A busca pelo colaborador empreendedor

É fundamental para assegurar a longevidade da organização, compreender que são as pessoas que fazem a diferença nas empresas. A falta de comunicação é uma das principais causas de descontentamento dos colaboradores – menos de 20% deles conhecem as estratégias da empresa onde trabalham. É fundamental para assegurar a longevidade da organização, compreender que são as pessoas que fazem a diferença nas empresas. Muitos dirigentes apontam a dificuldade de suas empresas em identificarem modelos que incentivem o espírito empreendedor.

A falta de comunicação é uma das principais causas de descontentamento dos colaboradores – menos de 20% deles conhecem as estratégias da empresa onde trabalham.

No meio empresarial é freqüente o uso de uma linguagem que combina contabilidade e finanças, à medida que se sobe na hierarquia organizacional, o que dificulta a comunicação entre os diversos níveis da empresa.

A crescente exposição das empresas à concorrência nacional e internacional, direta ou indiretamente, indica que o caminho para o sucesso é o colaborador ter um conhecimento especializado e, também, geral sobre o negócio. Não há dúvidas que a competitividade estimula o desenvolvimento tecnológico.

Entretanto, muitas lideranças não sabem como motivar suas equipes e ainda trabalham de forma centralizadora. Além disso, o capital humano no Brasil não é alvo das principais preocupações dos dirigentes das empresas, enquanto que, nos Estados Unidos, as pessoas aparecem em primeiro lugar. Por outro lado, aqui a capacidade de realização é a característica mais valorizada pelas organizações na hora de contratar.

Se são as pessoas que fazem a diferença nas empresas, elas precisam estar satisfeitas, o que só é alcançado quando suas necessidades individuais são atendidas.

A empresa é um sistema onde diversas atividades interagem, tais como contabilidade, finanças, marketing, vendas, técnica e produção, gerando um potencial enorme de informações suficientes para atender às necessidades de cada colaborador. Se há um entendimento maior das atividades acima por parte dos colaboradores, está criado o ambiente favorável para a homogeneização da linguagem de negócio da empresa. Desta forma, a comunicação é facilitada, mesmo os dirigentes usando um vocabulário rico em termos contábeis e financeiros para informar os objetivos, estratégias e resultados.

Os colaboradores tornam-se mais participativos, comprometidos e empreendedores, quando entendem o que significa o resultado operacional da empresa. Conseqüentemente, há uma maior integração na organização, aumento da capacidade de trabalho individual e em equipe, da percepção da sua importância no grupo e também uma maior visão sobre o negócio da empresa, como um todo. Esses são alguns dos benefícios – transformados em valor adicionado do negócio.

Dessa forma está cumprida a busca que a maioria dos dirigentes tem pelos colaboradores empreendedores – motivados pelo conhecimento e com atitudes comprometidas com os objetivos da empresa – a base sustentável para manter a capacidade de competição.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima