Você sabe a hora de aceitar um novo desafio?

Quando é a hora de aceitar a proposta para um novo desafio profissional?

Há horas em nossa vida que a decisão, além de ser muito difícil, é cruel, por exemplo: se vai assistir ao Big brother ou A fazenda… há gente que não assume que gosta nem que assina aqueles canais 24 horas só para ficar vendo a vida de quem não conhece. Mas, no mesmo horário, quase todos os dias você precisa tomar uma decisão.

 

Agora há algumas decisões que são um pouco mais elaboradas, difíceis, sofríveis e, muitas vezes, portadoras de uma grande felicidade.

 

Tenho recebido muitas perguntas nesse sentido, em função do nosso programa na rede Record: Seu sucesso. Sucesso tem a ver com sábias e ousadas decisões, como aquelas quando você recebe um convite irrecusável ou está no limite da sua paciência onde trabalha todos os dias.

 

Com o tempo, aprendi a decidir, isolando a emoção da razão e sempre olhando para a construção de um profissional diferenciado. E isso leva algum tempo.

 

Em 2001, tomei uma decisão muito amadurecida: encerrei minha vida como executivo e passei a me dedicar aos meus negócios. Apesar de ter sido questionado até aqui em casa, o resultado foi ótimo, muito acima da minha expectativa, porque somei minhas realizações anteriores na direção de importantes organizações com a maturidade adquirida e apliquei com determinação em minha empresa (O Vendedor Pit Bull).

 

No fim do ano passado, passei por outro grande aprendizado, pois nada na vida é definitivo. Aceitei um convite, depois de cinco meses de namoro, para presidir uma grande empresa de atuação mundial no setor de turismo.

 

Mas de que forma tomar uma decisão como essa? Como saber a hora de encarar um novo desafio, projeto ou emprego? Gostaria de compartilhar minha matriz decisória para que um dia ela seja muito útil a vocês também:

  • A vida é como uma pilha, tudo tem um lado positivo e um negativo, portanto, não espere que nessa maçã caramelada o sabor seja doce do início ao fim.
  • Medir quanto os pontos negativos da nova proposta impactam na essência da sua vida hoje e o que pode ser superado e o que não pode, ou não deve.
  • Pensar em quanto o lado positivo motiva você ao longo do tempo, que tempo é esse e quanto essa nova proposta tem a capacidade de surpreendê-lo positivamente durante a jornada.
  • O que você poderá fazer nessa nova fase que dificilmente faria na atual.
  • Dependendo do seu estágio de vida, pense na influência que a sua decisão terá na sua família.
  • Uma questão interessante é se você pode abrir mão parcialmente da sua qualidade de vida com prazo determinado.
  • Fundamental é ter um gol de placa. Essa proposta lhe permite fazer um gol de placa que ficará gravado nas páginas de sua vida?
  • Se você está na fase da vida de grande corredor (até os 30 anos), invista na sua capacidade de correr os cem metros e vá em frente, porque o retorno é logo ali – se algo der errado.
  • Caso sua fase seja pós 40 anos, está na fase do maratonista, em que qualquer erro vai ser muito representativo e pode significar não completar a prova.
  • Independentemente de que estágio esteja, nunca tire do cerne da sua decisão que acordar e sorrir para o mundo é um grande diferencial e que, sem paixão, nada dá certo. Nada mesmo!

Decida-se por você e ancore todas as suas crenças na sua capacidade de decidir o jogo se a bola passar pelos seus pés. Use e abuse da sua capacidade de escolha e busque sempre um aconselhamento. Mas capriche, pergunte às pessoas certas. Você não vai perguntar a um mendigo como se faz para ficar rico, né?

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima