7 passos para uma decisão eficaz

7 passos para uma decisão eficaz Quem nunca esteve em uma situação em que precisou tomar decisões importantes? Decidir não é privilégio apenas dos empreendedores e gestores, mas de todas as pessoas que integram uma organização. Entretanto, como tomar decisões se, normalmente, elas surgem inesperadamente? Segundo Glauco Benatti, gerente de setor da empresa Case Consulting ? consultoria de recrutamento especializado de executivos ?, quando se fala em tomar decisões, é preciso pensar em objetivo, análise, autoconfiança, ausência de acomodação, transparência, hipótese e risco.

Para aqueles que não se sentem capazes de decidir, seguem duas dicas do consultor:
· Criatividade nem sempre ajuda a tomada de decisões ? Com base em sua experiência diária, Glauco define uma pessoa criativa como alguém que tem dificuldades de tomar decisões assertivas. Apesar de possuir idéias excelentes, na seqüência, acaba tendo outras, por isso dificilmente chega a executar ou quando o faz já é tarde demais.

· Ter raciocínio lógico não é requisito para tomar boas decisões ? Alguém com capacidade lógica consegue decidir de forma mais rápida, contudo pode acabar desconsiderando hipóteses não-lógicas que seriam mais eficazes.

O caminho para as decisões
Confira quais são os sete passos para a tomada de decisões eficazes:
1. Defina objetivos ? Saiba aonde quer chegar, pois decisões funcionam como um barco: quando não se sabe para onde se quer ir, qualquer vento ou decisão serve. Uma vez definidos os objetivos, você será capaz de direcionar as atividades e as pessoas certas para os lugares certos.

2. Analise de forma assertiva ? Depois de definir os objetivos, você pode fazer diversas análises que indicarão um bom caminho.

3. Tenha autoconfiança ? Apesar de a maioria dos trabalhos ser construída em equipes, eventualmente, você terá de decidir sozinho e, possivelmente, com base em suas convicções. Nesse momento, ter autoconfiança é fundamental, pois precisará estar muito seguro de sua ação.

4. Não se acomode ? Pessoas acomodadas normalmente tomam a decisão de não mudar. Ser acomodado pode ser fatal para a sua carreira. As mudanças têm sido constantes no mundo corporativo e você precisa estar preparado para mudar.

5. Seja transparente ? Imagine que você está trabalhando em um projeto e existe uma informação que só você conhece, mas não quer revelar. A equipe toda trabalha sobre algumas hipóteses reais para tomar uma decisão, mas, em decorrência da sua omissão, haverá algo desconhecido para eles. Nesse caso, o trabalho todo poderá ser comprometido pela falta de transparência.

6. Liste hipóteses ? Se você não considerar diferentes hipóteses ou cenários, poderá decidir de forma errada. Pensar em hipóteses o ajudará a prever situações, preparando-se para eventuais problemas. A partir do momento em que forem elaboradas as hipóteses, compare os prós e os contras de cada uma e escolha as mais viáveis. Para facilitar a escolha, estabeleça pesos distintos e, a partir disso, construa um ranking dos que mais se aproximam dos objetivos.

7. Corra riscos ? Com base nos passos anteriores, identifique o grau de risco que envolve a decisão a ser tomada e se você está disposto a enfrentá-lo. Mas lembre-se de que é fundamental que você esteja disposto a assumir riscos.

Existe certo ou errado?

São muitas as decisões do dia-a-dia e normalmente são grandes as dúvidas sobre qual é o melhor caminho a seguir. No livro O Guia Prático das Decisões Difíceis (Editora Campus), James A. Autry e Peter Roy analisam questões que executivos e seus colaboradores costumam enfrentar e oferecem abordagens para resolvê-las.

Em um dos capítulos, os autores abordam a dúvida entre decidir agir de maneira correta imediatamente ou adiar a ação para um momento mais oportuno. ?Ás vezes, simplesmente não há uma escolha ?certa?, e você precisa lidar com o que é mais certo ou mais errado.? Para essa questão, eles sugerem algumas lições:

· Pense a longo prazo. Às vezes, o mais certo agora poderá levar ao erro no futuro.
· Sempre revele às pessoas, logo no início de tudo, a sua filosofia e os seus valores.
· Não enfrente sozinho os momentos de crise. Compartilhe o problema, peça ajuda aos outros e, juntos, vocês poderão fazer milagres.
· Lembre-se de que a retaliação, apesar de trazer satisfação pessoal, pode piorar ainda mais o problema.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima