Ser ágil e aumentar suas chances de fechar vendas – CV n. 37

Índice

 

Nesta edição aprenda como:

1. Proporcionar experiências inesquecíveis aos clientes

2. Aumentar suas vendas utilizando a criatividade

3. Criar alternativas para conseguir um espaço no mercado

4. Ser ágil e aumentar suas chances de fechar vendas

 

 

1. Proporcione experiências inesquecíveis!

 

Katiana Fernandes de Alencar trabalhava como professora e para completar a renda da família começou a vender roupas. “O que a princípio era algo secundário hoje é a minha profissão”, conta. Percebendo sua aptidão, ela largou as aulas e continuou a vender. Começou a apostar na facilidade e conveniência. “A minha loja é móvel, coloco as roupas dentro do meu fusquinha e vou até às minhas clientes”, revela. Pouco tempo depois, percebeu que deveria buscar formas de promover sua marca.

 

Foi então que teve uma idéia muito interessante: passou a realizar desfiles para suas clientes em sua própria casa. Tudo muito bem planejado, com direito a tapete vermelho, modelo profissional, dj – no caso seu marido, que cuidava do som e iluminação –, além do coffee break preparado por Katiana e sua amiga.

 

Para a divulgação, ela elaborou um jornal informativo e um brinde em formato de meia com a logomarca da empresa, que funciona como porta-objetos.

 

Com essa ação sua carteira de clientes aumentou 150%.

 

Dica prática

Assim como Katiana, você também pode usar a criatividade para vender mais. O que

marca a história dessa grande vendedora é que, embora possuísse poucos recursos, envolveu sua família inteira em um projeto que acreditava que iria encantar as compradoras. Ela conseguiu alcançar seu objetivo, pois, além de fechar novas vendas, proporcionou uma experiência inesquecível às suas clientes.

 

Muitos vendedores pensam que gerar uma forte experiência custa caro, mas existem ações de baixo custo, como no caso da Katiana. Dedique um momento do seu dia para pensar no que você poderia fazer para deixar seu público encantado. Ao realizar esse exercício, lembre-se de levar em conta as expectativas dele.

 

Faça uma análise do que seu cliente geralmente procura e ao que costuma dar mais valor. Não esqueça que as pessoas são diferentes e que para algumas o que encanta é ganhar tempo, já para outras é a atenção. Mas, em geral, o que costuma ficar gravado na memória do cliente é aquilo que ninguém mais faz. Seja criativo e diferencie-se! É bem provável que você consiga superar as expectativas do cliente e vender mais.

 

 

2. “Criative-se”

 

Você acha difícil vender seu produto ou serviço? Então, leia a história do vendedor de botijões de gás de cozinha Jean Hudson de Souza.

 

Ele iniciou no ramo e começou a distribuir panfletos, colar cartazes e utilizar um megafone no carro. Estratégias comuns que não foram suficientes para fazer os clientes lembrarem seu telefone na hora em que o gás acabava. Por isso, ele resolveu inovar: com uma apresentação pessoal impecável e uma pasta começou a visitar residências, analisando se tinha algum vazamento ou entupimento no fogão e se tudo estava em segurança, conforme o Inmetro.

 

Após verificar todos os itens, fazia uma limpeza nos bicos do fogão e orientava o cliente sobre o uso correto do fogão e como poderia economizar gás. Além disso, ele deixava um folheto de informações com seu telefone e um forro de botijão (com seu telefone) como brinde para que a dona de casa usasse na cozinha. Também deixava claro que se o cliente tivesse qualquer problema com o botijão ou entupimento de fogão, era só ligar que ele enviaria um técnico. “Assim, eu conquistava a simpatia e a fidelização dos clientes”, conta Jean.

 

Separe um tempo, pelo menos 15 minutos por dia, para pensar em maneiras diferentes para realizar o seu trabalho, o atendimento ao cliente e cada etapa da venda. Não espere que a criatividade surja espontaneamente. Não é fácil ter novas idéias, principalmente se você estiver com a mente programada para pensar e fazer sempre da mesma maneira.

 

____________________

 

3. Cabelos que vendem

 

O que você faria se vendesse um produto de excelente qualidade, mas tivesse dificuldades para conseguir espaço no mercado? Inspire-se na história de Maria da Glória Alvim Lima e aumente suas vendas.

 

Ela trabalha com vendas de produtos exclusivos para salões de beleza em Barra Mansa, Rio de Janeiro. No entanto, não conseguia vender porque os salões já trabalhavam com algumas marcas e estavam satisfeitos.

 

Como a abordagem normal não estava dando resultados, Maria começou a pensar em alternativas. Até que teve a idéia de montar kits de manutenção capilar que continham shampoo, condicionador e finalizador, tudo dentro de uma nécessaire. Ela deixava os kits para os salões através do sistema de consignação e dava liberdade para os clientes estabelecerem o preço que quisessem. “Consegui provar que meu produto era de primeira qualidade, graças ao meu conhecimento sobre ele, por analisar a concorrência e destacar meus diferenciais”, conta.

 

Coloque suas idéias em prática. Um dos principais motivos que fazem as pessoas bloquearem a criatividade é o medo de errar. Você acha que para praticar uma idéia precisa estar absolutamente seguro de que dará certo e, com isso, vai se acomodando, indo pelo mesmo caminho que os outros e fazendo o que está sendo feito. Esse até parece o caminho mais confortável, mas nem sempre é o melhor ou o mais lucrativo. Podem existir caminhos mais interessantes.

 

4. Vendendo até no hospital

 

Bernadete G. Pedrosoafirma que “agilidade” é uma das palavras que mais são usadas em seu trabalho, sempre acompanhada de “habilidade” e “criatividade”. Após assumir sua função como gerente, seu principal desafio foi aumentar a receita da sua empresa.

 

Quando soube que um prospect iria inaugurar uma loja na cidade, ela se preparou para uma visita. Ao fazer contato, descobriu que ele estava internado em um hospital, sem previsão para sair – nem iria à inauguração. Então, Bernadete lhe desejou melhoras e se interessou pelo caso. Aí, veio o convite: “Traga sua proposta aqui no hospital para eu dar uma olhada”, falou o cliente enfermo.

 

Chegando lá, a vendedora o encontrou dormindo e pacientemente aguardou ele acordar. “Conversa vai, conversa vem, fechamos o negócio”, conta a vendedora. No momento de assinar o contrato, ele não conseguiu, pois sua mão direita estava imobilizada devido ao soro na veia. “Não faz mal, assina com a esquerda. Ele sorriu e não é que assinou mesmo? Foi muito engraçado”, exclamou Bernadete.

 

Box:

Conte-nos como você usou sua criatividade para vender mais, conquistar mais clientes e melhorar seu trabalho! Envie sua história para o e-mail: [email protected] ou pelo fax: (41) 3338-3321. Se ela for publicada, você ganhará uma assinatura anual da newsletter Criatividade em Vendas.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima