A amizade no casamento

Em um casamento em que o foco esteja no crescimento conjunto e no amadurecimento individual, a amizade será, com certeza, cultivada. Cônjuges amigos primam pela sinceridade. Em um casamento em que o foco esteja no crescimento conjunto e no amadurecimento individual, a amizade será, com certeza, cultivada. Cônjuges amigos primam pela sinceridade. E ser sincero é não ter medo de se expor, mas é ter coragem de se libertar, de se despir em sinal de entrega. É ter confiança de que o conhecimento do lado pior de cada um não será motivo de ruptura, mas oportunidade de encorajar o outro a progredir. Cônjuges sinceros partilham a vida mutuamente através do diálogo franco, libertador. A necessidade de entendimento é prioridade e em função disto podem desenvolver um linguajar maduro, em que os interesses próprios ficam esquecidos em benefício do outro. Através do diálogo sincero e cordial o relacionamento evolui para a cumplicidade.

Ser cúmplice é assumir riscos com consciência, é defender a integridade do outro pelo conhecimento íntimo. É dar apoio incondicional. O cúmplice não recua, mas avança em direção ao entendimento e aceitação. Entender o companheiro é ter consciência das diferenças que permeiam o relacionamento e fazer delas aliadas para alcançarem a unidade. É não tentar muda-lo, mas ter condições de aceitar as suas fraquezas investindo tempo e sabedoria no intuito de ajuda-lo a melhorar. Isto fará com que os dois possam convergir para interesses comuns tornando-se menos distantes, mais unidos, usando todo tempo disponível no convívio mútuo, partilhando alegrias, tristezas, fracassos e sucessos ?Suportando um ao outro em amor? (Efésios 4:2).

A amizade tem a força da aceitação incondicional, do gostar do outro como um todo. Tem a graça do perdão espontâneo, e também a soma dos valores em comum. Além de fortalecer o relacionamento e enriquecer o convívio. É o diferencial nos casamentos bem-sucedidos.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima