Você está preparado para o futuro?

Quais são as tendências para 2020?

Antigamente, quando você queria se comunicar, mandava uma correspondência para a pessoa. O tempo foi passando e surgiu o fax – bastava ligar para a pessoa, apertar o botão verde do aparelho e pronto, lá ia o fax. Em seguida, foi a vez do e-mail, a internet ficou mais fácil e acessível a todos e hoje, em 140 caracteres, você pode contar o que está acontecendo. As crianças de agora estão mais preocupadas em saber mandar um e-mail do que em escrever, como fazíamos antigamente, com caligrafia.

 

Se o mundo está tão rápido agora, imagine daqui a cinco, seis, sete… dez anos. E essa evolução não acontecerá apenas por parte da nova sociedade digital, mas em todos os sentidos. As pessoas serão obrigadas a mudar de atitude, a se adaptar à nova velocidade, a criar e a ter ferramentas que possibilitem estar num lugar e falar com alguém do outro lado do planeta num piscar de olhos.

 

Sendo assim, qual é a previsão para daqui a algum tempo? Como você, vendedor, vai se preparar para lidar com essa velocidade? Se hoje você prospecta somente ligando para os clientes, em pouco tempo vai precisar complementar ou criar novas técnicas se quiser aumentar sua carteira. Então, é hora de ficar esperto para as novas tendências.

           

Quem traz um estudo sobre essas tendências é Ricardo Neves, um dos palestrantes da ExpoVendaMais 2011, que acontecerá de 17 a 19 de outubro de 2011, em Curitiba. A palestra dele será 2020 – Futuro Desejável, e ele já antecipa alguns tópicos que serão apresentados durante o evento.

 

Previsão

“Essa é a palavra com que começo as minhas palestras. E a provocação que faço é de que não existe uma previsão, não dá para fazer. A única regra é que as coisas vão mudar, a volatilidade vai ser cada vez maior. O que podemos fazer é imaginar alguns cenários e a partir deles tentar descrever um futuro desejável para você”, antecipa.

 

Se você quer crescer em vendas, precisa se equipar para isso desde já. Estudar, criar estratégias e estruturas para lidar com o futuro. “Você vai navegar num mar turbulento, revoltado. Vai precisar se analisar, saber se está seguindo sua vocação, seus objetivos. Por isso, terá que estruturar e se preparar agora, definir com base nessa visão o que espera do futuro”, avisa.

 

E visão é a palavra estratégica utilizada por Ricardo. Para ele, você até pode fazer um planejamento, mas isso será algo de curto prazo e com metas quantitativas. Com a visão, já é diferente. Ela, você coloca na frente, como bússola. “A visão é mais qualitativa do que quantitativa”, complementa.

 

De acordo com Ricardo, antes de chegar 2020, ainda acontecerão algumas mudanças na época em que estamos vivendo. Um dos exemplos citados por ele é a aceleração da digitalização, “ou seja, a produção, os serviços, consumo, o relacionamento social, entretenimento, tudo está acontecendo agora, nesta fase de digitalização. E, em 2020, vamos olhar pelo retrovisor esta fase que estamos passando. Ver que mudamos de pós-industrial para a era da sociedade totalmente digital”, afirma.

 

Desafios da época

Mobilidade

Ricardo se lembra de que passamos de uma geração ruralista para uma totalmente urbanista. Isso aconteceu aos poucos, mas, quando aconteceu, tornou-se uma tendência tão grande que muitas pessoas tiveram que se adaptar. E, daqui até 2020, a mobilidade poderá ser essa nova tendência. “A maior parte será digital, as pessoas vão buscar recursos cada vez melhores e mais rápidos, por exemplo: daqui a um tempo, será provável que você deixe de usar o seu carro, pois ele vai gastar tanto que não será mais um meio de conveniência, apenas uma despesa”, conta.

 

Além disso, o palestrante aposta numa nova forma de vida, baseada na qualidade dela. Então, ele alerta que quem estiver no mercado precisa saber que, além de preço, é preciso pensar como seu produto ou serviço pode contribuir para a qualidade de vida dos clientes. “O desejável para as pessoas é que elas tenham sempre um serviço parecido com o estilo de vida delas”, alerta.

 

Sustentabilidade

Para Ricardo, uma forte tendência para o mercado é saber lidar com a questão da sustentabilidade. “Muitas pessoas acham que isso não é importante, que é moda, mas cada vez mais se prova que ser sustentável é importante. Daqui a pouco, vamos começar a usar a energia do sol para evitar gastos e desperdícios com a energia que usamos agora. É questão de consciência”, afirma. Ele sugere que todos pensem fora da caixa, em maneiras criativas de utilizar seus produtos ou serviços, englobando a questão sustentável.

 

Fim da aposentaria

Ricardo diz que está cada vez mais perceptível que as pessoas vão viver mais, logo, o caminho será buscar uma vida boa e saudável: “A qualidade de vida não está ligada ao sedentarismo. O trabalho deixa de ser algo que sufoca, mas passa a ser tão importante quanto uma atividade física”.

 

Para ele, o termo aposentadoria foi importante no século 20. Hoje em dia, as pessoas não estão preocupadas somente com isso. Há alguns anos, era preciso ter 30 pessoas trabalhando para pagar a aposentadoria de um senhor, atualmente, apenas duas já cumprem isso. E no fim dessa geração será de igual para igual. “Teremos uma pessoa na ativa para pagar um velhinho”, diz. O valor recebido será ainda menor e as pessoas irão preferir pagar previdência privada ou continuar na ativa do que viver da aposentadoria.

 

Vendas e canais digitais

Para quem é vendedor, o recado é que a internet vai ser uma ferramenta ainda mais importante. “O vendedor terá que encantar o cliente, ser inteligente perante o mercado e, principalmente, estar ligado no mundo”, antecipa.

 

Ricardo também avisa que há uma grande probabilidade de que o mercado automobilístico possa ser prejudicado. “É como eu disse, daqui a pouco, os carros não serão algo que proporcione mobilidade. Se você parar e analisar, hoje, em cidades como Rio de Janeiro e São Paulo, a velocidade de um carro pode ser comparada à da tração animal. Sendo assim, para que as pessoas vão querer pagar R$100 mil em um carro, sendo ele algo que não traz mais conforto? É muito mais fácil alugar um carro para usar durante o fim de semana”, acredita.

 

Dentro desse possível futuro, o palestrante avisa aos vendedores que será preciso entender a mudança brutal de vida das pessoas, principalmente de seus clientes. Se você conseguir pensar dessa maneira, as vendas acompanharão o ritmo. “Os clientes vão precisar de coisas que ajudem a solucionar os problemas deles. Não vai dar mais para ficar empurrando produtos. E a solução para as empresas crescerem é fazer, de uma forma mais consciente, com que seu público compre mais”, relata.

 

O que você pode aprender

Um dos conceitos diferentes que o palestrante apresentará durante o evento é a importância de um relacionamento de longo prazo com os clientes. “O vendedor precisa esquecer que está vendendo apenas um produto ou um serviço, o cliente quer mais. Ele quer, por exemplo, sentir segurança e confiança ao comprar. Ele também deseja ter a garantia de que aquilo que está comprando vai resolver algo. Na era de 2020, o vendedor vai ter que entregar soluções para os clientes. Muito mais que apenas um produto ou um serviço”, enfatiza.

 

Você está preparado para lidar com esse futuro desejável? Já sabe que, a partir de agora, terá que ser ainda mais ágil? Pensou nas possibilidades de seus produtos ou serviços estarem ligados à qualidade de vida dos seus clientes? Imagina como serão as exigências do mercado até lá? Não? Então, prepare-se, porque o mundo está pedindo atenção. e seus clientes também.

 

Para saber mais

Ricardo Neves será um dos palestrantes participantes da ExpoVendaMais 2011, o maior evento de vendas da América Latina. Para saber mais, visite o site: www.expovendamais.com.br.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima