fazer um carimbo, escrito: CLIENTE ESPECIAL e já tinha carimbado isso na renovação contratual deste cliente. Apresentou-a destacando o seguinte: eu vim aqui para continuar aumentando suas vendas e a força de sua marca. Por ser um cliente antigo, merece destaque entre os demais e por isso, olha o contrato de renovação do senhor e compare com estes outros que levo em minha pasta: só o seu tem o carimbo.

O cliente sorriu, e pelo simples fato do Nogueira sempre inovar, acreditar nesse carimbo, ter a atitude da persistência, o cliente não declinou e renovou.

É meus amigos, um vendedor de listas telefônicas, guias de bairro, de mídia impressa e digital, que vende mais de 30 milhões por ano, que nunca perde suas metas e que é campeão, logo mais irá ter seu livro, com prefácio feito por mim e pelo Tejon.

Se você é um vendedor ou líder de equipe comercial, faça seu livro de vendas como o Nogueira e use esse material para presentear clientes, pode ser que seu livro vire um best-seller, nunca se sabe. O melhor, não custa nada. Acesse www.projetomeulivro.com.br

Boas vendas!

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima