Ventos da mudança

As eleições já passaram. A crise política está controlada. O câmbio apresenta-se estável e os juros devem cair ainda mais. As eleições já passaram. A crise política está controlada. O câmbio apresenta-se estável e os juros devem cair ainda mais. Você acha que isso significa que o próximo ano será uma continuidade deste? É assim que você pretende planejar seus negócios e suas vendas?

Bem, é verdade que o povo escolheu dar mais um voto de confiança ao Lula. Mas ele sabe o peso de toda essa responsabilidade e está prometendo novos avanços, um jeito novo de governar. De certa forma, ele também sabe que com mais cobrança e um Congresso com menos apoio será preciso uma administração com muito mais austeridade e perspectivas de crescimento.

E aonde esse novo cenário vai no levar? O que você está fazendo para se prevenir dos eventuais efeitos da economia ou para fazer seu planejamento? Novamente chegou a hora decisiva. É preciso garantir as colheitas futuras. Por isso, nós da revistas VendaMais estamos lançando, pelo terceiro ano consecutivo, o relatório especial Tendências Brasil 2007, repleto de informações interessantes e com opiniões de grandes especialistas em áreas como economia, exportações, marketing e varejo, que vão facilitar o seu trabalho ao traçar a melhor rota para percorrer em 2007.

Para entender melhor o comprometimento desse trabalho com os resultados, confira alguns dados apresentados na edição passada, previstos com vários meses de antecedência:

?Em 2006, o Congresso vai continuar funcionando, apesar das CPIs e das crises. Além disso, há provas empíricas de que o governo vai continuar fazendo com que as taxas de juros caiam. O que é fundamental, porque a valorização do real até já era esperada, mas em conjunto com as taxas de juros altas e meta de inflação apertada, acaba afetando a exportação e o crescimento?. Antônio Delfim Netto, ex-ministro e economista.?

?A crise política vai afetar pouco o mercado, mas vai adiar decisões de investimentos. As incertezas políticas atrasam a melhora do rating* do País. Oportunidade para reforma-las só em 2007?. Gustavo Loyola, ex-presidente do Banco Central

* Avaliação de risco

?Para as eleições de 2006, Lula sai enfraquecido da crise, mas não será carta fora do baralho. Ele ainda mantém grandes chances de reeleição.? Bolívar Lamounier, cientista político.

Acompanhe também o importante depoimento de um assinante que adquiriu as edições de 2005 e 2006 do Tendências Brasil:

?O sucesso dos negócios de planejamento e ações antecipadas. O livro Tendências é uma ferramenta indispensável nos momentos de turbulências e incertezas. Os comparativos feitos entre os anos de 2005 e 2006 mostram a seriedade desse trabalho e o compromisso de sempre evoluir e inovar. Tenho adquirido o Tendências não só pela necessidade, mas pelo prazer de navegar em uma diversidade de opiniões que o presente nos mostra no futuro. Parabéns!?. Paulo Vicente Rosa Gamela Alimentos

E para compor os cenários incluídos nessa nova edição, o time escalado continua imbatível:

?Creio que em 2007 tende a ser parecido com 2006, isto é, caracterizado por estabilidade macroeconômica e crescimento medíocre do PIB, entre 3 e 4%. Expansão mais rápida da economia dependeria de reformas que dificilmente acontecerão com a rapidez e magnitude desejadas. Se o próximo governo Lula for bem-sucedido em promover mudanças estruturais, seus efeitos se darão a médio prazo, com sorte no final do período 2007-2010. Maílson da Nóbrega, ex-ministro e economista.

A verdade é que não vamos parar. Aliás, já estamos inovando, acrescentando ao nosso Special report um DVD exclusivo para você conferir as previsões do economista Eduardo Gianetti, gravadas durante a abertura do fórum da ExpoVendaMais.Faça a sua parte. Invista na maneira mais segura de vencer nos momentos de incerteza: planeje. Ajude a tornar o Brasil um país mais rico de talentos e oportunidades.

Um abraço e feliz Natal!

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima