Vancê, vossamercê, vansucê, vosmecê, ocê…

Você sabe se comunicar corretamente?

Se você for gaúcho e tiver lido o título deste artigo, pode até ficar em dúvida quanto ao significado de cada uma dessas palavras. Se for mineiro, não terá dificuldade de reconhecer algumas delas. Ou seja, dependendo de quão familiarizado você estiver com o português arcaico ainda utilizado pelo interior do Brasil, mais fácil será entender o que cada uma dessas palavras quer dizer.

 

A diferença entre o que dizemos e o que o outro entende é que faz com que a comunicação seja eficiente ou não. Relembremos o clássico modelo:

 

 

Quando alguém não entende o que você está dizendo, de quem é a culpa? Ela é total e integralmente sua.

 

Digo tudo isso porque me preocupo muito com vendedores que não cuidam do português e saem por aí dizendo verdadeiras barbaridades, capazes de envergonhar o mais liberal dos linguistas. São pessoas que se preocupam com as aparências, mas não têm o mesmo cuidado em falar corretamente a língua pátria.

 

Apenas para dar um exemplo, praticamente todas as vezes em que estou no aeroporto reclamo das atendentes que dizem que “a aeronave se encontra em solo”. Por quê? Porque nenhuma aeronave está em solo, assim como os navios não estão “em mar” ou os carros “em rodovia”. O certo é dizer no solo, mas parece que ninguém se dá conta do erro brutal que está cometendo.

 

Conheço vendedores que lembram a personagem Ofélia, pois só dizem besteira quando abrem a boca. Sei que muitas vezes os erros de português se originam em vícios de linguagem que são difíceis de ser eliminados (é o caso do clássico “um chopps e dois pastel”, tão típico dos paulistas). Mas precisamos ter em mente que somos uma espécie de outdoor ambulante, que não se cansa de propagar a imagem de nossa empresa e de nós mesmos. Assim sendo, é fundamental cuidar da fala da mesma forma que cuidamos de outros itens. Mas o que pode ser feito para melhorar a qualidade dela?

 

Em primeiro lugar, é preciso ler os bons autores, que são capazes de se expressar corretamente. Pessoalmente, sugiro Machado de Assis, um dos maiores escritores da língua portuguesa (há outros, como Eça de Queiroz e José Saramago, mas o humor do velho Machado é impagável).

 

Também é importante fazer um bom curso de português, para ter certeza de conhecer algumas regras básicas de concordância, conjugação de verbos e outras noções gramaticais.

 

Por último, cercar-se de pessoas que conheçam bem a língua pode ser uma estratégia vitoriosa para quem quer se aprimorar no uso do português. Afinal, de tanto ouvir pessoas falando corretamente, acabamos por nos acostumar a fazer o mesmo.

 

Sei que você pode estar pensando que tudo isso é pouco importante, pois o que interessa é ser entendido e pronto. Mas eu te pergunto: o que aconteceria se, amanhã ou depois, sua esposa ou seu marido passassem a acreditar que a única coisa realmente importante para um casamento é a fidelidade? A resposta é simples, eles parariam de se preocupar em te agradar e quem acabaria deixando de ser fiel seria você, que fatalmente seria atraído por alguém que, além de fiel, ainda fosse atraente e agradável.

 

Pense nisso na sua próxima venda e capriche no português

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima