Alegria e esperança para as mulheres

Conheça a história do grupo de apoio Mama Rosa

Nome: Dóris Maria da Silva Velho
Formação: Licenciatura curta em estudos sociais pela Universidade Católica de Pelotas (UCPEL)
Profissão: Funcionária pública municipal
Missão: “Conhecer novos horizontes, melhorando a cada dia e aprendendo a superar os obstáculos”

 

Conscientizar as mulheres sobre a importância de cuidar da própria saúde é o principal objetivo de Dóris Maria da Silva Velho. Na cidade de Arroio Grande, RS, ela e um grupo de 20 voluntárias se reúnem para dar apoio às portadoras do câncer de mama. “Oferecendo carinho, incentivando o tratamento, levando conhecimento e esclarecendo dúvidas”, afirma Dóris.

 

Mama Rosa – Esse é o nome da iniciativa que começou em 2004, quando a voluntária viveu momentos de medo e angústia ao descobrir que estava com um pequeno nódulo no seio. “Após vários exames e uma cirurgia, o câncer não foi diagnosticado, porém passei por um período de muita tristeza e sofrimento. Então, decidi fazer alguma coisa em benefício das mulheres que estão passando pela mesma situação ou por piores. A partir daí, convidei algumas mulheres para formarmos um grupo de apoio, que foi fundado em dezembro de 2005”, explica.

 

O Mama Rosa já atendeu mais de 200 mulheres por meio da arrecadação de materiais de higiene e campanhas de doações de sangue. O grupo também realiza brechós com o objetivo de arrecadar dinheiro para as pessoas que participam do projeto, no caso de terem uma emergência e não poderem esperar pela ajuda do serviço público da cidade. Além disso, elas ainda promovem palestras de conscientização e prevenção feminina.

 

Ao pensar nessas ações, Dóris se recorda de um fato marcante que irá lembrar por toda sua vida: “Certa vez, uma senhora com mais de 60 anos, que passou por uma mastectomia (cirurgia de remoção completa da mama), disse que a melhor coisa que aconteceu em sua vida foi entrar no Mama Rosa, pois o grupo faz ela viver com mais alegria e esperança”, conta a voluntária.

 

Inspirada por histórias como essa, Dóris não guarda só para si a consciência de ajudar o próximo. Ela é pontual ao afirmar que devemos dedicar um pouco de nosso tempo para o voluntariado. “Às vezes, podemos fazer isso por meio de um gesto ou uma palavra, pois o que, para nós, é um grão de areia, pode ser um oceano para quem está precisando”, assegura. E, com tanta disponibilidade e amor para realizar ações de voluntariado, ela nos conta onde encontra sua motivação: “Na satisfação de fazer o mínimo e ser o máximo para o outro, de ver o sorriso de alegria pelo menor gesto que se faça a quem realmente está precisando”.

 

Para saber mais

Visite o site: www.arroiogrande.com/mamarosa

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima