Somando desafios e resultados de sucesso

Por uma calculadora, aos 11 anos Ítalo Bezerra tornou-se um campeão de vendas. Conheça a história dele

O desejo de ter uma calculadora fez de Ítalo Bezerra um supervendedor aos 11 anos

O que fez Ítalo Diógenes Holanda Bezerra se tornar vendedor foi um desejo de consumo de sua infância, época que ele considera a melhor fase de sua vida: “Uma das experiências mais saudosas pelas quais passei determinou quem eu sou hoje”.

A experiência aconteceu quando ele tinha apenas 11 anos e morava em Juazeiro do Norte (CE) – cidade de Padre Cícero, o cearense do século – como gosta de frisar. Certo dia conheceu um objeto da mais alta tecnologia digital da época: uma calculadora Dismac MM8. Ele conta que as lembranças desse momento estão vivas em sua memória até os dias de hoje, desde o cheiro e as características do objeto até a maneira como os números apareciam lentamente quando a calculadora era ligada. “Digitar a operação e ver os resultados aparecerem imediatamente era uma fabulosa experiência para mim”, relembra.

Ítalo teve o desejo de possuir aquela calculadora, mas para isso precisou convencer o pai, ferrenho defensor das contas manuais e que tomava a tabuada de trás para frente dos filhos, a deixá-lo comprar uma. Para uma pergunta óbvia de seu pai, sobre como iria conseguir dinheiro para comprá-la, Ítalo tinha uma resposta firme na ponta da língua: trabalhando. Como? Vendendo imagens de santos na feira.

O garoto foi liberado pelo pai, porém com diversas advertências: “Cuidado ao fazer as contas, com calotes, tenha responsabilidade, saiba o que está fazendo e qual é o seu objetivo”. Seguindo esses conselhos, Ítalo falou com uma amiga de sua mãe, Zilma, proprietária de uma loja de produtos religiosos, sugerindo que ela lhe consignasse o estoque. “Como ela me conhecia, se sentiu tocada e ao mesmo tempo desafiada por minha história. Dona Zilma foi a minha primeira parceira comercial”, conta.

O vendedor mirim posicionou sua barraca na primeira fila e no melhor acesso da feira, estudou a vida de todos os santos, colocou uma grande imagem de Padre Cícero com os terços e as orações nas mãos, e pediu a bênção sobre as vendas: “O milagre que pedia aconteceu. Meu modesto estoque era renovado várias vezes diariamente, em uma velocidade que exigiu ajuda extra. Virei a atração da romaria. Imagine um menino cabeçudo e de chapéu de palha contando a vida do santo aos berros.  Aproveitava o costume dos romeiros de andarem em grupos e, assim que eles apareciam, começava minha apresentação. Vendia os santos como água”.

Nos quatro dias de trabalho, durante a romaria, Ítalo não conseguiu apenas o dinheiro para comprar a calculadora, mas também para encher o tanque de combustível do carro de sua mãe. “Ainda sobrou dinheiro para dar início à minha primeira poupança. Foi uma experiência incrível e que me mostrou a carreira que devia seguir”, conta.

Carreira

Anos depois, Ítalo cursou faculdade de contabilidade e estagiou em uma imobiliária, na qual trabalhou por três anos, tornando-se corretor oficial. Recebeu um convite para trabalhar com investidores do mercado de ouro e, logo depois, aos 21 anos, assumiu seu primeiro cargo executivo: a gerência de uma fábrica de cosmético, a qual estava iniciando no mercado. Nessa empresa implementou no departamento comercial um sistema de venda mista entre distribuidores locais e venda direta.

O sucesso abriu portas para um novo desafio e ele foi convidado pela Unimed para assumir a gerência de uma unidade no interior do estado, em Limoeiro do Norte. Em menos de três anos, Ítalo conduziu a filial de décima para a terceira colocação em número de usuários no estado, além de viabilizar a construção de uma sede própria e uma unidade de pronto atendimento. Novamente os resultados apresentados o levaram a assumir mais responsabilidades e, então, tornou-se o responsável comercial pela Federação da Unimed no Ceará, e depois pela superintendência da Univendas do Brasil, em Belo Horizonte.

Novos rumos

Após 15 anos de aprendizado e bons resultados na Unimed, em um momento de segurança e plenitude profissional, foi desafiado a mudar totalmente de ramo: “Minha carreira deu um giro de 180º e fui atuar no mercado moveleiro. Estava em uma zona de conforto e fui desafiado a sair dela. Acredito que todo profissional é tocado por este sentimento, de mostrar que é capaz de atuar com sucesso em outro segmento que desconhece totalmente”.

Por oito anos Ítalo atuou no Grupo Tubform, tempo suficiente para que passasse a admirar o mercado moveleiro, por ter uma dinâmica própria, estar fortemente atrelado às necessidades e aos desejos do consumidor e pelo amplo desenvolvimento em conceitos e profissionalização. “Juntei-me a um projeto de desenvolvimento e ajudei a montar uma equipe de mais de mil funcionários, em uma das maiores fabricantes de móveis do País”, conta. Em 2012, retornou à Unimed Ceará, com o objetivo de consolidar e dinamizar o departamento comercial da companhia.

Esses desafios foram superados com a ajuda dos ensinamentos que ele obteve desde a primeira experiência com vendas: foco em um objetivo, responsabilidade e ciência de suas ações o tornaram um supervendedor em diversas áreas. “Procuro sempre buscar conhecimento, ser responsável por meus desafios e nunca esquecer que as relações comerciais são uma via de mão dupla, por isso é importante existir um equilíbrio de propósitos para que as expectativas de ambas as partes sejam atendidas”., di.E deixa um conselho para todos os vendedores que queiram se tornar supervendedores: “Seja incansável na busca pelo conhecimento, soberano na defesa e no zelo da profissão e posicionado na construção do plano de visão futura, sem descansar das ações construídas no presente”.

Perfil

  • Nome completo: Ítalo Diógenes Holanda Bezerra.
  • Cargo: coordenador comercial da Unimed – CE.
  • Há quanto tempo trabalha com vendas: 32 anos.
  • Sua primeira venda foi: uma imagem de santo, aos 11 anos.
  • A venda mais importante foi: a primeira.
  • Sua maior motivação: desafiar limites.
  • Objetivo para daqui a cinco anos: ter a minha própria indústria moveleira.

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima