Usando outras vendas para ganhar mais – CV n. 93

Nesta edição:

O poder do Twitter

Para os muito paranoicos

Usando outras vendas para ganhar mais

 

Publicidade

A força da internet

Uma camiseta simples se tornou o mais novo fenômeno da internet, pois aumentou as vendas em 2.300% e acabou sendo um dos itens mais vendidos da história da seção de roupas do site Amazon.com. Tudo começou quando uma pessoa postou um comentário sobre a camiseta: “É bem larga, tem lobos nela e atrai as mulheres”. Esse foi o motivo para centenas de engraçadinhos colocarem comentários gozando a roupa e atribuindo a ela poderes milagrosos. Assim como esse caso, as comunidades têm uma força muito grande na internet. Preste atenção no que os visitantes de seu site dizem e querem.

 

Publicidade

Venda por e-mail

Começam a aparecer vários programas que permitem que todo e-mail enviado de sua companhia saia com banners de anúncios, links que podem ser clicados, bordas com propagandas, entre outros. Basicamente, é uma assinatura anabolizada, que pode fazer muito por sua empresa. A ideia por trás desse tipo de correspondência é que os indivíduos tendem a valorizar ainda mais os e-mails pessoais. Isso funciona? Sean Guerin é dono de uma loja de artigos para informática e conserto de impressoras e decidiu instalar o programa nas máquinas de todos seus 60 funcionários. Na primeira semana, vendeu uma impressora profissional de 8 mil dólares quando respondeu ao e-mail de um vizinho agradecendo o convite para jantar. Tenha, no mínimo, algumas frases vendedoras e o site de sua organização na assinatura de todos os e-mails da companhia.

 

Novos produtos

Para os muito paranoicos

A fim de aproveitar a onda de sustentabilidade que assola as grandes cidades do mundo, uma empresa francesa criou um sensor de poluição para as pessoas usarem no pulso. Através de um GPS, o aparelho informa o nível de CO2 de cada local onde o indivíduo se encontra em tempo real. A ideia é que os cidadãos usem isso para alertar as autoridades sobre as ruas mais problemáticas de cada cidade ou ainda evitá-las. Certamente, um sonho de consumo de “ecochatos” de plantão (o ecochato é o ecologista ortodoxo, rigoroso e inflexível que não faz concessões aos desenvolvimentistas e consumistas).

 

Novos produtos

Alívio imediato

O que qualquer mulher deseja depois de horas e horas dançando na balada? Foi pensando nessa resposta que surgiu, na Grã-Bretanha, uma empresa chamada Rollasoles. Basta a cliente ir até uma de suas vending machines, instaladas nas principais casas noturnas, depositar algumas moedas e pegar uma confortável sapatilha para se livrar dos saltos altos. Estão disponíveis vários números nas cores preta, dourada, prateada e rosa. A embalagem também resolve alguns problemas: as sapatilhas são vendidas enroladas, dentro de caixinhas, a fim de economizarem espaço e, com cada par, a consumidora ainda leva uma pequena sacola para guardar seus sapatos de salto.

 

Mídias alternativas

O poder do Twitter

Primeiro foi uma padaria britânica, que avisa os clientes quando a fornada de pão está pronta. Agora, uma pizzaria de Nova Orleans também resolveu usar o Twitter para atrair mais consumidores.

 

A Naked Pizza lançou uma promoção e divulgou a novidade na rede social, em vez de apostar apenas nos meios tradicionais. A iniciativa deu tão certo que, em um único dia, as vendas aumentaram em 15%. A cada ligação recebida, perguntavam ao cliente como havia sido informado do desconto e a maioria respondia que soube através do Twitter, comprovando o alcance da ferramenta.

 

Animados com os resultados, a pizzaria pretende, nos próximos meses, cadastrar os 5 mil seguidores que têm Nova Orleans como cidade natal no Twitter. Já existem empresas no Brasil utilizando essa ferramenta como estratégia de marketing. Ela não tem custo e traz resultados imediatos devido a rapidez com que as mensagens se espalham. Quer algo melhor que isso para anunciar o que você vende?

 

Posicionamento

Mudança óbvia

As agências de viagens do mundo inteiro são bem parecidas: todas cobertas de fotos de destinos exóticos e cartazes chamativos com promoções a fim de que você viaje para este ou aquele lugar. Uma agência da Hungria percebeu que faria muito mais sentido para o viajante se perguntasse, primeiramente, quando ele gostaria de tirar férias. Então, ao entrar no site da agência, o prospect informa o período em que quer viajar. A partir daí, o site traz opções de pacotes, ofertas, shows e eventos em diferentes locais, além de outras informações. Essa mudança simples fez com que a agência se tornasse a mais visitada do país. O que seu cliente quer?

 

Serviços ao consumidor

Espaço de degustação

Durante um mês, quem passou pelo Aeroporto Internacional de Congonhas, em São Paulo, pôde conhecer e comprovar o motivo de tanto sucesso dos netbooks e notebooks. A Positivo Informática montou um estande na área de embarque em que promotores mostravam – e o público experimentava – os mais recentes lançamentos da companhia. “Mais que falar sobre nossos equipamentos, estamos colocando-os à disposição dos consumidores para que eles mesmos comprovem as vantagens de nossos produtos”, afirma César Aymoré, diretor de marketing da Positivo Informática. Claro que você não precisa fazer uma ação grandiosa como essa e expor seus produtos no aeroporto, no entanto, pode começar a pensar onde encontrar seu público-alvo para definir ações de demonstração – simples, mas funcionais – do que você vende.

 

Publicidade

Local certo

“A vida é muito curta para escolher o emprego errado.” Com esse slogan e propagandas aplicadas em locais criativos, uma agência de empregos consegue se destacar. Na foto ao lado, o anúncio que foi aplicado em uma máquina de café, mostrando um desses empregos errados. Surpreenda sua audiência.

 

Uma experiência criativa

Usando outras vendas para ganhar mais

André Silva, palestrante de motivação e vendas, vendia consórcios no começo de sua carreira. Certa vez, foi para o interior do Rio Grande do Sul oferecer seu produto. “Entrei na prefeitura local e, logo no primeiro departamento, fiz a demonstração do produto, uma cliente ficou interessada, mas não comprou. Pensei o seguinte: vou oferecer para as colegas dela, pois se uma comprarem, aumentam minhas chances de na saída fechar o negócio com essa mulher”, conta.

 

E foi o que Silva fez. “Na hora de ir embora, já tinha vendido para duas colegas dela, então, decidi voltar a oferecer para a primeira pessoa com quem tinha falado. Sentei em sua mesa e questionei: ‘O que a está impedindo de fazer negócio comigo?’. Ela respondeu: ‘Preciso pensar!”. Concordei, mas perguntei quanto tempo fazia que ela estava pensando em adquirir e acabava protelando. Nesse momento, ela refletiu e disse: ‘Já faz um bom tempo’. Fez o seguinte questionamento: ‘Como faço para realizar os pagamentos?’. Então, o sinal de alerta piscou, pois tinha chegado a hora de concretizar o negócio. Usei o fechamento alternativo, perguntando se queria receber as correspondências no endereço pessoal ou profissional. Ela disse que gostaria de receber em casa. Por fim, peguei o contrato e fechei o negócio”.

 

Silva lembra que foi um grande desafio realizar essa venda, mas ela nunca mais saiu de sua memória.

 

Grandes números

80é o número de vezes que chega os financiamentos de carros nas concessionárias do País.

Fonte: Bom Dia Brasil

 

1,1%foi a alta da produção industrial registrada em abril na comparação com o mês de março em relação ao mesmo período de 2008.

Fonte: IBGE

 

13,6é o aumento do número de internautas residenciais ativos no Brasil em um ano.

Fonte: Ibope Nielsen Online

 

Frase

“A criatividade consiste no total rearranjo do que sabemos com o objetivo de descobrir o que não sabemos”
George Kneller

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima