Vai uma motivação aí?

Cláudio Tomanini apresenta o dilema da motivação O mercado de vendas adora falar em motivação. As empresas possuem equipes inteiras tentando, diariamente, fechar novas vendas e atingir as tão sonhadas metas e passam muito mais tempo do que deveriam se perguntando: ?Minha equipe está motivada??. Ao chegarem à conclusão de que ?falta motivação?, as empresas correm atrás dos célebres palestrantes motivacionais.

Eu também sou palestrante, e muitos até me encaixam nessa modalidade, mas ouso repetir aqui que não vendo motivação, não garanto motivação, não prometo para platéias de vendedores ? seja do produto ou serviço que for ? que sairão da minha apresentação com a semente da motivação plantada e regada dentro delas.

Ora, nem poderia, pois motivação não é algo que alguém pode dar, não é algo que você encontra em uma caixa embrulhada para presente. Não! Motivação está dentro de cada um. Em alguns pode estar escondida; em outros, até morta. Entretanto, nada nem ninguém pode transformar isso, a não ser a própria pessoa.

Antes que eu caia em algum tipo de clichê e antes que as empresas se desesperem pensando no que farão agora, já que ninguém vende motivação, faço questão de esclarecer que existe saída para esse dilema. É mais trabalhosa, claro, do que marcar uma data, reunir todos em uma sala e falar belas palavras.

A solução é conhecer a sua equipe de vendas. Saber quais são as suas limitações, prestar atenção em onde exatamente estão os problemas e entender as principais dificuldades da equipe. Afinal, é conhecendo as dificuldades que se busca a solução para os problemas provenientes delas.

A equipe precisa ter entrosamento, e não adianta dar as mãos, uma ou duas vezes ao ano, e gritarem juntos o quanto se amam. É entrosamento no dia-a-dia, nas falhas e nas vitórias. Em vez de pensar em motivação, é melhor pensar em incentivo e estímulos. Realizar táticas que mantenham a equipe sempre em busca do estimulo necessário.

Aí está o segredo: investir na descoberta do que estimula a equipe, porque são esses estímulos os verdadeiros motivadores. Cada um tem a sua alavanca de start, e somente inventando, criando, revendo e investindo no relacionamento da equipe, é que cada um irá saber qual é a sua.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima