A celebração de cada dia

Mesmo com tantas diferenças práticas, há algo em comum e essencial entre comemoração e celebração, algo tão fundamental que é quem de fato legitima sua autenticidade. Comemorar e celebrar são a mesma coisa? Com o passar dos anos e das gerações, palavras novas vão surgindo, algumas caem em desuso e outras adquirem novos significados. Penso que esse é o caso de celebração, quando comparada com comemoração, no seu sentido popular.

Comemoração, por exemplo, é interpretada e realizada como festa. Comemoram-se aniversários da nascimento, de casamento, de fundação, prêmios obtidos e momentos especiais.

Algumas empresas têm várias e boas razões para comemorar: lançamentos de novos produtos, metas atingidas, prêmios diversos, lucros extraordinários, inauguração de novas instalações, aquisições ou fusões e muitos outros.

A princípio, a celebração teria mais ou menos o mesmo sentido da comemoração, mas hoje, no jargão organizacional, celebrar passa a ter um significado mais profundo, mais interativo, menos festeiro.

Celebrar é compartilhar alegrias e vitórias, sem bandas e fanfarras. Celebra-se de modo discreto, quase silencioso, mas nem por isso menos intenso e verdadeiro. Para serem celebradas, não precisam ser grandes as alegrias e vitórias, até porque estas não têm tamanho, peso nem altura. Ou são ou não são. Se são, devem ser celebradas.

Você celebra, por exemplo, quando manifesta claramente que reconhece a importância ou a qualidade de um colega. É preciso saber que há um significado transcendente em cada gesto de reconhecimento, porque mexe com intensos sentimentos do ser humano. Em toda pessoa, há um componente que merece ser celebrado, basta querermos ver e reconhecer. Talvez, poucas formas de celebração sejam tão poderosas e gratificantes quanto o reconhecimento por um trabalho bem-feito, uma ação louvável ou uma atitude digna.

Você pode celebrar com o colega a alegria dele pela entrada na faculdade, pela compra da primeira casa ou do primeiro carro, pelo nascimento de um filho, pelo casamento, pela promoção.

Celebração é algo que tem muito mais a ver com o coração do que com a razão e pode ser feita apenas com palavras, gestos ou preces, o que não seria possível em uma comemoração, que mais está para festa. Portanto, são coisas diferentes, mas nem por isso uma é mais ou menos importante que outra.

Uma significativa diferença entre elas é que as comemorações geralmente têm data certa para acontecer. As celebrações não. Podem ocorrer a qualquer momento, em qualquer dia, basta saber que alguém realizou um sonho, superou um desafio, ganhou uma competência ou está vivenciando algo que o deixa feliz.

Com um abraço caloroso e sincero, você pode celebrar o encontro diário com o colega, a cada manhã que o encontra no trabalho. As equipes sinérgicas e coesas costumam permutar celebrações entre seus membros, porque a alegria ou o sucesso de um é compartilhado com os demais. A base de qualquer modelo de gestão que pretenda ser um diferencial competitivo está diretamente condicionada à capacidade dos seus membros em celebrar as alegrias, vitórias e talentos uns dos outros.

Um elogio, um abraço, um gesto carinhoso ou fraternal, um e-mail de afago, um presente, um alegre telefonema inesperado são exemplos de celebração que tem uma particularidade, que deveria entusiasmar as empresas a estimulá-la entre seus colaboradores: pode ser feita a custo praticamente zero, o que não ser dito em relação às comemorações.

As comemorações agradam ao ego, as celebrações agradam ao espírito. Talvez por isso as primeiras sejam mais comuns nas organizações. Muitas empresas ainda permitem que seu modelo de gestão de pessoas seja influenciado e avaliado pela satisfação dos egos dos seus gestores e, nessas condições, há pouco espaço para celebrações e muitas razões para comemorações, ainda que por razões, às, vezes questionáveis.

Por fim, é importante destacar que, mesmo com tantas diferenças práticas, há algo em comum e essencial entre comemoração e celebração. Algo tão fundamental que é quem, de fato, legitima sua autenticidade: em ambas, comemoração ou celebração, é absolutamente indispensável a presença do sorriso que sai do coração. Sem isso, estamos falando de outras coisas, menos de celebração e comemoração.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima