A culpa é do gerente?

Além de saber cobrar, encorajar e incentivar a equipe, o bom gerente precisa gostar de ensinar seus colegas de trabalho todos os dias. O gerente é responsável por 70% do clima motivacional no ambiente de trabalho, cujas atitudes refletem diretamente no comportamento da equipe. Ninguém produz com alegria e satisfação se não estiver consciente da importância do que faz e comprometido integralmente com a causa da empresa.

Segundo pesquisas da Hay Group Consulting, empresa americana especializada em sistemas de liderança, um bom gerente acaba influindo em cerca de 30% dos resultados globais de uma loja. Não pelo seu trabalho pessoal. As razões estão na sua capacidade de gestão, com ênfase em alguns pontos: relacionamento com clientes, habilidade para ouvir, presença direta onde as coisas acontecem e gerenciamento eficaz da equipe.

Como líder, o gerente é quem dá o tom da qualidade e do direcionamento do trabalho. Tanto que é comum associar a personalidade do gerente à personalidade da loja e da própria equipe. Gerente bom, loja e equipe excelente. Gerente médio ou regular, tudo acaba nivelado por baixo, inclusive o mercado. Nesse caso, funcionário nenhum presta, enquanto que a falha está na cabeça da chefia, não nas pessoas que estão ali ansiosas seguindo o tom do líder.

Há gerentes e gerentes. Há aqueles que fazem as coisas acontecerem, mudando e alterando tudo para melhor, procurando alternativas e novas oportunidades, voltados para resultados, independentemente da ordem de cima. E há aqueles normais, que apenas cuidam bem do que existe, sem alterar absolutamente nada. Não são gerentes; são cuidadores de loja: abrem, limpam, expõem as mercadorias disponíveis, e esperam os clientes entrarem. Estão ali não para fazer, mas para evitar que as coisas sejam feitas.

Há ainda uma outra categoria: a do cuidador indiferente, que além de não cuidar bem do que existe, consegue administrar de forma tão negligente que perde vendas, perde clientes, perde bons funcionários, perde tudo. E para não perder o emprego, precisa mudar com urgência. Ainda há tempo. Porque quem não muda é mudado.

Além de saber cobrar, encorajar e incentivar a equipe, o bom gerente precisa gostar de ensinar seus colegas de trabalho todo santo dia. Esse é o melhor treinamento que existe e uma das principais atividades da gerência. Bons exemplos funcionam mais do que belos discursos!

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima