Automação no comércio atenua impacto dos juros

Tecnologias eficazes para o gerenciamento de estoques ajudam o varejista a reduzir o impacto dos juros altos. Eficiência operacional é sinônimo de administração competente, que se reflete no resultado final da empresa. A capacidade de gerenciar bem os estoques, por exemplo, garante a sobrevivência do negócio em tempos difíceis. Afinal, mantê-los elevados descapitaliza a empresa e reduzi-los pode impedir o atendimento da demanda. Gerir com eficiência é melhorar os resultados a partir do retorno do investimento em pessoas, instalações e equipamentos, atendendo às necessidades dos clientes e oferecendo produtos no prazo, com a variedade e disponibilidade esperada.

Flexibilidade, visibilidade e agilidade no controle do estoque são possíveis quando existe velocidade na reposição, avaliação das quantidades necessárias para compra, processos de recebimento, conferência e inspeção de mercadorias, entre outros aspectos. O ciclo de caixa representa o tempo necessário para que as empresas convertam os pagamentos efetuados aos fornecedores de insumos em recebimentos de seus clientes.

O desempenho do ciclo de caixa é diretamente proporcional à melhoria da fórmula mágica compre-venda-pague, que funciona há muitos anos e muito bem no varejo. Os únicos complicadores do sucesso desse modelo são a redução das margens e a acirrada competitividade das empresas do setor. Aqui vai um alerta: os varejistas que não estão nesse cenário podem parar de ler; os outros, por favor, sigam adiante.

É possível fazer com que o ciclo de caixa mantenha-se na marca do zero ou negativo? Sim! Para isso, é necessário que a fórmula mágica compre-venda-pague tenha um alto grau de eficiência. De que forma?

Compre ? Apenas o necessário, sem excesso e/ou faltas. Como? Por meio de negociações em condições favoráveis com seu fornecedor, que possam garantir níveis de serviço a seu cliente e que reduzam seu estoque de segurança até o nível ideal. Para a redução do investimento em capital de giro para um determinado nível de vendas, é fundamental um alto índice de rotação dos estoques.

Venda ? O que o seu cliente quer comprar? Como? Saiba quem é seu cliente, seu tíquete médio, produtos preferidos, alteração de perfis, movimentação de estoques e sua demanda. Trabalhe em parceria com seus fornecedores para eliminar buracos na gôndola e garantir a venda.

Pague ? Seus fornecedores sem que haja necessidade de ter um financiamento permanente. Como? Cada real economizado no estoque reduz o capital de giro, que pode tornar-se uma fonte de fundos para outros investimentos.

A eficiência deve ter como uma das metas a redução do capital de giro e a conseqüente eliminação dos juros pagos. Com certeza, as mesmas ferramentas utilizadas para alcançar eficiência nos processos servirão para reduzir os custos operacionais, melhorando o desempenho financeiro da empresa. Por isso, varejista, não esmoreça, está em suas mãos tomar as providências necessárias para a solução de seus problemas!

Compre reduzindo seu ciclo de pedido, realizando a reposição contínua de seu estoque e utilizando o EDI (Electronic Data Interchange/Intercâmbio Eletrônico de Dados) para o comércio eletrônico entre empresas (B2B). A integração com o fornecedor garantirá a fidelização dos clientes pelo aumento da disponibilidade de produtos na loja, melhoria do processo de previsão de vendas e necessária redução dos estoques e do capital de giro.

Venda sempre mais, controlando automaticamente seu estoque, com equipamentos e softwares que trarão informações precisas, garantindo que seu nível seja sempre ideal. Utilize a identificação e o código de barras do Sistema EAN.UCC para conhecer seu cliente e sua demanda, oferecendo o produto que seu cliente quer, quando ele quer e por um preço justo. O código de barras agregará confiabilidade às operações de compra e venda.

Pague com precisão e seja capaz de suprir o capital de seu ciclo diário de operações. A troca de informações eletrônicas, utilizando o EDI, garante a precisão das informações de estoques, estimativas, preços, cadastro de produtos, pedidos e notas fiscais.

O varejista conhece suas deficiências e sabe quanto paga por elas. Basta decidir investir em automação de processos. A eficiência resultante reduzirá o capital de giro e eliminará os juros. E, como prêmio pelo investimento, o varejista ainda terá a diminuição dos erros operacionais, estimativas de vendas precisas, gestão de ciclos rápidos de pedidos, redução dos custos logísticos e administrativos. Reduzir o capital de giro e eliminar os juros é apenas mais uma questão de eficiência!

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima