Você precisa…

Do que você precisa?

Toda vez que ouço Baby, lembro-me de que estou atrasado. Afinal de contas, a música, assim como a vida, insiste que “preciso saber da piscina, da margarina, da Carolina, da gasolina” e, principalmente, saber de mim. Eu sei que é assim.

 

O mundo evolui, tudo acontece ao nosso redor e, muitas vezes, investimos tempo, energia e dinheiro para alcançá-lo, em vão. Sempre sinto uma falta enorme de tempo e uma angústia profunda com a ideia de perda de algo que não sei muito bem definir, mas que parece ser fundamental à existência.

 

“Saber de mim” talvez possa ajudar a melhorar esse sentimento negativo. Se você se conhece melhor, pode priorizar as informações tornando-as mais úteis e, como consequência, menos ameaçadoras. Dizem que “preciso tomar um sorvete na lanchonete”, mas, se estou de regime e detesto barulho, por que dar espaço a essa informação?

 

Pelo contrário, “andar com a gente e se ver de perto” faz toda a diferença. Em uma palavra, quem é você? Qual é a sua marca registrada? Pronto. Já temos um caminho para a seleção natural de tudo o que nos aborda. Essa definição colabora na decisão sobre os seus planos de vida.

 

Em cinco anos, o que você pensa? Agora, já podemos priorizar ideias. Em dez, quais são suas buscas? Temos trabalho para o restante da vida.

 

Costumo dizer que somos uma mesa apoiada em quatro pés, apoios afetivos de nossa existência: a família, o amor, os amigos e o trabalho. Procuro organizar a minha vida de modo a fortalecer esses pilares. Tudo o que chega até o meu bolso ou ao coração estimula minha mente a questionar qual dos pés da mesa será melhorado com essa informação, atividade ou aquisição. Dessa forma, consigo organizar melhor a agenda e as decisões.

 

Você não melhora por si, diretamente. Evolui através das relações que cria e mantém com os quatro pés da sua mesa. Selecione as atividades do seu dia e tente entendê-las e priorizá-las dessa forma.

 

Será que você está equilibrando adequadamente sua vida ou sua mesa está torta? “Ouvir uma canção do Roberto” sempre ajuda. Mas também temos problemas quando o Roberto é único e insubstituível. Todos queremos o Carlos, mas o Leal ou o do acordeon também podem animar o seu dia a dia. Quanto tempo você perde buscando alguém que não resolve o seu problema? Quantas vezes você subestima pessoas que já poderiam ter o ajudado?

 

Você tem se permitido uma reflexão mais despojada sobre suas referências? Algo ligado à sua essência? “Você precisa aprender inglês”? Talvez sim, mas não necessariamente esta manhã. “Precisa aprender o que eu sei”? Talvez não, pois somos diferentes em passado, presente e futuro e sempre me pareceu estranha essa padronização de hábitos motivada pelo “o quê?” em vez de “por quê?”.

 

Resgate aquilo que você “não sabe mais”. Aquilo que já fez parte da sua identidade, mas que você abandonou nas gavetas de fotografia, nos cadernos de adolescência ou nas conversas demoradas em tom de “tudo azul”.

 

Talvez você não perceba. Talvez só vá entender quando não mais estiver aqui. “Vivemos na melhor cidade da América do Sul.” Qual é a cidade? Não importa. Vale mais a pena crer que seja a sua cidade, o lugar em que você vive, com as possibilidades e limites exatos para as suas realizações e frustrações.

 

Viva com os pés no presente, a mente no futuro e o coração no passado. Fale mais de ideias e menos de pessoas. Mais de atitudes e menos de números. “Leia na sua camisa” qual é a sua identidade, seu caráter único, e permita que os outros também a conheçam. E creia, repita e pratique em tudo o que você pensa, fala e faz: “Baby, I love you”.

 

Afinal, a emoção é o melhor lubrificante às engrenagens barulhentas e ásperas de nosso cotidiano.

 

Para ouvir enquanto você lê o texto:

http://www.youtube.com/watch?v=RQRfDN6I3_M

 

Baby

Caetano Veloso                           

 

Você precisa

Saber da piscina

Da margarina

Da Carolina

Da gasolina

Você precisa

Saber de mim

Baby, baby

Eu sei

Que é assim

Baby, baby

Eu sei

Que é assim

Você precisa

Tomar um sorvete

Na lanchonete

Andar com gente

Me ver de perto

Ouvir aquela canção

Do Roberto

Baby, baby

Há quanto tempo

Baby, baby

Há quanto tempo

Você precisa

Aprender inglês

Precisa aprender

O que eu sei

E o que eu

Não sei mais

E o que eu

Não sei mais

Não sei

Comigo

Vai tudo azul

Contigo

Vai tudo em paz

Vivemos

Na melhor cidade

Da América do Sul

Da América do Sul

Você precisa

Você precisa…

Não sei

Leia

Na minha camisa

Baby, baby

I love you

Baby, baby

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima