A passos largos para a felicidade

Sérgio Kehl nasceu em 1951 em Lajeado (RS), filho de agricultores semi-analfabetos e pobres. As dificuldades não pararam aí: ele nasceu sem a perna direita, e a esquerda deformada

Sérgio Kehl nasceu em 1951 em Lajeado (RS), filho de agricultores semi-analfabetos e pobres. As dificuldades não pararam aí: ele nasceu sem a perna direita, e a esquerda deformada.

Ele aprendeu a andar do seu jeito. Acompanhava todas as atividades da família – na roça, nas pescarias, no futebol. Seus pais eram sábios. Nunca fizeram Sérgio sentir-se discriminado ou superprotegido.

Na escola Sérgio também era ativo. Quando foi para o colégio em Lajeado, tirou o 1º lugar no exame de admissão da época. A surpresa foi grande quando viram aquele menino tímido de muletas e material escolar na sacola plástica.

Ao cursar o ginásio, Sérgio teve uma visão diferente da vida. Conheceu a cidade, alunos com belos uniformes e pastas. Pensava: “Por que não posso ter tudo isso? Por que os outros usam guarda-chuva e eu nem posso usar, mesmo que o tivesse?” Passou por difíceis adaptações à sua condição física, e mais de um ano fazendo só uma refeição diária. Mas não sentiu-se infeliz. Tinha aprendido com o exemplo dos pais que a vida é mais que dinheiro. Deixou de se importar com o que não tinha e valorizou seus dons: garra, bom humor, capacidade de aprendizagem e convivência com pessoas.

Sérgio cursou Administração. Casou-se. Veio o primeiro filho, outros empregos, cursos de pós-graduação. Vieram as filhas gêmeas. Foi quando montou uma consultoria de relacionamento, liderança e equipes de trabalho, e realiza palestras e treinamentos em todo o estado.

Uma história como tantas outras? Poderia ser, se Sérgio tivesse se entregue à autopiedade. Conta: “Meu pai dizia: "Se DEUS não te deu pernas perfeitas, certamente para cumprir tua missão elas não serão tão necessárias." Sempre acreditei nisso e busquei outros caminhos para a felicidade e o sucesso. Descobri que para ser feliz não precisamos de pernas perfeitas, por isso é que eu fui, sou e pretendo continuar sendo uma pessoa feliz.”

Depoimento real de Sérgio Kehl

Visite o site: www.sergiokehl.com.br

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima