Atendimento especial

Conheça um caso de atendimento especial e tire lições dele. O atendimento especial cativa clientes e ajuda a aumentar suas vendas. Confira. Mesmo sabendo que há muita gente atendendo sem ter qualificação básica para isso, vale a pena destacar a excelente atuação de determinados profissionais, sobretudo pelo fato de que eles fazem a diferença e levam o consumidor à satisfação. Logo, é prudente que empreendedores se preocupem com o nível de qualidade profissional de seus colaboradores, pois, do contrário, outras organizações atentas conquistarão uma fatia cada vez maior de clientes que se encontram ávidos pela excelência no atendimento.

Preço, qualidade do produto ou serviço, prazo, entrega, boa exposição através de adequado merchandising e simpatia são importantes. Porém, há aspectos cruciais que são esquecidos. Ou, pior, ignorados espontaneamente. A questão aqui discutida diz respeito à percepção e priorização.

Treinar os profissionais de atendimento para se obter um bom nível de desenvolvimento sobre a percepção é uma regra dourada no mundo dos negócios. Observar o cliente e procurar conhecê-lo melhor (paciente, impaciente, apressado, sereno, dependente, independente, objetivo, prolixo, determinado, incerto, etc.) nos primeiros momentos de contato, sem fazer prejulgamentos negativos, torna a conversa mais rica e promissora. Desconsiderar essas características pode dificultar, além de causar uma sensação de descaso.

Um exemplo disso é o atendimento realizado por um atendente de uma cafeteria. Observou-se que ele estava atento à chegada de alguns clientes. Esperou que eles se sentassem comodamente à mesa que escolheram. Em seguida, viu que outro atendente ofereceu o cardápio e se retirou. Entretanto, após alguns instantes, já tendo feito a escolha, um dos clientes apenas olhou para aquele primeiro atendente, acenando levemente a cabeça como indicativo de aproximação. Imediatamente, o rapaz, que limpava outra mesa e segurava uma bandeja com os restos, foi em direção ao grupo.

Nesse momento, foi possível ponderar e levantar a seguinte questão: o que se priorizou? A finalização da limpeza ou o atendimento? Encerrar o procedimento operacional e levar a bandeja até o seu destino e depois atender ao cliente ou o contrário? O atendente não teve dúvida, depositou a bandeja sobre o balcão e se aproximou dos clientes, desejando-lhes boas-vindas. Acrescentou à sua cortesia a clássica pergunta sobre o que desejavam, abrindo o talão de pedidos. Feita a anotação, retirou-se, retornando posteriormente com a solicitação do grupo.

O atendimento especial requer boa vontade, cujo direcionamento deve focalizar o cliente. Percepção detalhada e priorização das ações devem fazer parte do pacote de conhecimentos e atitudes presentes no bom profissional de atendimento. Vale dar o crédito também ao trabalho em equipe, pois funciona como um mecanismo reconhecidamente competente. Em suma, fica a pergunta: você valoriza a percepção e a priorização no atendimento?

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima